Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva

Facilitação neuromuscular proprioceptiva é uma filosofia de tratamento. A base desta filosofia está no conceito de que todo ser humano, incluindo aqueles portadores de deficiências, tem um potencial ainda não explorado.

Princípios são básicos:

1- O enfoque terapêutico é sempre positivo, reforçando e utilizando o que o paciente pode fazer, em nível físico e psicológico.
2- O objetivo primário de todo tratamento é facilitar o paciente a alcançar seu mais alto nível funcional.
3- PNF é uma abordagem global: cada tratamento é direcionado para o ser humano como um todo e não para um problema especifico ou um segmento corporal.
Os procedimentos básicos da facilitação fornecem ao terapeuta as ferramentas necessárias para ajudar seus pacientes a atingir uma função motora eficiente. Os procedimentos são usados para:

- Aumentar a habilidade do paciente em mover-se e permanecer estável.
- Guiar o movimento com a utilização de contatos manuais adequados e de resistência apropriada.
- Ajudar o paciente a obter coordenação motora e sincronismo.
- Aumentar a histamina do paciente e evitar a fadiga.

Os procedimentos básicos sobrepõem-se aos seus efeitos e podem ser usados no tratamento de pacientes com qualquer diagnóstico ou condição. Basicamente, a promoção ou a exacerbação da dor deve ser evitada pelo terapeuta, pois a dor funciona como um inibidor da coordenação motora eficaz e pode ser um sinal potencial da lesão. Outras contra-indicações são na maioria de senso comum, como não utilizar aproximação em extremidades com fratura não consolidada.
Os procedimentos básicos de facilitação são:

Resistência: auxilia a contração muscular e o controle motor e aumenta a força.

Irradiação e reforço: utilizam a deflagração da resposta ao estimulo.

Contato manual: aumenta a força e guia o movimento com toque e pressão.

Posição corporal e biomecânica: guiam e controlam o movimento por meio do alinhamento do corpo, dos braços e das mãos do terapeuta.

Comando verbal: utiliza palavras e tom de voz apropriada para direcionar o paciente.

Visão: usa a visão para guiar o movimento e aumentar o empenho.

Tração e aproximação: o alongamento ou a compressão dos membros e do tronco facilita o movimento e a estabilidade.

Estiramento: o uso do alongamento muscular e do reflexo de estiramento facilita e contração e diminui a fadiga.

Sincronização de movimentos: promove sincronismo e aumenta a força da contração muscular por meio da “sincronização para ênfase”.

Padrões de facilitação: movimentos sinérgicos em massa são componentes do movimento funcional normal.

Objetivos:

O objetivo das técnicas de PNF é promover o movimento funcional por meio da facilitação, da inibição, do fortalecimento e do relaxamento de grupos musculares. As técnicas utilizam contrações musculares concêntricas, excêntricas e isométricas, combinadas com resistência propriamente graduada e procedimentos facilitatórios adequados, todos ajustados para atingir as necessidades de cada paciente.
As técnicas especificas foram agrupadas de acordo com suas funções e ações.

Bases da Técnica/ Procedimento:

1- Iniciação rítmica: São movimentos realizados através da amplitude desejada, iniciado por movimento passivo, progredindo até movimento ativo resistido. Tem como objetivos:

- Facilitar a iniciativa motora
- Melhorar a coordenação e a sensação do movimento.
- Normalizar o ritmo do movimento, tanto por meio do aumento quanto da sua diminuição.
- Ensinar o movimento.
- Ajudar o paciente a relaxar.

São indicados para pacientes que possuem dificuldades em iniciar movimentos, que têm movimentos muito rápidos ou muito lentos, movimentos incoordenados ou sem ritmo e que possuem tensão geral.

Descrição: o terapeuta inicia movendo passivamente o paciente através da amplitude do movimento utilizando a velocidade e o comando verbal para dar o ritmo. O paciente é solicitado a iniciar o trabalho ativamente na direção desejada. O retorno do movimento é realizado pelo terapeuta. O terapeuta resiste ao movimento ativo mantendo o ritmo como o comando verbal.

2- Combinação de Isotônicos: São contrações concêntricas, excêntricas e mantidas de um grupo muscular (agonista) sem relaxamento.

Objetivos:

- Aumentar o controle ativo do movimento.
- Melhorar a coordenação.
- Aumentar a amplitude ativa do movimento.
- Aumentar a força muscular.
- Treinar o controle excêntrico funcional do movimento.

São indicados para pacientes com diminuição do controle excêntrico, perda da coordenação ou da capacidade de se mover na direção desejada, diminuição da amplitude de movimento, movimentação ativa precária no meio da amplitude.

Descrição: o terapeuta resiste ao movimento ativo do paciente por meio da amplitude do movimento (contração concêntrica). No final do movimento, o terapeuta solicita ao paciente que mantenha a posição (contração de estabilização). Quando a estabilização é alcançada, o terapeuta diz ao paciente para permitir que o membro seja movido vagarosamente para trás, em direção à posição inicial (contração excêntrica). Portanto, a contração muscular excêntrica deve ocorrer antes da contração concêntrica.

3- Reversão de Antagonistas: É a classificação geral das técnicas nas quais o paciente inicialmente contrai os músculos agonistas e depois os antagonistas, sem pausa ou relaxamento.

Classificadas em:

3.1- Inversão Dinâmica (Incorpora Inversão Lenta): É a alternância do movimento ativo de uma direção para a oposta, sem interrupção ou relaxamento.

Objetivos:

- Aumentar a amplitude ativa do movimento.
- Aumentar a força muscular.
- Desenvolver coordenação.
- Prevenir ou reduzir a fadiga

São indicados em pacientes com fraqueza dos músculos agonistas, com diminuição da capacidade de modificar a direção do movimento, e que possuem aparecimento de fadiga durante o exercício.

Descrição: o terapeuta resiste ao movimento do paciente em uma direção, quando o final da amplitude do movimento desejada se aproxima, o terapeuta inverte o contato manual na região distal do segmento que está se movendo. Quando o paciente atinge seu final de amplitude ativa, o terapeuta dá o comando para a inversão da direção, sem relaxamento, e resiste ao novo movimento em sua parte distal, quando a paciente começa a se mover na direção oposta o terapeuta inverte o contato proximal, aplicando toda a resistência à nova direção.


3.2- Reversão de Estabilizações (Manutenções Alternadas): São contrações isotônicas alternadas, com resistência oposta suficiente para prevenir o movimento.

Objetivos:

- Aumentar estabilidade e equilíbrio
- Aumentar a força muscular
São indicados para pacientes com diminuição da estabilidade, fraqueza muscular e inabilidade em realizar contrações isométricas.

Descrição: o terapeuta aplica resistência em uma direção, enquanto solicita ao paciente que se oponha a tal força. Nenhum movimento é permitido. Quando o paciente resiste ao máximo à força, o terapeuta move uma das mãos e começa a aplicar resistência em outra direção. Após a resposta do paciente a novo resistência, o terapeuta move a outra mão e resiste à nova direção.

3.3- Estabilização Rítmica: São contrações isométricas alternadas contra uma resistência com ausência de intenção de movimento.

Objetivos:

- Aumentar as amplitudes ativa e passiva do movimento.
- Aumentar a força muscular.
- Aumentar a estabilidade e o equilíbrio.
- Diminuir a dor

As indicações são para pacientes com diminuição das amplitudes de movimento e que sentem dor, principalmente quando em movimento, pacientes com instabilidade articular, fraqueza de grupos musculares antagonistas e diminuição do equilíbrio. São contra-indicados para pacientes com envolvimento cerebelar, pacientes incapazes de seguir instruções devido à idade, à dificuldade de comunicação ou à disfunção cerebral.

Descrição: o terapeuta resiste a uma contração isométrica de um grupo muscular agonista, o paciente mantém a posição do segmento sem tentar se mover. A resistência é gradualmente aumentada na medida em que o paciente desenvolve uma força proporcional. Quando o paciente responde em seu potencial máximo, o terapeuta move uma de suas mãos para começar a resistir à parte distal do movimento antagonista. A nova resistência cresce gradualmente. Quando o paciente responde, o terapeuta move a outra mão para resistir também ao movimento antagonista.

4- Estiramento Repetido (Contrações repetidas):

4.1- Estiramento Repetido no inicio da Amplitude: é o reflexo de estiramento provocado por músculos sob tensão de alongamento.

Objetivos:

- Facilitar a iniciativa motora
- Aumentar amplitude de movimento
- Aumentar força muscular
- Prevenir ou reduzir a fadiga
- Guiar o movimento na direção desejada

São indicadas para pacientes com fraqueza muscular, inabilidade em iniciar o movimento devido à fraqueza ou rigidez, fadiga e diminuição da consciência do movimento. É contra-indicado em instabilidade articular, dor, ossos instáveis devido a fraturas ou à osteoporose, lesões musculares ou de tendões.

Descrição: o terapeuta dá um comando preparatório, enquanto alonga completamente todos os músculos de um padrão. Particular atenção deve ser dada à rotação. Um rápido e leve estiramento são aplicados para acrescentar um alongamento e evocar a resposta reflexa. Ao mesmo tempo do estiramento, o terapeuta dá um comando para unir a tentativa de contração do paciente com a resposta reflexa.

4.2- Estiramento Repetido através da Amplitude: é o reflexo de estiramento provocado por músculos sob tensão de alongamento.

Objetivos:

- Aumentar a amplitude de movimento ativa do movimento
- Aumentar a força muscular
- Prevenir ou reduzir a fadiga
- Guiar o movimento na direção desejada

São indicados em fraqueza muscular, fadiga e diminuição do movimento desejado e são contra-indicados em instabilidade articular, dor, ossos instáveis devido a fraturas ou à osteoporose, lesões musculares ou de tendões, força insuficiente para manter a contração dos músculos.

Descrição: o terapeuta resiste a um padrão de movimento, mantendo assim todos os músculos em contração. O terapeuta dá um comando preparatório para coordenar o reflexo de estiramento com uma nova e mais forte tentativa do paciente. Ao mesmo tempo, o terapeuta alonga (estira) levemente os músculos por meio de uma resistência em excesso aplicada momentaneamente, observa-se uma nova e mais eficaz contração muscular, que é resistida. O estiramento deve ser repetido para aumentar a força ou para redirecionar o movimento, enquanto o paciente move-se por meio da amplitude. Deve-se permitir que o paciente se mova antes que o próximo reflexo seja aplicado. É importante que o paciente não relaxe ou inverta a direção durante o estiramento.

5- Contrair-Relaxar: São contrações isotônicas resistidas dos músculos encurtados, seguidas de relaxamento e de movimento na amplitude adquirida.

Objetivos:

- Aumentar a amplitude passiva do movimento
São indicados na diminuição da amplitude passiva do movimento.

Descrição: o terapeuta ou o paciente move a articulação ou o segmento corporal até o final de sua amplitude passiva. É preferível que o movimento seja realizado ativamente e o terapeuta deve resisti-lo.
O terapeuta solicita que o paciente realize uma forte contração do músculo encurtado ou do padrão
(antagonista). Permite-se apenas o movimento suficiente para que o terapeuta se certifique de que todos os músculos a serem trabalhados estão em contração, principalmente os rotadores. Após um tempo suficiente (pelo menos 5 segundos), o terapeuta diz ao paciente para relaxar. Paciente e Terapeuta, ambos relaxam. A articulação ou o segmento corporal são reposicionados ativamente pelo paciente ou passivamente pelo terapeuta, até o novo limite de amplitude passiva. É preferível que o movimento seja realizado ativamente e o terapeuta deve resisti-lo. A técnica é repetida até que não mais se adquira amplitude. Exercícios ativos resistidos dos músculos agonistas e antagonistas são realizados na nova amplitude do movimento.

6- Manter-Relaxa: É uma contração isométrica resistida, seguida de relaxamento.

Objetivos:

- Aumentar a amplitude passiva de movimento
- Diminuir a dor
São indicados na diminuição da amplitude passiva do movimento, quando as contrações isotônicas do paciente são muito fortes para o terapeuta controlar, e quando paciente sente dor. É contra-indicado quando o paciente é incapaz de realizar contração isométrica.

Descrição: o terapeuta ou o paciente move a articulação ou o segmento corporal até o final da sua amplitude ou até o ponto com ausência de dor, é preferível que o movimento seja ativo. O terapeuta de vê resistir se não causar dor. O terapeuta solicita uma contração isométrica do músculo encurtado ou do padrão (antagonista), com ênfase na rotação, a resistência é aumentada gradativamente. Terapeuta e paciente não têm intenção de movimento. Após manter a contração por tempo suficiente (pelo menos 5 segundos), o terapeuta pede ao paciente que relaxe e, ambos, terapeuta e paciente, relaxam. A articulação ou o segmento corporal são reposicionados, ativa ou passivamente, até o novo limite da amplitude. É preferível que o movimento seja realizado ativamente e sob resistência se esse não causa dor. Repita todos os passos na nova amplitude.
Para diminuir a dor: o paciente deve estar em uma posição confortável, o terapeuta resiste a uma contração isométrica dos músculos do segmento afetado pela dor.

Algumas técnicas são utilizadas para alcançar um objetivo particular, são elas:

Iniciação Motora:

- Iniciação rítmica
- Estiramento repetido no inicio da amplitude

Aprender um movimento:

- Iniciação rítmica
- Combinação de isotônicos
- Estiramento repetido no inicio da amplitude
- Estiramento repetido através da amplitude

Modificar a velocidade do movimento:

- Iniciação rítmica
- Inversões dinâmicas
- Estabilização rítmica
- Estiramento repetido no inicio da amplitude
- Estiramento repetido através da amplitude

Aumentar a força muscular:

- Combinação de isotônicos
- Inversões dinâmicas
- Estabilização rítmica
- Inversão de estabilizações (manutenções alternadas)
- Estiramento repetido no inicio da amplitude
- Estiramento repetido através da amplitude

Aumentar a estabilidade:

- Iniciação rítmica
- Combinações isotônicas
- Inversões dinâmicas
- Inversão de estabilizações
- Estabilização rítmica
- Estiramento repetido no inicio da amplitude

Aumentar a resistência:

- Inversões dinâmicas
- Inversão de estabilizações
- Estabilização rítmica
- Estiramento repetido no inicio da amplitude
- Estiramento repetido através da amplitude

Aumentar a amplitude de movimento:

- Inversões dinâmicas
- Inversão de estabilizações
- Estabilização rítmica
- Estiramento repetido no inicio da amplitude
- Contrair-relaxar
- Manter-relaxar

Relaxamento:

- Iniciação rítmica
- Estabilização rítmica
- Manter-relaxar

Diminuir a dor:

- Estabilização rítmica (ou inversão de estabilização)
- Manter-relaxar

Tratamento:

O tratamento busca ajudar o paciente a alcançar seu mais alto nível funcional. Um tratamento efetivo depende de uma avaliação completa e precisa para identificar as áreas de função e disfunção do paciente. Baseados nesta avaliação, determinamos objetivos gerais e específicos , então, traçamos um plano de tratamento.
Trabalhando dentro da filosofia de PNF, olhamos inicialmente as áreas de função do paciente.
Usaremos tais áreas de maior potencial para construir um tratamento efetivo para cada problema. Em seguida, observamos os problemas gerais (funcionais) do paciente. Por último, as disfunções especificas causadoras dos problemas gerais são identificadas.
Os objetivos gerais do tratamento são expressos como atividades funcionais e tais objetivos não são limitantes, podem ser modificados à medida que os pacientes melhoram. Há os objetivos específicos do tratamento que são traçados para cada atividade terapêutica e para cada sessão de tratamento.
O terapeuta deve esboçar um tratamento de acordo com as necessidades especificas e com os objetivos funcionais de cada paciente. PNF usa contrações musculares para afetar o corpo. Se as contrações musculares não são apropriadas às condições do paciente ou se a sua utilização não alcança os objetivos particulares, o terapeuta deve usar outros. Algumas modalidades, tais como calor e frio movimentação articular passiva e mobilização dos tecidos moles, podem ser combinadas com PNF para um tratamento efetivo.

Tratamento Direto ou Indireto:

O tratamento direto deve envolver o uso de técnicas de tratamento no membro, no músculo ou no movimento afetado.
O tratamento indireto deve envolver o uso de técnicas nas áreas do corpo não afetadas, o terapeuta direciona a irradiação para a área afetada, objetivando atingir resultados desejados. Deve envolver também o direcionamento da atenção e do esforço do paciente para o trabalho nas partes corporais menos afetadas.
O processo de avaliação do paciente deve ser continuo. Por meio da avaliação dos resultados após cada tratamento, o terapeuta pode determinar a eficácia da atividade e da sessão terapêutica e, então, modificar o tratamento, quando necessário, para atingir os objetivos estipulados.

As modificações do tratamento devem incluir:

- Mudanças nos procedimentos ou nas técnicas de tratamento
- Aumento ou diminuição da facilitação por meio da alteração do uso de reflexos, contato manual, estimulo visual, comando verbal, tração e aproximação.
- Aumento ou diminuição da resistência aplicada
- Trabalho com o paciente em posições funcionais
- Progressão para o uso de atividades mais complexas

Padrões de Facilitação:

O movimento funcional normal é composto por padrões de movimento em massa dos membros e dos músculos sinérgicos do tronco. Nossos movimentos mais discretos originam-se de padrões em massa. As combinações dos músculos sinérgicos formam os padrões de facilitação em PNF.
Trabalhar com as relações sinérgicas entre os padrões permite-nos tratar os problemas indiretamente. O reflexo de estiramento é mais eficaz quando todo um padrão é estirado, em vez de apenas um músculo.

Os padrões de PNF combinam movimentos nos três planos:

- Plano Sagital: flexão e extensão
- Plano Frontal ou Coronal: abdução e adução dos membros ou flexão lateral da coluna
- Plano Transversal: rotação
O estiramento e a resistência reforçam a eficácia dos padrões, como se pode constatar pelo aumento da atividade dos músculos. O aumento da atividade muscular espalha-se tanto distal quanto proximalmente dentro de um padrão ou de um padrão para outros que se relacionam ao movimento (irradiação). O tratamento faz-se com irradiação dos músculos sinérgicos combinados (padrões), para fortalecer o grupo muscular desejado ou para reforçar os movimentos funcionais.
Quando exercitamos padrões contra resistência, todos os músculos que fazem parte da sinergia contraem-se se forem capazes. O componente de rotação do padrão é a chave para uma resistência efetiva. A resistência correta para rotação fortalecerá o padrão como um todo.
Os padrões podem ser combinados de varias maneiras. A ênfase do tratamento está nos membros superiores ou inferiores, quando as extremidades se movem independentemente.

As combinações de padrões são nomeadas de acordo com a relação dos movimentos dos membros (braços, pernas, ou ambos) entre si:

- Unilateral: um braço ou uma perna
- Bilateral: ambos os braços, ambas as pernas ou combinações entre braços e pernas.

a) simétrico: ambos se movem no mesmo padrão (por ex, ambos flexão-adução);
b) assimétrico: ambos se movem em padrões opostos (por ex, direito: flexão-adução; esquerdo: flexão-abdução);
c) simétrico recíproco: ambos se movem na mesma diagonal, mas em direções opostas (por ex, direito: flexão-adução; esquerdo: extensão-abdução);
d) assimétrico recíproco: ambos se movem em diagonais e em direções opostas (por ex, direito: flexão-adução; esquerdo: extensão-adução).

4 Comentários:

Anônimo disse...

adorei conhecer este blog é bem suscinto e objetivo, obrigada foi mto esclarecedor

maieli disse...

muito bom mesmo gostei do blog....

Nai e Nando Sempre disse...

gostaria de saber a referencia da publicação.
Grata NAIARA

Anônimo disse...

Muito bacana este blog as patologias todas muito bem explicadas.... renan

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO