Perguntas e respostas corretas de concursos anteriores II

Sobre os efeitos da imobilização:

Quanto maior a duração da imobilização, maiores a atrofia do músculo e a perda da força funcional.
Se um músculo é imobilizado por um tempo prolongado, ocorre um declínio nas proteínas contráteis e uma diminuição do número de miofibrilas, resultando em atrofia e fraqueza.
Um músculo imobilizado na posição encurtada por várias semanas produz uma quantidade maior de tecido conjuntivo; ocorre uma diminuição no comprimento do músculo, uma redução do número de sarcômeros em série dentro das miofibrilas e diminui sua capacidade de produzir tensão máxima no comprimento de repouso normal, ou seja, ocorre um desvio da curva comprimento-tensão para a esquerda.

Sobre os exercícios terapêuticos:

Os exercícios isométricos são indicados para desenvolver a força muscular quando o exercício dinâmico pode comprometer a integridade articular.
Os exercícios passivos ou movimentos passivos são realizados por forças externas com o objetivo de diminuir as complicações da imobilização.
Exercício ativo assistido é indicado quando o paciente apresenta fraqueza muscular e é incapaz de mover a articulação contra a gravidade sem um auxílio externo.

Sobre as características mecânicas do tecido conjuntivo:

Na pele, as fibras de colágeno dispõem-se aleatoriamente e são mais fracas para resistir à tensão.
Nos tendões, as fibras de colágeno ficam paralelas e podem resistir a uma carga tensiva maior. Além disso, elas transmitem para o osso as forças produzidas pelo músculo.
Os ligamentos que resistem a sobrecargas nas grandes articulações têm fibras de colágeno com uma orientação mais paralela e uma área de secção transversa mais larga.

São características das contrações concêntricas e excêntricas:

Uma contração concêntrica máxima produz menos força do que uma contração excêntrica máxima.
Com uma contração concêntrica, um maior número de unidades motoras precisa ser recrutado para controlar a mesma carga em comparação com uma contração excêntrica.
Com uma contração excêntrica, as forças exercidas pela carga são controladas não só pelos componentes contráteis ativos do músculo, mas também pelos não contráteis.

São sinais e sintomas de lesão do neurônio motor superior:

Reflexos patológicos positivos.
Espasticidade.
Hipertonia.

São características do quadro de disfunção têmporo-mandibular:

Movimentos cervicais podem estar limitados se comprimirem ou forçarem a ATM.
Dor pode ser referida ao pescoço ou à cabeça.
Início insidioso.

Questões diversas:

Em cardiopatas, deve-se evitar a realização de contrações isométricas puras.

O volume expiratório forçado no 1o segundo é baixo em portadores de distúrbios ventilatórios obstrutivos.

A persistência do reflexo de preensão plantar impede a marcha normal.

A ausência do reflexo postural tônico no primeiro ano de vida indica lesão cerebral.

A reação de marcha em recém-nascidos dá a impressão de marcha automática até os dois meses de vida.

O uso de uma bengala atrapalha a seqüência normal distal para proximal nos membros inferiores e muitas das respostas de equilíbrio são transferidas para o braço, ombros e tronco, no TCE.

Dentre os fatores que podem influenciar a recuperação após um TCE, podemos citar a inteligência, a memória, o nível de educação, a idade e os déficits físicos existentes.

Os distúrbios motores que resultam da lesão cerebral, no TCE, geralmente têm um bom prognóstico.
As regiões pulmonares inferiores apresentam pressão intrapleural menos negativa que as regiões superiores.

A resposta ventilatória ao dióxido de carbono é reduzida por fatores como sono e envelhecimento.

Receptores da musculatura lisa das vias aéreas são capazes de diminuir a freqüência respiratória quando estirados.

A ventilação de um paciente com retenção crônica de dióxido de carbono pode ser deprimida quando ventilado com altas frações de oxigênio.

O ciclo ativo da respiração consiste em controle respiratório, exercícios de expansão torácica e técnicas de expiração forçada.

Alterações da estrutura da parede brônquica, como cartilagem menos desenvolvida e aumento nas glândulas mucosas, predispõem a obstrução e o colapso das vias aéreas de lactentes.

Existem menos alvéolos na criança, portanto, menor área de superfície para troca gasosa.

Os músculos respiratórios de um lactente possuem menos fibras resistentes à fadiga (tipo I) do que os dos músculos de um adulto.

Pneumotórax, obstruções nasais e distensão gástrica são possíveis complicações do uso da CPAP nasal.

Em situações em que a capacidade residual está diminuída, a utilização da CPAP pode promover maior distensão alveolar e recrutamento de alvéolos colapsados.

A CPAP pode ser indicada em casos de: apnéia da prematuridade, síndrome de aspiração de mecônio, doença de membrana hialina, taquipnéia transitória do recém-nascido e desmame do respirador.

A FiO2 deve ter o mínimo valor necessário para garantir SatO2 dentro dos valores fisiológicos.

O tempo inspiratório deve ser ajustado, levando-se em consideração a complacência e resistência dos pulmões.

O auto-PEEP ocorre quando o tempo expiratório é menor que cinco vezes a constante de tempo do sistema respiratório.

Luxação congênita do quadril – Sinal de Ortolani.

Tromboflebite de veias profundas – Sinal de Homans.

Fraqueza de abdutores do quadril – Sinal de Trendelemburg.


Quanto à ausculta pulmonar:

O atrito pleural é ouvido igualmente durante a inspiração e expiração.
Broncoespasmo, edema de mucosa e secreções pulmonares são causas de sibilos.
Os sons respiratórios normais são ouvidos durante toda a inspiração e por um curto período da expiração

O distúrbio de equilíbrio ácido-básico apresentado na gasometria arterial ph = 7,48; PCO2 = 24 mmHg; PO2 = 90 mmHg; SatO2 = 96 %; HCO3 = 22 mmol/L; BE= -1 mmol/L ; trata-se de:

Alcalose respiratória.

A exposição às altas frações inspiradas de oxigênio pode causar:

Displasia broncopulmonar.
Retinopatia da prematuridade.
Edema e hiperemia da mucosa brônquica.

Sobre a técnica de Expiração Lenta Prolongada (ELPr).

Produz aumento da pressão intracraniana, por isso deve ser evitada em prematuros.

São indicações da hiperinsuflação manual:

Remoção de secreções brônquicas.
Melhora da complacência pulmonar.
Expansão de segmentos atelectásicos.

Em relação ao posicionamento de recém-nascidos:

O posicionamento em prono oferece maior estabilidade à caixa torácica, além de proporcionar aumentos na PaO2 e na complacência pulmonar.
Na posição prona, o padrão flexor do bebê está facilitado e o neonato permanece maior tempo em sono quieto e chora com menor freqüência nessa postura.
O decúbito ventral minimiza os efeitos do refluxo gastroesofágico e reduz os riscos de aspiração, entretanto, é o decúbito que oferece maiores desvantagens para a mecânica respiratória.

Sobre o Exercício com Fluxo Lento Controlado (EDIC).

É solicitada ao paciente uma inspiração profunda, lenta e sustentada.

Em relação à Ventilação Mecânica:

No modo de ventilação mecânica controlada, o volume ou a pressão e a freqüência dos ciclos de ventilação são predeterminados pelo operador.
No modo de ventilação mecânica mandatória intermitente, o aparelho permite que o paciente respire espontaneamente no intervalo entre os ciclos controlados.
No modo de ventilação mecânica assistida-controlada, o aparelho libera a ventilação quando existe falha do paciente em deflagrar a respiração dentro de certo intervalo de tempo.

São indicações da ventilação mecânica não-invasiva;

Cifoescoliose grave.
Doenças neuromusculares.
Doença pulmonar obstrutiva crônica
.
A relação entre alguns parâmetros do sistema circulatório contribui para regular o fluxo sangüíneo através dos tecidos. As alternativas abaixo são componentes da Lei de Poiseuille (Lei do Fluxo):

Raio do vaso.
Viscosidade do sangue.
Gradiente de pressa no vaso.

Caracterizam justificativas para o aumento na ventilação pulmonar durante o esforço físico:

Aumento na temperatura tecidual.
Diminuição na pressão parcial de oxigênio nos tecidos.
Aumento na concentração sérica de dióxido de carbono.

Como efeito agudo do exercício de endurance (aeróbico), podemos citar o aumento na concentração sérica dos hormônios:

Adrenalina.
Vasopressina (ADH).
Hormônio do crescimento (GH).

Déficit motor caracterizado por um aumento dependente da velocidade no reflexo de estiramento tônico, sendo componente da síndrome do neurônio motor superior é:

Espasticidade.

Em relação ao controle do movimento:

A velocidade de condução nervosa é diretamente proporcional à espessura da bainha de mielina que recobre os axônios.

Quanto ao processo de reparação tecidual:

Remodelagem ocorre ao longo de um período que varia de vários meses até anos, com a reposição parcial do colágeno do tipo III pelo tipo I.
A fase aguda ou inicial da resposta inflamatória se prolonga por 24 a 48 horas, sendo seguida por uma fase subaguda ou tardia que se prolonga por mais 10 a 14 horas.
Alguns tipos de prostaglandinas são pró-inflamatórias e aumentam a permeabilidade vascular, sensibilizam os receptores da dor e atraem leucócitos para a área.

Na aplicação terapêutica da Estimulação Nervosa Elétrica Transcutânea (TENS):

No tratamento da dor fantasma, o TENS pode ser usado somente à noite, quando a dor é freqüentemente mais intensa.
A forma de onda mais comumente produzida é uma onda quadrada balanceada, assimétrica, com um componente de corrente direta.
Pequenas durações de pulso exigem elevadas amplitudes para que sejam gerados os impulsos adequados, enquanto que duração de pulsos maiores exigem amplitudes mais baixas.

Durante essa subfase da marcha normal, o quadril continua a flexionar-se e rodar medialmente e o joelho atinge sua extensão máxima. No tornozelo, ocorreu dorsiflexão. O antepé está supinado e o retropé revertido. O texto refere-se a:

Balanço terminal.

São características da instabilidade do ombro do tipo AMBRI:

Reabilitação como tratamento apropriado e raramente cirurgia.
Causa atraumática.
Instabilidade multidirecional.

Sobre o tratamento fisioterapêutico por meio de ondas curtas, a alternativa correta:

Os eletrodos usados podem ser flexíveis de borracha, Schliephake e ainda de bobina.

Há diferenças significativas entre as capacidades cognitivas de pacientes com hemiplegia esquerda e hemiplegia direita, que influenciam o modo pelo qual o paciente percebe e aprende e o fisioterapeuta deve usar diferentes abordagens dependendo da lateralidade da lesão.

O hemiplégico esquerdo muitas vezes demonstra comprometimento da percepção visomotora e perda da memória visual.
O hemiplégico direito tem grande dificuldade de se comunicar eficazmente, tendo o grau de retenção auditiva e de vocabulário reduzido.
O hemiplégico direito tem condições de evoluir bem no processo de reabilitação, aprendendo com os erros.

Dentre as ações gerais da crioterapia, está o alívio da dor e existem algumas teorias que são aceitas no meio científico. A crioterapia alivia a dor:

Por decréscimo na transmissão das fibras de dor.
Através da redução no metabolismo tecidual.
Por promover a liberação de endorfinas.

A hidroterapia é um grande recurso na reabilitação e prevenção no agravo de diversas disfunções.

Dentre os efeitos terapêuticos do exercício em água aquecida, observam-se redução da sensibilidade à dor e redução de espasmos musculares.
Na hidroterapia, antes de iniciar exercícios de fortalecimento e alongamento, é necessária uma fase de aquecimento, que provoca aumento da temperatura e circulação nos músculos, deixando-os mais flexíveis e reduzindo as chances de lesão.

Sobre a Lei Federal 8.142/90:

Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências.

O sucesso de um programa de reabilitação para pacientes com DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) depende da atenção a todos os componentes do processo patológico.

A mobilização da secreção (em pacientes hipersecretivos), através de técnicas manuais é um item fundamental no tratamento fisioterapêutico dos pacientes com DPOC para a desobstrução das vias aéreas.
Após a mobilização e desprendimento da secreção o huffing (promove estabilização da via aérea) e a tosse são técnicas importantes para a limpeza eficaz da via aérea de pacientes com DPOC.
O exercício ajuda mobilizar secreções centralmente e a tosse pode ser utilizada para limpar essa secreção mobilizada pelo exercício ou ainda utilizada antes do exercício como um recurso de limpeza da via aérea para uma ventilação eficaz durante o exercício.

Sobre os princípios e diretrizes do SUS:

Capacidade de resolução dos serviços em todos os níveis de assistência.
Direito à informação, às pessoas assistidas, sobre sua saúde.
Integralidade de assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.

Sobre cinesioterapia:

O exercício isotônico envolve movimento de um peso constante através de uma amplitude de movimento.

A lei 8.080/90 regula em todo o território nacional as ações e serviços de saúde. Baseado nessa lei, a alternativa correta:

A saúde tem como fatores determinantes e condicionantes, entre outros, a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais.

Sobre o mecanismo de ação do ultra-som:

A propagação de energia ultra-sonográfica nos tecidos depende das características de absorção dos meios biológicos e da reflexão da energia ultra-sonográfica nas interfases teciduais.

No exame físico de um paciente com queixa de lombalgia, o fisioterapeuta deve:

Realizar palpação cuidadosa da região lombar que pode acusar presença de espasmo, contorno anormal e dor.
Avaliar a marcha, observando a velocidade, cadência e padrões de movimento dos membros inferiores, pelve e tronco.
Realizar manobra de Lasegue para detectar irritação de raiz nervosa.

Frente a um paciente amputado, é importante ter clareza das metas da reabilitação.

Quando há possibilidade de protetizar o paciente, o programa pós-operatório pode ser dividido em duas fases: pré-protética (em que a meta principal é a preparação física e psicológica do indivíduo para reabilitação protética) e fase protética.
A longo prazo o programa de reabilitação global visa à recuperação funcional, o mais próximo do nível pré-operatório.
A curto prazo inicia-se a instrução nos cuidados com o membro residual, inclusive com enfaixamento do referido membro, se indicado.

De acordo com a Norma Operacional da Assistência à Saúde/SUS (NOAS-SUS 01/02)

Visa instituir a Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada como uma das condições de gestão dos sistemas municipais de saúde.

Para avaliar um paciente, o fisioterapeuta necessita de conhecimentos específicos sobre a função muscular.

O músculo braquiorradial é testado fazendo se resistência à flexão do antebraço, com antebraço a meio caminho entre a pronação e a supinação.

Todas as doenças e agravos citados são de notificação compulsória, em todo o território nacional, segundo Portaria do Ministério da Saúde de nº. 5, de 21 de fevereiro de 2006:

Cólera, febre amarela, dengue, raiva humana.

Quanto à conduta fisioterapêutica na incontinência urinária:

A freqüência do estímulo elétrico é fator crucial para o sucesso do tratamento.
Os exercícios para o assoalho pélvico foram descritos, inicialmente, por Arnold Kegel.
Para a hiperatividade do detrusor, as freqüências ideais oscilam entre 5 e 20 Hz.
Os cones vaginais são indicados no tratamento de incontinência urinária de esforço.

Quanto aos aspectos fisioterapêuticos durante o trabalho de parto:

A posição de decúbito lateral esquerdo, associada à respiração lenta e profunda, na primeira fase do trabalho de parto, facilitará um melhor afluxo de sangue e oxigênio útero-placentário.

Quanto à conduta fisioterapêutica no puerpério imediato:

O repouso das 6 primeiras horas após o parto deverá ser respeitado pelo fisioterapeuta.
O fisioterapeuta deverá avaliar a existência de algum sinal de formação de trombos nos membros inferiores, antes de iniciar o tratamento. Com esta finalidade, o maléolo interno, a fossa poplítea e a região inguinal devem ser palpadas.
A intervenção fisioterapêutica pode ser iniciada pela reeducação da função respiratória, buscando um tipo de respiração predominantemente diafragmática através da propriocepção e do comando verbal.
A estimulação do aparelho circulatório é feita por meio de exercícios para as extremidades (pés e mãos).

Quanto à conduta fisioterapêutica pós-mastectomia radical:

Durante o tempo de internação da paciente, orienta-se que ela mantenha seu membro superior homolateral à cirurgia, apoiado sobre travesseiros, levemente abduzido (45º) e com um pouco de elevação (30º).

Sabendo-se que a esclerose múltipla é uma patologia crônica, difusa e progressiva do sistema nervoso central, Quadro que corresponde à alteração clínica que caracteriza essa doença:

Espasticidade.
Ataxia.
Disfunções Visuais.
Tremor não intencional.

O parkinsonismo apresenta, clinicamente, três sinais clássicos.

Rigidez, bradicinesia e tremor.

Na siringomielia, a fisioterapia atua, principalmente, no quadro desenvolvido pelo curso da patologia.

A dor na fase inicial da doença localiza-se no pescoço e nos ombros.

Sobre a luxação congênita do quadril:

A articulação não consegue abduzir.
O membro inferior acometido encontra-se encurtado e a criança claudica ao deambular.

A compressão nervosa, um dos principais problemas encontrados em herniação do disco intervertebral, promove:

Restrição de movimentos da coluna vertebral.
Dor local e irradiada.
Alteração da sensibilidade.
Encurtamentos musculares.

Em relação a um paciente idoso, com quadro de osteoporose, em pós-operatório de prótese total de quadril:

A cinesioterapia ativa, através de exercícios isotônicos concêntricos e excêntricos é um recurso adequado.

As técnicas de alongamento muscular quer sejam ativa ou passiva, têm sua aplicação restringida em pacientes portadores de:

Síndrome de Down.

Corresponde aos efeitos fisiológicos de importância terapêutica produzidos pelo calor através da termoterapia:

Aumenta a extensibilidade do tecido colágeno.
Produz a diminuição da dor.
Diminui a rigidez das articulações.
Ajuda na resolução dos infiltrados, edema e exsudatos inflamatórios.

A utilização da massoterapia proporciona:

A quebra de aderências mio-fasciais.

Uma criança apresenta lesão de plexo braquial, do tipo Klumpke:

Os pais deverão ser orientados no manuseio da criança durante o banho, posicionamento durante o sono, na amamentação e, também, dos brinquedos.

Na luxação recidivante do ombro, pós-redução, a fisioterapia atua com o objetivo de aumentar:

A força dos músculos do manguito rotador e dos músculos escapulares.

Existem várias sinonímias para a Espondilite Anquilosante e dentre elas, cita-se a Espondilite Ancilosante. Quanto à atuação eficaz da fisioterapia:

A Cinesioterapia ativa e/ou passiva acompanhada de um ou mais recursos quer seja a hidroterapia ou termoterapia, ajudam a minimizar a ação desta doença.

A coluna vertebral de um paciente idoso pode estar predisposta a alguma lesão ou a uma condição dolorosa e isto se deve a algumas modificações.

No processo de envelhecimento a flexibilidade da coluna diminui quase dez vezes em relação a dos indivíduos normais.
Ocorre uma perda correspondente de força nos músculos do tronco de aproximadamente 1% ao ano.
Ocorre um processo de desidratação dos discos intervertebrais.
Há uma redução, em aproximadamente 20% dos espaços intervertebrais.

Alterações anatômicas e fisiológicas ocorrem nos idosos. Esse conhecimento é importante para os profissionais da área da saúde para que possam realizar uma assistência adequada a essa população. No sistema músculo esquelético, dentre outras alterações, ocorre:

Diminuição dos arcos plantares.
Deterioração das articulações intervertebrais.
Massa muscular cai para 12%.
Redução aquosa, passa a ser 52%.

Algumas patologias respiratórias podem apresentar como conseqüência a perda do tecido visco elástico, alteração na estrutura do parênquima pulmonar, levando a uma redução na complacência pulmonar que determina:

Aumento na freqüência respiratória e redução da capacidade pulmonar total.

As variações pressóricas necessárias para determinar a mobilização do fluxo inspiratório durante o ciclo respiratório são determinadas principalmente pela ação dos músculos respiratórios. Sobre os músculos respiratórios podemos afirmar:

A posição de retificação do diafragma leva a um encurtamento do mesmo na posição de repouso e reduz sua força de contração durante a inspiração.

A incidência e a prevalência da hipertensão arterial sistêmica têm aumentado nos últimos anos, tanto em homens quanto nas mulheres. É considerada como uma patologia de etiologia multifatorial cujo tratamento engloba o uso de medicamentos e a prática regular do exercício que pode contribuir para controle da pressão arterial. Quanto ao programa de treinamento do paciente hipertenso:

O programa de tratamento deve ser baseado nos princípios de especificidade, duração, freqüência, reversibilidade e intensidade.
As atividades devem contemplar exercícios de alongamento, exercícios aeróbicos e uma fase de relaxamento.
Um dos parâmetros usados para monitorizar a intensidade do programa de tratamento do hipertenso é a freqüência cardíaca de treinamento que para ser calculada depende da freqüência cardíaca de repouso, da freqüência cardíaca máxima e do nível de intensidade de esforço desejada.

O programa de reabilitação cardíaca contribui para a melhora da qualidade de vida dos pacientes ajudando a reintegração dos pacientes as suas atividades de rotina e reduzindo os sintomas:

Dentre os efeitos colaterais da administração de diuréticos para controle da pressão arterial, pode ser observada a depleção de potássio e de outros íons que podem limitar o desempenho na prática de exercícios físicos.
A presença de tontura, síncope, dispnéia, angina, obnubilações são alguns sintomas que podem evidenciar a intolerância ao exercício.

O tratamento fisioterapêutico do paciente amputado deverá ser iniciado de forma precoce para a recuperação funcional. Sobre o tratamento de pacientes amputados:

O tratamento tem como objetivo acelerar a protetização, o retorno às atividades, a redução do edema, cicatrização do coto, manter ou aumentar a força de ambos os membros, cuidados no leito, prevenção de contraturas articulares.
O fisioterapeuta desempenha papel fundamental quando da reeducação funcional do paciente amputado, acompanhando o paciente em todas as etapas do programa de reabilitação desde o estágio pré e pós-operatório, na educação e treinamento da mobilidade pré e pós-protéica e contribuindo para a manutenção das funções músculo esqueléticas.
O tratamento da dor fantasma que atue nas terminações nervosas e reduza os reflexos aferentes pode ser realizado com o uso de recursos eletroterápicos como, por exemplo, a estimulação transcutânea.

As cirurgias tóraco abdominais podem apresentar algumas complicações que repercutem no sistema respiratório, prejudicando a função pulmonar. Dentre as complicações no pós-operatório

A presença de posturas antálgicas que podem limitar a mecânica respiratória.
Do ponto de vista dos volumes e capacidades pulmonares, apresentar uma redução da capacidade pulmonar total.
A presença de áreas de atelectasias pode alterar a relação V/Q.
Alguns mecanismos fisiológicos podem estar ausentes ou diminuídos como, por exemplo, o mecanismo de suspiro.

O tratamento das pneumopatias exige conhecimento da fisiologia e da fisiopatologia, a fim de fundamentar a intervenção fisioterapêutica. Sobre as pneumopatias:

A crise de asma caracteriza-se do ponto de vista sintomatológico pela presença de dispnéia podendo apresentar ao exame a presença de tiragens, sibilos e quadro de hiperinsuflação.
A presença de atelectasia pode ser observada em decorrência da presença de tampões mucosos, ausência de inspirações profundas, em pacientes pós-operatório de cirurgia tóraco-abdominal e pode, também, ser decorrente da depressão do sistema respiratório como efeito colateral de drogas anestésicas.

No paciente com amputação de membro inferior em pós-operatório a Fisioterapia tem como objetivo:

Usar o enfaixamento, moldando o coto para o uso da prótese e para reduzir o edema.

A avaliação do paciente no leito apresenta algumas limitações. No entanto, esta é uma rotina nos casos de pacientes graves, onde a avaliação da mecânica respiratória é de extrema importância e deve fornecer dados importantes para nortear o tratamento fisioterapêutico. Sobre os músculos respiratórios:

Em pacientes que no repouso utilizam o esternocleidomastoideo durante a fase inspiratória pode ser evidenciado aumento do trabalho respiratório.
O uso de corticóide por longos períodos pode acarretar miopatia nos músculos respiratórios que, em geral, se expressa por uma redução nas pressões dos músculos respiratórios.
Na presença de hiperinsuflação pulmonar, as fibras do diafragma encontram-se em desvantagem mecânica e o paciente pode apresentar o Sinal de Hoover e, também, tiragens.
A função inspiratória do diafragma encontra-se prejudicada na presença de hipotonia dos músculos abdominais. A pressão abdominal contribui para determinar o grau de estiramento das fibras diafragmáticas.

No paciente portador de queimaduras, o tratamento fisioterapêutico deverá ser iniciado de forma precoce para a recuperação funcional. São objetivos do tratamento de pacientes queimados:

Manter a amplitude dos movimentos.
Reduzir os riscos de complicações e as contraturas cicatriciais.
Promover a independência nas atividades de vida diária.
Prevenir complicações pulmonares.

Todas as situações abaixo representam causas da instalação do linfedema dos membros superiores pós mastectomia:

Ressecção ganglionar axilar homolateral.
Radioterapia pós-operatória em pacientes obesos.
Limitação de movimentos do membro superior homolateral.
Infecção e deiscência da ferida operatória devido à cicatrização.

A camada líquida que reveste os alvéolos pulmonares tem normalmente um conjunto de compostos que atuam sobre a tensão superficial. Com relação à ação do surfactante pulmonar:

Diminui mais a tensão superficial nos alvéolos menores.

Respiração por pressão positiva intermitente – RPPI refere-se a um dos recursos da fisioterapia respiratória com objetivo de gerar a insuflação dos pulmões, por meio da utilização de um aparelho ventilatório.

Este recurso poderá ser utilizado em pacientes em respiração espontânea.

O músculo é o único tecido capaz de desenvolver tensão ativamente. Sendo assim, quanto as suas propriedades e funções:

As fibras de contração lenta apresentam elevada concentração de mitocôndrias, menor capacidade de manipular o cálcio e são resistentes à fadiga.

A ventilação alveolar representa o (a):

Porção da ventilação global que a cada minuto alcança a zona respiratória.

Quanto aos exercícios na fase de fortalecimento, em paciente com luxação glenoumeral anterior, que grupos musculares devem ser fortalecidos?

Rotadores internos e adutores.

“Encefalopatia extrapiramidal, que se caracteriza por quadro progressivo de tremor, rigidez, bradicinesia, alteração postural em semiflexão de tronco e membros, falta de reação de equilíbrio e diminuição da rotação do tronco”. A descrição acima se refere aos sinais e sintomas cardinais referentes à:

Doença de Parkinson.

As deformidades brônquicas e a supuração são características das bronquiectasias, que podem ser classificadas em:

Cilíndricas, saculares, císticas e indeterminadas.

A úlcera de pressão constitui sério problema que afeta aproximadamente 10% do total de pacientes hospitalizados. São condições que favorecem o aparecimento e evolução da úlcera de pressão:

Força aplicada perpendicularmente à pele, ocasionando oclusão do fluxo sangüíneo.
Pressão maior que 25 mmHg compromete a perfusão, causando isquemia.
Fricção e umidade são fatores que contribuem para a formação de úlceras.

Uma criança com 02 anos de idade e histórico de parto distócico, sofrendo fratura de clavícula esquerda. Ao exame fisioterapêutico, observa-se para o membro superior esquerdo, hipotrofia, paralisia flácida, hipotonia, manobra de cachecol positiva, arreflexia osteotendinosa, postura em rotação interna e adução. A descrição refere-se à:

Paralisia de Erb-Duchene.

Quanto ao mecanismo do trauma nas entorses do tornozelo, por inversão, ocorre acometimento capsular e distensão músculo-ligamentar de:

Ligamentos talo-fibular anterior e calcâneo; músculos fibulares.

É fenômeno biofísico do transporte de líquidos através da aplicação da corrente elétrica, utilizada no tratamento de edemas traumáticos periféricos.

Eletrólise.

São os principais objetivos do programa de exercícios na artrite reumatóide, quanto aos joelhos:

Fortalecimento de músculos extensores e abdutores; alongamento de flexores e adutores.

Em hidroterapia as propriedades físico-químicas da água têm uma grande importância terapêutica, como, também, o principio de Arquimedes, que favorece primordialmente, a:

Mobilidade articular.

A pressão de fluido é exercida, de forma igual, em qualquer nível em direção horizontal, de onde se conclui que a pressão é igual em uma profundidade constante. Esta afirmativa é conhecida como:

Lei de Pascal.

Os sinais motores são transmitidos do córtex para a medula espinhal de forma direta e indireta, respectivamente, pelas seguintes estruturas:

Feixe corticoespinhal e gânglios da base.

São indicativos de patologia neurológica:

Fibrilações e movimentos anormais.

Que movimentos do quadril ocorrem no plano transverso em torno do eixo vertical?

Rotação medial e lateral.

Classificações das queimaduras:

1º grau - Atingem as camadas superficiais da pele. Apresentam vermelhidão, inchaço e dor local suportável, sem a formação de bolhas.

2º grau - Atingem as camadas mais profundas da pele. Apresentam bolhas, pele avermelhada, manchada ou com coloração variável, dor, inchaço, desprendimento de camadas da pele e possível estado de choque.

3º grau - Atingem todas as camadas da pele e podem chegar aos ossos. Apresentam pouca ou nenhuma dor e a pele branca ou carbonizada.

Os tipos de incontinência urinária e o modo e o momento do início da incontinência:

Incontinência por transbordamento - Acúmulo de urina na bexiga que se torna muito grande para que o esfíncter urinário consiga reter e, conseqüentemente, a urina escapa intermitentemente, freqüentemente sem sensação da bexiga.

Incontinência por esforço - Escape de urina, habitualmente em pequenos jatos, causado pelo aumento da pressão abdominal, o qual ocorre quando o indivíduo tosse, ri, faz força, espirra ou levanta um objeto pesado.

Incontinência total - Escape contínuo, pois o esfíncter urinário não fecha.

Incontinência de urgência - Incapacidade de postergar a micção por mais de alguns minutos após sentir a necessidade de urinar.

Em relação às características da contração muscular:

A contração do tipo excêntrica quando comparada à concêntrica e à isométrica é a que gera maior quantidade de força.
A contração isométrica é normalmente utilizada para ganho de força nas fases iniciais do processo de reabilitação.

Em relação a pacientes com Distrofia Muscular do Tipo Duchenne:

A marcha gingada do paciente deve-se a uma fraqueza mais pronunciada do músculo glúteo médio.
Durante a deambulação, esses pacientes freqüentemente aumentam a curva lordótica devido a fraqueza progressiva do músculo glúteo máximo.
A perda precoce da deambulação é causada mais freqüentemente pela perda de movimento e contratura do que pela fraqueza em um grupo muscular específico.
A fraqueza de diferentes músculos declina em ritmos distintos, com os músculos proximais tendendo à fraqueza no início do curso da doença.

Sobre próteses:

As próteses podem ser divididas em dois grupos: exoesqueléticas e endoesqueléticas, segundo características próprias.
As próteses exoesqueléticas podem ser utilizadas para todos os tipos de amputações, apesar de alguns componentes mais simples não permitirem a realização de atividades mais sofisticadas.
Sob o ponto de vista funcional e cosmético, as próteses endoesqueléticas são consideradas superiores às convencionais, principalmente nas desarticulações de joelho e de quadril e nas amputações transfemurais.
Para o nível de amputação interfalangeano ou metatarsofalangeano de um ou vários dedos, utilizam-se dispositivos que podem ser chamados de próteses ou órteses, pois têm funções que competem às duas categorias.

Sobre as lesões ligamentares do joelho:

Nas lesões grau I, ocorre estiramento de algumas fibras, o paciente consegue andar, embora relate dor ao movimento e durante palpação.
O Teste de Lacman é patognomônico para Lesões de LCA.
Durante a fase imediata do tratamento pós-cirúrgico de LCA, deve-se manter a hiperextensão do joelho.
Durante pós-cirúrgico imediato é importante preconizar o uso de braces (tutor) para favorecer a estabilidade articular.

Para tratar dor crônica provocada pelo pinçamento subacromial você dispõe de um TENS. Quais parâmetros devem ser utilizados?

120μs; 10Hz; 40 min; 4 eletrodos ao redor do ombro.

São contra-indicações absolutas das ondas-curtas:

Marcapasso e gravidez.

Sobre desenvolvimento motor normal no lactente:

Aos 3 meses, ao ser colocado em posição ventral, o bebê é capaz de erguer a cabeça até 45 graus com apoio de antebraços.
Aos 4 meses, a criança consegue levar as mãos à linha média e tocar uma na outra.
Aos 5 meses, ao ser puxada para sentar, a criança colabora bem e existe um bom controle de cabeça.
Aos 7 meses, a criança apresenta boa reação de Landau.

Sobre o tratamento fisioterapêutico das doenças vasculares:

O tratamento clínico, sempre necessário, quer a cirurgia seja efetuada ou não, é paliativo, sustentador, e preventivo, mas não curativo.
Nos casos em que existe uma dor em repouso, cianose ou gangrena, a fisioterapia diária ajuda a prevenir atrofia por desuso e contraturas articulares.
Nos pacientes com trombose venosa profunda, a deambulação deve ser logo encorajada, e não permanecer sentado ou de pé; o paciente deve caminhar ativamente ou repousar com as pernas elevadas.
O objetivo principal em todos os pacientes com síndrome pós-trombótica é reduzir a pressão venosa deambulatória fazendo uso de meias e sustentação de pressão graduada.

Avaliando o ciclo de marcha de um paciente você observa as seguintes alterações:
Durante a fase de balanço médio realiza uma inclinação unilateral da pelve para facilitar a troca do passo e arrasta a ponta do pé no chão
Durante a fase de balanço terminal apresenta um comprimento de passo muito pequeno
Quais músculos encontram-se deficitários (fracos)?


Iliopsoas; tibial anterior; quadríceps.

Sobre as fraturas de diáfise femural:

Nas fraturas incorretamente reduzidas existe a possibilidade do paciente desenvolver consolidações viciosas.
Deve-se preconizar a marcha com giro sobre o membro são em pacientes com placa e parafusos a fim de evitar empenamentos da placa e espanamentos dos parafusos.
As fraturas oblíquas são consideradas biomecanicamente instáveis.
O quadríceps e sua fáscia podem aderir ao local fraturado e podem impedir a completa amplitude de movimento do joelho.

Quanto à reabilitação cardíaca do paciente infartado:

Os objetivos da reabilitação cardíaca devem ser traçados de acordo com a fase em que este se encontra.
A realização do teste ergométrico antes do início da reabilitação cardíaca permite a determinação da capacidade funcional do paciente.
A determinação da capacidade funcional útil é importante para estabelecer a freqüência cardíaca a ser atingida durante a realização dos exercícios e atividades.
O programa de exercícios deve ser dividido em três fases: aquecimento, condicionamento e desaquecimento.

Sobre a propedêutica da incontinência urinária:

A uretrocistoscopia consiste em um exame invasivo que objetiva a pesquisa de obstrução infravesical (OIV).

Características da espasticidade e da rigidez:

Neurônios internunciais inibidores quando desativados causam descarga exagerada dos motoneurônios alfa contribuindo para espasticidade.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO