Objetivos da Ventilação Mecânica

Objetivos Fisiológicos

A - Manter ou modificar a troca gasosa pulmonar;

1- Ventilação Alveolar (PaCO2 e pH);
O suporte ventilatório tem como objetivo intervir na ventilação alveolar. Em certas circunstâncias, o objetivo pode ser aumentar a ventilação alveolar (hiperventilação para reduzir a pressão intracraniana) ou reduzir a ventilação alveolar de maneira controlada (hipercapnia permissiva); porém, o objetivo usualmente adotado é normalizar a ventilação alveolar.

2- Oxigenação Arterial (PaO2, SaO2 e CaO2);
O objetivo é atingir e manter valores aceitáveis de oxigenação arterial (PaO2 > 60 mmHg, SaO2 > 90%). A oferta de oxigênio aos tecidos (D’O2) deve ser considerada, corrigindo fatores como o conteúdo arterial de oxigênio (hemoglobina) e o débito cardíaco.

B - Aumentar o volume pulmonar;

1- Insuflação pulmonar inspiratória final;
Visa prevenir ou tratar atelectasia;

2- Otimizar a Capacidade Residual Funcional (CRF);
Utilizar a PEEP em situações em que a redução na CRF pode ser prejudicial (redução da PaO2, maior injúria pulmonar), como na SARA e em pós-operatório com dor;

C - Reduzir o trabalho muscular respiratório;

Objetivos Clínicos

- Reverter hipoxemia: aumentando a ventilação alveolar, aumentando o volume pulmonar, diminuindo o consumo de oxigênio e aumentando a oferta de oxigênio;
- Reverter a acidose respiratória aguda;
- Reduzir o desconforto respiratório;
- Prevenir ou reverter atelectasias;
- Reverter fadiga dos músculos respiratórios;
- Permitir sedação, anestesia ou uso de bloqueadores neuromusculares;
- Reduzir consumo de oxigênio sistêmico e miocárdico;
- Reduzir pressão intracraniana;
- Estabilizar parede torácica;

O II Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica resume as recomendações e indicações do suporte ventilatório do seguinte modo:

1. Importância da conceituação mais ampla de insuficiência respiratória (considerando a oxigenação tecidual) para que o paciente seja abordado amplamente.

2. Na indicação, considerar a evolução das manifestações clínicas e da monitoração dos parâmetros fisiológicos.

3. A ventilação mecânica deve ser precoce e essencialmente baseada nas manifestações clínicas do paciente.

4. Os parâmetros considerados de maior aplicabilidade e os indicadores da falência ventilatória são PaO2, PaCO2, P(A-a)O2 e PaO2/FIO2.

5. Indicações da ventilação mecânica

a) IRpA já estabelecida, decorrente de alterações da função pulmonar:

da mecânica ventilatória;
da troca gasosa.

b) Profilática: Conseqüente às condições clínicas que podem potencialmente levar à insuficiência respiratória.

Exemplo: pós-operatório.

c) Disfunção em outros órgãos e sistemas: Exemplo: choque, hipertensão intracraniana.

Autor: Luciano Souza Muchagta

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO