Insuficiência Respiratória

Definição

É a incapacidade dos pulmões realizarem as trocas gasosas para suprir as necessidades orgânicas metabólicas, a partir de uma história clínica patológica de uma PaCO2  (>) 50 mmhg e uma PaO2 (<) 60 mmhg. A doença pode ser ou não primariamente dos pulmões. É possível que um paciente portador de pneumopatia crônica e tendo concentrações normais no sangue de oxigênio e gás carbônico, sob condições que este novo acréscimo da demanda, como é freqüente em portadores de pneumopatias obstrutiva crônica quando submetidos a atos cirúrgicos.
Arbitrariamente o reconhecimento da insuficiência respiratória aguda é definida e baseada nas alterações da gasometria arterial, instaladas agudamente, quando a pressão arterial parcial de oxigênio for igual ou inferior a 60 mmhg e a pressão arterial parcial de gás carbônico for igual ou superior a 50 mmhg.

OBS: Não há aceitação unânime destes critérios e podem ser aceitos valores acima ou abaixo destes parâmetros.

Diagnóstico da Insuficiência Respiratória

Critérios clínicos: Hipoxemia e Hipercapnia, critérios laboratoriais, aumento do trabalho respiratório, sudorese, taquipneia, batimento de asa de nariz e respiração paradoxal.


 Etiologia da Insuficiência Respiratória

LESÕES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC)

•Traumatismo Crânio Encefálico
•Acidente Vascular Cerebral (isquêmico e hemorrágico)
•Infecções: Meningo-encefalites, abscessos
•Intoxicações exógenas: opiáceos, barbitúricos, diazepínicos
•Hipertensão Endocraniana
•Tumores Benignos e Malignos
•Doenças Degenerativas: esclerose em placas

LESÕES RAQUIMEDULARES

•Traumatismo Raquimedular (principalmente quando ao nível de C3, em virtude de serem acima da saída das raízes dos nervos frênicos)
•Infecções: viroses, bacterioses, mielite transversa, poliomielite.
•Tumores Benignos e Malignos
•Doenças Degenerativas              

LESÕES NEURO-MUSCULARES

•Miopatias Degenerativas
•Miastenia Gravis
•S. Guillain Barré
•Botulismo, Tétano
•Intoxicação por organofosforados
•Curarização

LESÕES DA PAREDE TORÁCICA (NÃO NEURO-MUSCULARES)

•Malformações da caixa torácica (Cifoescoliose)
•Fraturas de múltiplas costelas, fratura esternal
•Pneumotórax
•Hidrotórax
•Hemotórax

OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS

•Traumatismo facial (com lesão nasal e oral) e do pescoço
•Tumores benignos e malignos: da faringe, da laringe e da traquéia
•Edema de laringe (infecções, trauma, edema de Quincke), laringo-espasmo
•Fibrose e estenose traqueal ou laríngea pós intubação
•Compressão extrínseca da laringe e da traquéia
•Secreções retidas ou aspiradas
•Aspiração de corpo estranho
•Bronquite aguda e crônica, enfisema pulmonar
•Asma severa                   
•Bronquiolite

LESÕES DO PARÊNQUIMA PULMONAR

•Qualquer doença com acometimento extenso dos pulmões
•Ressecções pulmonares
•Atelectasias
•Edema cardiogênico e não cardiogênico
•Inalação de gases e líquidos tóxicos
•Aspiração de vômitos
•Síndrome da membrana hialina
•SARA
•Pneumonias virais e bacterianas
•Fibroses intersticiais difusas (primárias e secundárias)
•Enfisema pulmonar

LESÕES DA VASCULARIZAÇÃO PULMONAR

•Doenças embólicas (coágulos, líquido amniótico, gordura...)
•Hipertensão pulmonar idiopática e secundária (Esquistossomose, pneumopatias extensas, vasculites...)

Classificação:

Aguda, Crônica e Crônica Agudizada.

Aguda: É aquela em que a forma de instalação ocorre nas primeiras 24 horas por uma patologia aguda ou por depressão do centro respiratório.

Exemplo: Sedação, TRM, Pós-operatório imediato, Sara, etc.

Crônica: Ocorre quando já existe uma doença de base que se caracteriza pelo aumento do trabalho respiratório e distúrbio de troca gasosa

Exemplo: DBPOC e Enfisema Pulmonar Avançado

Crônica Agudizada: O ocorre quando a doença pré-existente evolui com uma patologia de acometimento agudo (Pneumonia e Broncoespasmo)

Forma de Apresentação

Sem Fadiga ou tipo I (com diminuição da PaO2 sem alteração da PaCO2)
Com Fadiga ou tipo II (com diminuição da PaO2 e aumento da PaCO2)

Tratamento:

Sem Fadiga - Cpapterapia, Evitar a sedação, Fisioterapia respiratória e tratar a causa básica.


Com Fadiga – Ventilação Mecânica de 24 a 48 horas, sedação, curarização se necessário e tratar a causa básica.

Autor: Guilherme Alves

1 Comentário:

Daniela de Almeida Guedes disse...

artigo muito bom!

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO