Osteoporose e exercícios

Como a terceira idade é a faixa etária mais susceptível a doenças, pode-se observar um aumento na incidência de certas doenças, destacando a osteoporose.

A osteoporose significa que o indivíduo apresenta uma massa óssea mais baixa do que seria esperado a partir de normas para a idade e sexo e um risco aumentado de fraturas. As fraturas representam a mais importante conseqüência da osteoporose, sendo as mais freqüentes as de coluna vertebral representando 17% do número total das fraturas, as do terço proximal do fêmur, representam 16%, e as do terço distal do rádio que representam 11% do número total de fraturas.

Essa patologia ocorre predominantemente em mulheres após a menopausa e em números menos expressivos em homens idosos (YBARRA,et al.,1996). Dentre os fatores de risco incluem-se: grupo étnico oriental ou branco; menopausa precoce ou ooforectomia(retirada do ovário); história familiar positiva; má nutrição(baixo teor de cálcio, proteína animal em excesso, alto teor de fosfato); alta ingestão de café; alta ingestão de álcool; hábito de fumar; nuliparidade; modo de vida sedentário; distúrbios que afetam o metabolismo mineral; tratamento com corticoesteróides.

Inicialmente ela é assintomática, pois as primeiras manifestações clínicas surgem quando já houve perda de 30 a 40% de massa óssea(DANOWSKI, 1996). Daí a necessidade de se fazer o exame de densitometria óssea.

O exercício físico desempenha uma importância fundamental no tratamento da osteoporose, nos quais destacam-se os benefícios cardíaco, respiratório, muscular e ósseo, contribuindo para a melhora da qualidade de vida desses pacientes. O objetivo dos programas de atividade física em indivíduos acometidos de osteoporose não é tanto favorecer a aquisição de massa óssea, mas promover uma melhora no equilíbrio, força muscular, coordenação, condicionamento físico, na amplitude de movimento, diminuição de dor; visando sempre a prevenção de quedas e consequentemente risco de fraturas (PLAPLER, 1997).

O exercícios que podem ser realizados por indivíduos osteoporóticos são: caminhadas por 50 minutos cinco vezes na semana; atividades que envolvam equilíbrio e coordenação; exercícios que envolvam situação de peso; atividades que envolvam a extensão da coluna (BONNICK, 1994).

Segundo BONNICK (1994) alguns exercícios devem ser evitados como por exemplo: aeróbica de alto impacto, corrida e salto, uma vez que aumentam o risco de fraturas vertebrais por causa da fragilidade das vértebras; flexão da coluna, porque aumentam as forças de compressão na coluna, aumentam o risco de colapsos vertebrais; atividades que envolvam risco de quedas como: step, caminhada em terrenos irregulares, etc.; movimentos resistidos de fechamento e abertura de quadril, pois nesses movimentos aumenta-se a chance de fraturas proximais do fêmur.

Devido ao aumento da expectativa de vida, e com isso um aumento do número de idosos na população, é de extrema necessidade que os profissionais de saúde estejam preparados à essa nova realidade e que planejem programas de prevenção contra a osteoporose, incluindo campanhas que mostrem a importância da reposição hormonal paras as mulheres pós menopáusicas que são as mais acometidas por essa patologia.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO