Coluna vertebral na postura ereta

A posição ereta do homem só foi possível pelas modificações que surgiram na coluna. A cabeça teve que se equilibrar na porção superior da coluna e, assim, permitir que os olhos pudessem ficar voltados para a frente; a cabeça e o tronco tiveram que se equilibrar sobre os membros inferiores, por meio da cintura pélvica; e o corpo todo teve que se apoiar no espaço ocupado pelas plantas dos pés, com isso modificando o centro de gravidade.
Essas manobras só foram possíveis pelo aparecimento das curvas lordóticas, secundárias, na região cervical e na lombossacra; nisto desempenhou papel fundamental a massa muscular, por desenvolver uma força antigravitacional poderosa, que permitiu aos primitivos seres antropóides erguer-se do chão, adquirir a postura ereta mantê-la e andar. Esses atos eram voluntários, comandados pelo sistema nervoso central, e, com o passar dos séculos, transformaram-se em atos regulados pelo sistema nervoso involuntário.
O feto da espécie humana encontra-se, no útero, numa posição de flexão total, com a coluna em "C", cifótica. O único músculo de inervação voluntária que está em atividade é o iliopsoas, que permite ao feto dar pontapés. Este, porém, não pode dar cabeçadas.
Na vida pós-natal, a criança consegue, logo nas primeiras semanas, levantar a cabeça, o que é feito pela presença da musculatura antigravitacional do pescoço e resulta na formação da lordose cervical. Aos nove meses, quando a criança começa a engatinhar e a sentar, surge a presença da musculatura da região lombar, antigravitacional, que molda a curvatura da coluna na região lombossacral. O início do amadurecimento neuromuscular, que se manifesta no controle dos esfíncteres e dos glúteos, permite à criança ficar de pé.
As curvas são divididas em primária, que já existe no feto e é a cifose dorsal, e secundárias ou adquiridas, que são as lordoses cervical e lombar.
Essas curvas (lordose cervical e lombar), convexas anteriormente, são moldadas pelos músculos e pelos discos intervertebrais, que são cuneiformes. Na região dorsal, a curvatura é côncava anteriormente e determinada pelas alturas dos corpos vertebrais.
Os bebês devem passar os primeiros meses em pronação ou supinação, ou seja, devem ser deitados em decúbito ventral, como ocorre no Brasil e nos Estados Unidos, ou em decúbito dorsal, como é tradição na Inglaterra ou vários países europeus. As crianças colocadas em decúbito dorsal têm maior desenvolvimento motor; alguns autores acreditam que esta posição seja a causa do aparecimento da escoliose infantil, comum na Inglaterra e praticamente inexistente no Brasil e nos Estados Unidos.


Figura: Evolução cronológica do desenvolvimento da postura no homem. A -Coluna no útero não tem nenhuma curvatura. B - Formação da lordose cervical para suportar a elevação da cabeça. C - Formação da lordose lombar devido à força antigravitacional dos músculos.

Durante os dois primeiros anos de vida, as vértebras lombares crescem rapidamente, com conseqüente alongamento lombar e aumento das nádegas, resultantes da posição ereta.
Acompanhando 600 crianças de um orfanato, verificou-se que, durante o crescimento, de 2 a 6 anos, os joelhos se aproximam (joelho valgo) para dar uma base mais ampla, feita por uma torção da tíbia.
A taxa de crescimento em altura diminui rapidamente nos dois primeiros anos e continua a diminuir na idade pré-escolar, havendo um pequeno aumento entre 11 e 14 anos, para as meninas, e entre 12 e 15 anos, para os meninos. A mesma evolução ocorre em relação ao peso.
Até os 9 anos, não há diferenças significativas entre meninos e meninas, apesar de as meninas serem um pouco mais gordas e um pouco mais baixas. A partir daí, as meninas crescem mais rapidamente e essa taxa de crescimento continua por 2 a 3 anos, sendo a velocidade máxima atingida por volta de 12 anos, aproximadamente um ano antes da menarca. Nos meninos, tudo ocorre dois anos mais tarde. Entre 16 e 18 anos, cessa o crescimento em estatura e o ponderal.
O crescimento das partes do corpo é diferenciado. Durante a infância, o crescimento mais rápido é o da cabeça; depois, o do tronco. No segundo ano, as pernas começam a crescer mais rapidamente que o tronco, e isso continua até o início do crescimento da puberdade, quando, em ambos os sexos, o tronco cresce mais rapidamente do que os membros. Nos meninos, os ossos da cintura escapular crescem mais rapidamente do que os da cintura pélvica, e,nas meninas, vice-versa.
O peso corporal está em função da gordura, músculos e vísceras. Os músculos constituem-se no maior contingente do peso corporal. No nascimento, constituem 25% do peso corporal, e, no início da adolescência, podem constituir 43% do peso corporal.

Fonte: Knoplich, José - Endireite as costas

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO