Benefícios e indicações da fisioterapia respiratória

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os problemas respiratórios são a quarta maior causa de óbito por doenças no Brasil. Muitas destas mortes poderiam ser evitadas com diagnóstico correto e tratamento precoce.

Além de medicação, algumas técnicas e terapias alternativas podem auxiliar na recuperação de diversos problemas que atingem o sistema respiratório. É o caso da fisioterapia respiratória, indicada tanto para a prevenção quanto para o tratamento de pacientes com distúrbios pulmonares agudos ou crônicos em qualquer faixa etária. O objetivo é manter a função respiratória máxima, impedindo a progressão da doença e beneficiando o tratamento, para que o paciente possa ter uma rotina mais saudável, com qualidade de vida e sem grandes transtornos.

“A fisioterapia respiratória atua na higiene brônquica, com o intuito de eliminar secreções e evitar o seu acúmulo, coibindo a proliferação de bactérias e vírus. Existem outras técnicas que proporcionam a melhora da ventilação pulmonar e consequentemente a melhora nas trocas gasosas. Outra meta da fisioterapia, nos pacientes pneumopatas, é otimizar a função muscular no aspecto de ganho de força e na melhora da capacidade de realizar exercício aeróbio. Isso porque muitos males respiratórios, principalmente em estágios avançados, podem comprometer a atividade muscular periférica. Conforme o caso pode ser necessário, ainda, o acompanhamento de profissionais diversos, como o psicólogo ou o nutricionista”, afirma a fisioterapeuta Lara Maris.

O acompanhamento fisioterápico em doenças respiratórias é especialmente indicado nos casos de fibrose cística e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que levam o paciente à dificuldade respiratória, perda de massa muscular e falta de ar.

Também pode ser indicada em patologias como fibrose pulmonar, bronquiectasia, pneumonia e insuficiência respiratória.

Em situações de crises repetidas de asma e bronquite, principalmente frente à intensa produção de secreção, a terapia reduz as chances de quadros associados de pneumonia.

“Diversas técnicas e procedimentos terapêuticos podem ser indicados para a fisioterapia respiratória, como inaloterapia, técnicas de depuração das vias respiratórias, terapia física, vibratoterapia, drenagem postural, pressão expiratória, exercícios respiratórios, entre outros”.

A especialista alerta, ainda, para a importância da correta indicação do tipo de fisioterapia respiratória para melhor proveito dos benefícios.

“A fisioterapia respiratória deve ser indicada conforme o problema diagnosticado previamente por meio de exame e avaliação, seguidos de planejamento e implementação de um programa adequado de tratamento. Todo esse roteiro varia de acordo com as características clínicas de cada indivíduo”.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO