Exercícios Físicos e Gravidez

As mulheres sedentárias apresentam um considerável declínio do condicionamento físico durante a gravidez. Além disto, a falta de atividade física regular é um dos fatores associados a uma susceptibilidade maior a doenças durante e após a gestação.
Há um consenso geral na literatura científica de que a manutenção de exercícios de intensidade moderada durante uma gravidez não-complicada proporciona inúmeros benefícios para a saúde da mulher.
Apesar de ainda existirem poucos estudos nesta área, exercícios resistidos de intensidade leve a moderada podem promover melhora na resistência e flexibilidade muscular, sem aumento no risco de lesões, complicações na gestação ou relativas ao peso do feto ao nascer. Conseqüentemente, a mulher passa a suportar melhor o aumento de peso e atenua as alterações posturais decorrentes desse período.
A atividade física aeróbia auxilia de forma significativa no controle do peso e na manutenção do condicionamento, além de reduzir riscos de diabetes gestacional, condição que afeta 5% das gestantes. A ativação dos grandes grupos musculares propicia uma melhor utilização da glicose e aumenta simultaneamente a sensibilidade à insulina.

Indicações de Exercícios Durante a Gravidez

Todas as mulheres que não apresentam contra-indicações devem ser incentivadas a realizar atividades aeróbias, de resistência muscular e alongamento. As mulheres devem escolher atividades que apresentem pouco risco de perda de equilíbrio e de traumas.
Deve-se tomar o cuidado de não se exercitar vigorosamente em climas muito quentes e de prover a hidratação adequada, de modo a não prejudicar a termorregulação da mãe.

Recomendações:

Em grávidas já ativas, manter os exercícios aeróbios em intensidade moderada durante a gravidez;
Evitar treinos em freqüência cardíaca acima de 140 bpm. Exercitar-se três a quatro vezes por semana por 20 a 30 minutos. Em atletas é possível exercitar-se em intensidade mais alta com segurança;
Os exercícios resistidos também devem ser moderados. Evitar as contrações isométricas máximas;
Evitar exercícios na posição supina;
Evitar exercícios em ambientes quentes e piscinas muito aquecidas;
Desde que se consuma uma quantidade adequada de calorias, exercício e amamentação são compatíveis;
Interromper imediatamente a prática esportiva se surgirem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangramento vaginal, tontura, náusea ou vômito, palpitações e distúrbios visuais;
Não existe nenhum tipo específico de exercício que deva ser recomendado durante a gravidez. A grávida que já se exercita deve manter a prática da mesma atividade física que executava antes da gravidez, desde que os cuidados acima sejam respeitados.

Contra-Indicações de Exercícios Durante a Gravidez

Absolutas:

Doença miocárdica descompensada;
Insuficiência cardíaca congestiva;
Tromboflebite;
Embolia pulmonar recente;
Doença infecciosa aguda;
Risco de parto prematuro;
Sangramento uterino;
Isoimunização grave;
Doença hipertensiva descompensada;
Suspeita de estresse fetal;
Paciente sem acompanhamento pré-natal.

Relativas:

Hipertensão essencial;
Anemia;
Doenças tireoidianas;
Diabetes mellitus descompensado;
Obesidade mórbida;
Histórico de sedentarismo extremo.

Fonte: Revista Brasileira de Reumatologia

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO