Insuficiência Respiratória

Definição

É a incapacidade dos pulmões realizarem as trocas gasosas para suprir as necessidades orgânicas metabólicas, a partir de uma história clínica patológica de uma PaCO2  (>) 50 mmhg e uma PaO2 (<) 60 mmhg. A doença pode ser ou não primariamente dos pulmões. É possível que um paciente portador de pneumopatia crônica e tendo concentrações normais no sangue de oxigênio e gás carbônico, sob condições que este novo acréscimo da demanda, como é freqüente em portadores de pneumopatias obstrutiva crônica quando submetidos a atos cirúrgicos.
Arbitrariamente o reconhecimento da insuficiência respiratória aguda é definida e baseada nas alterações da gasometria arterial, instaladas agudamente, quando a pressão arterial parcial de oxigênio for igual ou inferior a 60 mmhg e a pressão arterial parcial de gás carbônico for igual ou superior a 50 mmhg.

OBS: Não há aceitação unânime destes critérios e podem ser aceitos valores acima ou abaixo destes parâmetros.

Diagnóstico da Insuficiência Respiratória

Critérios clínicos: Hipoxemia e Hipercapnia, critérios laboratoriais, aumento do trabalho respiratório, sudorese, taquipneia, batimento de asa de nariz e respiração paradoxal.


 Etiologia da Insuficiência Respiratória

LESÕES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)

•Traumatismo Crânio Encefálico
•Acidente Vascular Cerebral (isquêmico e hemorrágico)
•Infecções: Meningo-encefalites, abscessos
•Intoxicações exógenas: opiáceos, barbitúricos, diazepínicos
•Hipertensão Endocraniana
•Tumores Benignos e Malignos
•Doenças Degenerativas: esclerose em placas

LESÕES RAQUIMEDULARES

•Traumatismo Raquimedular (principalmente quando ao nível de C3, em virtude de serem acima da saída das raízes dos nervos frênicos)
•Infecções: viroses, bacterioses, mielite transversa, poliomielite.
•Tumores Benignos e Malignos
•Doenças Degenerativas              

LESÕES NEURO-MUSCULARES

•Miopatias Degenerativas
•Miastenia Gravis
•S. Guillain Barré
•Botulismo, Tétano
•Intoxicação por organofosforados
•Curarização

LESÕES DA PAREDE TORÁCICA (NÃO NEURO-MUSCULARES)

•Malformações da caixa torácica (Cifoescoliose)
•Fraturas de múltiplas costelas, fratura esternal
•Pneumotórax
•Hidrotórax
•Hemotórax

OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS

•Traumatismo facial (com lesão nasal e oral) e do pescoço
•Tumores benignos e malignos: da faringe, da laringe e da traquéia
•Edema de laringe (infecções, trauma, edema de Quincke), laringo-espasmo
•Fibrose e estenose traqueal ou laríngea pós intubação
•Compressão extrínseca da laringe e da traquéia
•Secreções retidas ou aspiradas
•Aspiração de corpo estranho
•Bronquite aguda e crônica, enfisema pulmonar
•Asma severa                   
•Bronquiolite

LESÕES DO PARÊNQUIMA PULMONAR

•Qualquer doença com acometimento extenso dos pulmões
•Ressecções pulmonares
•Atelectasias
•Edema cardiogênico e não cardiogênico
•Inalação de gases e líquidos tóxicos
•Aspiração de vômitos
•Síndrome da membrana hialina
•SARA
•Pneumonias virais e bacterianas
•Fibroses intersticiais difusas (primárias e secundárias)
•Enfisema pulmonar

LESÕES DA VASCULARIZAÇÃO PULMONAR

•Doenças embólicas (coágulos, líquido amniótico, gordura...)
•Hipertensão pulmonar idiopática e secundária (Esquistossomose, pneumopatias extensas, vasculites...)

Classificação:

Aguda, Crônica e Crônica Agudizada.

Aguda: É aquela em que a forma de instalação ocorre nas primeiras 24 horas por uma patologia aguda ou por depressão do centro respiratório.

Exemplo: Sedação, TRM, Pós-operatório imediato, Sara, etc.

Crônica: Ocorre quando já existe uma doença de base que se caracteriza pelo aumento do trabalho respiratório e distúrbio de troca gasosa

Exemplo: DBPOC e Enfisema Pulmonar Avançado

Crônica Agudizada: O ocorre quando a doença pré-existente evolui com uma patologia de acometimento agudo (Pneumonia e Broncoespasmo)

Forma de Apresentação

Sem Fadiga ou tipo I (com diminuição da PaO2 sem alteração da PaCO2)
Com Fadiga ou tipo II (com diminuição da PaO2 e aumento da PaCO2)

Tratamento:

Sem Fadiga - Cpapterapia, Evitar a sedação, Fisioterapia respiratória e tratar a causa básica.


Com Fadiga – Ventilação Mecânica de 24 a 48 horas, sedação, curarização se necessário e tratar a causa básica.

Autor: Guilherme Alves

1 Comentário:

Daniela de Almeida Guedes disse...

artigo muito bom!

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO