COLABORE COM O BLOG...COLABORE COM O BLOG...COLABORE COM O BLOG...COLABORE COM O BLOG

Tratamento de contusões musculares

Contusão muscular

a) Contusão leve
b) Contusão moderada
c) Contusão grave

Contusão muscular – leve e moderada
Segmento muscular – coxa

Fase I –Para diminuir o sangramento produzido pela rotura de vasos e fibras musculares, recomendamos repouso, crioterapia, compressão com algodão e bandagens e elevação do membro inferior contundido. É importante o uso de analgésicos e antiinflamatórios não hormonais.

A massoterapia superficial ou profunda está contra-indicada.

Fase II – Após as primeiras 24 horas, os portadores de lesões leves são liberados para exercícios de contração muscular isométrica, mobilização das articulações (ativas e passivas) e deambulação sem auxílio de muletas.
Após 72 horas, os portadores de lesões leves são liberados para exercício de contração muscular isométrica, movimentos articulares ativos e passivos para reabilitação funcional.
O espasmo muscular diminui. A marcha é permitida com auxílio de muletas canadenses.

Fase III – Os atletas contundidos, portadores de lesões leves e moderadas, já apresentam amplitude de movimento de flexão acima de 90° e executam marcha sem auxílio de muletas.

A seguir, utilizamos crioterapia, após massoterapia susuperficial, com antiinflamatórios tópicos, associando-se eletroterapia diária (ondas curtas e ulra-som) e hidroterapia (turbilhão).
Iniciamos alongamento ativo suave, para prevenir a formação de aderências, e exercícios com auxílio de força contra resistência complementados por hidroterapia em piscina (hidroginástica).

Tratamento de contusões graves
Segmento muscular - coxa

Fase I - Repouso absoluto

Analgésicos e antiinflamatórios não hormonais
Crioterapia
Bandagens compressivas
Elevação do membro inferior contundido

Fase II - Após 72 horas, os protadores de lesões graves são liberados para a prática de contrações musculares isométricas e mobilizações ativas e passivas da articulação do joelho, para reabilitação dos movimentos de flexão e extensão.
Quando nesta fase observamos evolução clínica favorável, permitimos a marcha com auxílio de muletas canadenses e o contundido obedecerá a todas as recomendações da fase III após sete dias de repouso.

Quando, ao contrário, nesta fase observamos evolução clínica desfavorável, isto é, as dores permanecem intensas, apesar da medicação analgésica e de antiinflamatórios, a impotência funcional impede qualquer movimento de flexo-extensão do joelho; ao espasmo e aumento do volume da coxa, soman-se os sinais clínicos de síndrome compartimental.
Indicamos então a realização da ultra-sonografia, para possível diagnóstico de hematoma volumosa intramuscular.
A confirmação deste diagnóstico indicará um tratamento cirúrgico de emergência.

Fonte: Revista Brasileira de Ortopedia

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Postagens populares

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IV - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO