TCE leve, moderado e grave na criança

Atendimento inicial

O atendimento inicial deve seguir as recomendações preconizadas pelo Pediatric Advanced Life Support (PALS) e pelo Advanced Trauma Life Support (ATLS).
A escala de coma de Glasgow (ECGL 1 e 2) permite classificar os pacientes e, a partir dessa definição, determina-se a conduta adequada:

- Trauma craniano leve: ECGL – 15 a 14;
- Trauma craniano moderado: ECGL – 13 a 9;
- Trauma craniano grave: ECGL – 8 a 3.

Controle da hipertensão intracraniana na admissão

1. PALS / ATLS.
2. Manutenção da estabilidade hemodinâmica e respiratória.
3. Manter a cabeça e a coluna cervical em posição neutra.
4. Decúbito elevado a 30º, se não houver instabilidade hemodinâmica.
5. Sedação (tiopental 3 a 5 mg/kg) e eventual curarização (atracúrio 0,3 a 0,5 mg/kg).
6. Manitol a 20% - 0,25 g/kg em bolo.
7. Se normovolêmico, restrição de líquidos 60 a 70% da manutenção normal e administração de
furosemida (Lasix®) 1 mg/kg EV.
8. Fenitoína – ataque de 15 a 20 mg/kg e manutenção de 5 mg/kg/dia, profilaxia das convulsões.
9. Tratamento das lesões associadas.

Escala de Glasgow em Crianças


Fatores preditivos de lesão intracraniana (LIC)

• Mecanismo de trauma;
• Idade inferior a 2 anos com hematoma de couro cabeludo;
• Fontanela tensa e abaulada;
• Amnésia prolongada;
• Perda da consciência maior que 5 minutos;
• Déficits neurológicos;
• Vômitos incoercíveis;
• Cefaléia intensa ou moderada;
• Fratura craniana e fratura de base do crânio (sinal de Battle: equimose da região mastóide;
“olhos de guaxinim”: equimose periorbitária);
• Rinorréia, otorréia e hemotímpano;
• Alteração do diâmetro pupilar;
• Suspeita de maus-tratos.

Observação: Pode ocorrer uma lesão intracraniana em 3 a 7% dos pacientes pediátricos sintomáticos com TCE neurologicamente normais.

TCE leve (glasgow 15-14) para lactentes inferior 2 meses


TCE leve (glasgow 15-14) para lactentes superior 2 meses


TCE moderado (glasgow 13-9)

• Atendimento inicial: ABC – PALS/ATLS (no hospital do primeiro atendimento);
• Internação e tomografia de crânio para todos os casos – HBDF;
• Deteriorização clínica, considerar TCE grave – HBDF.

TCE grave (glasgow 8-3)


Clique nas imagens para ampliá-las

Fonte: SES - Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO