Protocolo para Constatação de Morte Encefálica

IDENTIFICAÇÃO DO HOSPITAL
TERMO DE DECLARAÇÃO DE MORTE ENCEFÁLICA
NOME:
PAI:
MÃE:
IDADE: __ANOS__MESES__DIAS DATA DE NASCIMENTO_/_/_

A. CAUSA DO COMA

Causa do Coma: ________________________________

Causas do coma que devem ser excluídas durante o exame:

a) Hipotermia ( ) SIM ( ) NÃO
b) Uso de drogas depressoras do sistema nervoso central ( ) SIM ( ) NÃO

Se a resposta for sim a qualquer um dos itens, interrompe-se o protocolo.

B. EXAME NEUROLÓGICO - Atenção: verificar o intervalo mínimo exigível entre as avaliações clínicas, constantes da tabela abaixo:

IDADE INTERVALO
7 dias a 2 meses incompletos 48 horas
2 meses a 1 ano incompleto 24 horas
1 ano a 2 anos incompletos 12 horas
Acima de 2 anos 6 horas

Ao efetuar o exame, assinalar uma das duas opções SIM/NÃO, obrigatoriamente, para todos os itens abaixo:

Elementos dos exames neurológicos (1º e 2º exames)

Coma aperceptivo ( )SIM ( )NÃO
Pupilas fixas e arreativas ( )SIM ( )NÃO
Ausência de reflexo córneo-palpebral ( )SIM ( )NÃO
Ausência de reflexos oculocefálicos ( )SIM ( )NÃO
Ausência de respostas às provas calóricas ( )SIM ( )NÃO
Ausência de reflexo de tosse ( )SIM ( )NÃO
Apnéia ( )SIM ( )NÃO

C. ASSINATURAS DOS EXAMES CLÍNICOS - Os exames devem ser realizados por Profissionais diferentes, que não poderão ser integrantes da equipe de remoção e transplante.

Primeiro e Segundo Exames:
DATA: / / HORA:
NOME DO MÉDICO:
CRM:
FONE:
END.:
ASSINATURA:

D. EXAME COMPLEMENTAR - Indicar o exame realizado e anexar laudo com identificação do médico responsável.

1. Angiografia Cerebral ( )2. Cintilografia Radioisotópica ( )3. Doppler Transcraniano( ) 4. Monitorização da pressão intra-craniana ( )5. Tomografia computadorizada com xenônio ( ) 6. Tomografia por emissão de foton único ( )7. EEG ( )8. Tomografia por emissão de positróns ( )9. Extração Cerebral de oxigênio ( )10. Outros (citar)___

E. OBSERVAÇÕES

1 - Interessa para o diagnóstico de morte encefálica, exclusivamente a arreatividade supraespinal. Consequentemente, não afasta este diagnóstico a presença de sinais de reatividade infraespinal (atividade reflexa medular) tais como: reflexos osteotendinosos ("reflexos profundos"), cutâneo-abdominais, cutâneo-plantar em flexão ou extensão, cremastérico superficial ou profundo, ereção peniana reflexa, arrepio, reflexos flexores de retirada dos membros inferiores ou superiores, reflexo tônico cervical.

2 - Prova calórica

2.1 - Certificar-se de que não há obstrução do canal auditivo por cerumem ou qualquer outra condição que dificulte ou impeça a correta realização do exame.
2.2 - Usar 50 ml de líquido (soro fisiológico, água, etc) próximo de 0 grau Celsius em cada ouvido.
2.3 - Manter a cabeça elevada em 30 (trinta) graus durante a prova.
2.4 - Constatar a ausência de movimentos oculares (ROV).

3 - Teste da apnéia

No doente em coma, o nível sensorial de estímulo para desencadear a respiração é alto, necessitando-se da PCO² de até 55 mmHg, fenômeno que pode determinar um tempo de vários minutos entre a desconexão do respirador e o aparecimento dos movimentos respiratórios, caso a região ponto-bulbar ainda esteja íntegra.

A prova da apnéia é realizada de acordo com o seguinte protocolo:

3.1 - Ventilar o paciente com 02 de 100% por 10 minutos.
3.2 - Desconectar o ventilador.
3.3 - Instalar cateter traqueal de oxigênio com fluxo de 6 litros por minuto.
3.4 - Observar se aparecem movimentos respiratórios por 10 minutos ou até quando o PCO² atingir 55 mmHg

4 - Exame complementar. Este exame clínico deve estar acompanhado de um exame complementar que demonstre inequivocadamente a ausência de circulação sanguínea intracraniana ou atividade elétrica cerebral, ou atividade metabólica cerebral. Observar o disposto abaixo (itens 5 e 6) com relação ao tipo de exame e faixa etária.

5 - Em pacientes com dois anos ou mais - 1 exame complementar entre os abaixo mencionados:
5.1 - Atividade circulatória cerebral: angiografia, cintilografia radioisotópica, doppler transcraniano, monitorização da pressão intracraniana, tomografia computadorizada com xenônio, SPECT.
5.2 - Atividade elétrica: eletroencefalograma.
5.3 - Atividade metabólica: PET, extração cerebral de oxigênio.

6 - Para pacientes abaixo de 02 anos:
6.1 - De 1 ano a 2 anos incompletos: o tipo de exame é facultativo. No caso de eletroencefalograma são necessários 2 registros com intervalo mínimo de 12 horas.
6.2 - De 2 meses a 1 ano incompleto: dois eletroencefalogramas com intervalo de 24 horas.
6.3 - De 7 dias a 2 meses de idade (incompletos): dois eletroencefalogramas com intervalo de 48h.

7 - Uma vez constatada a morte encefálica, cópia deste termo de declaração deve obrigatoriamente ser enviada ao órgão controlador estadual (Lei 9.434/97,Art. 13).

1 Comentário:

Jacque disse...

Existe uma resolução que regularmente a atuação do fisioterapeuta no processo de diagnóstico morte encefálica, tal como existe para os médicos e enfermeiros?

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO