Escala de Avaliação Neurológica EDSS

O que é a EDSS?

A EDSS é parcialmente baseada em medições de oito áreas do sistema nervoso central conhecidas como sistemas funcionais. Os passos iniciais na escala medem o grau de disfunção nestes sistemas, como a dormência transitória na face ou dedos, ou os distúrbios visuais. Os passos finais medem a incapacidade no que se refere à mobilidade, usando, sobretudo à distância percorrida a pé.

Os sistemas funcionais (SF) avaliados no âmbito da escala EDSS são (1):

- Funções Piramidais - movimento voluntário
- Funções do Tronco Cerebral - movimento dos olhos, sensação e movimento da face, engolir
- Funções Visuais (ou Ópticas)
- Funções Cerebrais (ou Mentais)- memória, concentração, humor
- Funções Cerebelares - coordenação do movimento ou equilíbrio
- Funções Sensitivas
- Funções Intestinais e Vesicais
- Outras Funções - incluindo a fadiga

Estes sistemas são classificados de acordo com a disfunção verificada em cada um deles. Esta classificação vai desde o normal, que é zero, até à incapacidade máxima, que pode ser cinco ou seis. Esta classificação do sistema funcional, adicionada às indicações da mobilidade e restrições na vida diária, é usada para definir os 20 níveis da EDSS.

Nos níveis iniciais da escala, pequenos aumentos no número de sintomas causam um avanço de um ou mais níveis da EDSS. Isto indica o envolvimento de sistemas funcionais adicionais ou uma disfunção/incapacidade mais grave num único sistema funcional. Do nível quatro para frente, a capacidade de andar torna-se o fator chave na determinação do grau de EDSS. Mudanças noutros sistemas funcionais nesta parte da escala, tais como o movimento dos braços ou função cognitiva, apesar de terem um efeito definitivo no bem-estar de uma pessoa, não resultam numa alteração adicional do nível de EDSS.

A Escala EDSS

Os níveis principais da escala EDSS são:

0. Exame neurológico normal

1. Ausência de incapacidade funcional e exame com achados anormais mínimo

2. Incapacidade funcional mínima em apenas um sistema funcional

3. Capaz de andar sem ajuda, mas com incapacidade moderada em um dos sistemas funcionais

4. Capaz de andar sem ajuda pelo menos 500 metros, mas tem incapacidade grave em um dos sistemas funcionais

5. Capaz de andar sem ajuda pelo menos 200 metros, mas a incapacidade é muito grave para estar apto para o trabalho a tempo inteiro

6. Precisa de uma bengala, muleta ou outra ajuda para andar 100 metros, com ou sem pausas

7. Não consegue andar mais de 5 metros, mesmo com ajuda, pode mover a cadeira de rodas e transferir-se sem ajuda

8. Restringido à cadeira, cama ou cadeira de rodas, braços funcionais, mas necessita de assistência para a transferência

9. Acamado e totalmente dependente, braços não funcionais, mas pode comer e falar

10 Morte devida à EM (muito raro)

A escala EDSS completa

0- Exame neurológico normal (todos indicadores de grau 0 nos sistemas funcionais (SF)

1.0- Ausência de incapacidade funcional, sinais neurológicos mínimos num dos SF

1.5- Ausência de incapacidade funcional, sinais neurológicos mínimos em mais de um SF

2.0- Incapacidade funcional mínima num SF

2.5- Incapacidade funcional mínima em dois SF

3.0- Incapacidade funcional moderada num SF ou incapacidade ligeira em três ou quatro SF, embora com plena capacidade ambulatória

3.5- Plena capacidade ambulatória, mas com incapacidade funcional moderada num SF, e um ou dois SF com grau 2, ou dois SF com grau 3, ou cinco SF com grau 2

4.0- Plena capacidade ambulatória sem necessidade de assistência, plena independência funcional, atividade durante cerca de 12 horas por dia, apesar de alguma incapacidade funcional relativamente grave, caracterizada por um SF com grau 4 (os restantes SF com graus 0 ou 1) ou combinações de graus inferiores ultrapassando os limites dos níveis anteriores. Capacidade ambulatória num percurso de cerca de 300 metros sem assistência ou descanso

4.5- Plena capacidade ambulatória sem assistência, atividade normal durante a maior parte do dia, capacidade de trabalhar durante um dia completo, eventualmente com algumas limitações à atividade plena ou com necessidades de assistência mínima; estado caracterizado por uma incapacidade funcional relativamente grave, apresentando um SF com grau 4 (os restantes com grau 0 ou 1), ou combinações de grau inferior, ultrapassando os limites dos níveis anteriores. Capacidade ambulatória num percurso de cerca de 300 metros sem assistência ou descanso

5.0- Capacidade ambulatória num percurso de cerca de 200 metros sem assistência ou descanso; incapacidade funcional suficientemente grave para afetar adversamente o desempenho das atividades diárias (por exemplo, realizar o trabalho de um dia sem tomar medidas especiais). Um SF com grau 5 isolado, os restantes com grau 0 ou 1; ou combinações de graus inferiores, que ultrapassam geralmente os indicados para o nível 4.0

5.5- Capacidade ambulatória num percurso de cerca de 100 metros sem assistência ou descanso; incapacidade funcional suficientemente grave para impedir o desempenho das atividades diárias. Um SF com grau 5 isolado, os restantes com grau 0 ou 1; ou combinações de graus inferiores, que ultrapassam geralmente os indicados para o nível 4.0

6.0- Apoio unilateral intermitente ou constante (bengala, canadiana ou outras próteses) necessário para andar cerca de 100 metros, com ou sem descanso. Combinações com mais de dois SF com grau 3+

6.5- Apoio bilateral constante (bengalas, canadianas ou outras próteses) necessário para andar cerca de 20 metros sem descanso. Combinações com mais de dois SF com grau 3+

7.0- Incapacidade de andar mais de 5 metros, mesmo com apoios, necessidade de utilizar uma cadeira de rodas; doente desloca-se sozinho na cadeira de rodas pelo menos 12 horas por dia. Combinações com mais de um SF com grau 4+; muito raramente, grau piramidal 5 isolado

7.5- Incapacidade de dar mais de alguns passos; necessidade de utilizar uma cadeira de rodas; doente poderá necessitar de ajuda nas suas deslocações; doente consegue manipular a cadeira, mas não consegue agüentar numa cadeira de rodas normal durante o dia inteiro; poderá necessitar de uma cadeira de rodas elétrica. Combinações com mais de um SF com grau 4+

8.0- Doente essencialmente confinado ao seu leito ou cadeira, ou deambulando de cadeira de rodas com ajuda de terceiros, podendo estar fora da cama durante a maior parte do dia; Preservação de muitas das funções necessárias para cuidar de si próprio; de uma maneira geral, ainda consegue usar os braços de forma eficaz. Combinações com mais de dois SF, normalmente com grau 4+ em diversos sistemas funcionais

8.5- Doente essencialmente confinado ao leito durante a maior parte do dia; ainda consegue usar o(s) braço(s) de maneira eficaz; preservação de alguma capacidade para cuidar de si próprio. (equivalentes habituais de SF são combinações, normalmente com grau 4+ em diversos sistemas funcionais)

9.0- Doente acamado e totalmente dependente; capaz de comunicar e de comer. Combinações de SF maioritariamente de grau 4+

9.5- Doente acamado e totalmente dependente, incapaz de comunicar e de comer. Combinações de SF quase todos com grau 4+

10.0- Morte devida à Esclerose Múltipla.

2 Comentários:

Anônimo disse...

Faltou no texto a explicação do que significa EDSS. É o nome de alguém? É uma sigla? Gostaria de saber o que significam as letras EDSS.
Obrigado, parabéns peloas informações muito úteis para mim.

Adm. Blog disse...

EDSS - Expanded Disability Status Scale

Escala ampliada do estado de incapacidade

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO