Fatores pré-natais que afetam o desenvolvimento do feto

Gravidez de Risco

É a gravidez, na qual certas condições, antes ou durante aumentam a probabilidade do bebê ter problemas  pré, intra ou pós-natais; podem ser evitados se certos cuidados forem tomados. São comportamentos simples, mas muito eficientes.

Importante: ir ao médico regularmente antes e durante a gravidez. Antes, quando se planeja engravidar, durante para monitorar a saúde do binômio mãe-filho.
O profissional irá ajudar a gestante a manter comportamentos benéficos e eliminar ou reduzir os não saudáveis.


Condições que podem resultar em Gravidez de Risco:

A - Condições Médicas: -asma; -câncer; -diabetes; -hipertensão; -doença cardíaca; -doença renal; -doença hepática; -estresse materno; -distúrbios da tireóide; -doenças sexualmente transmissíveis.

B - Exposição à: -certos medicamentos; -poluentes químicos; -citomegalovírus; -radiação excessiva; -rubéola; -toxoplasmose.

C - Uso de: -álcool; -drogas; -tabaco.


D - Histórico: -idade <16 e="">35 anos; -sangramento; -hereditariedade; -inadequação nutricional; -aborto anterior; -seriamente acima ou abaixo do peso; -pobreza.

Fatores Nutricionais e químicos:

Teratogênio é qualquer substância que possa fazer o bebê desenvolver-se de maneira anormal; qualquer substância que a mãe ingira poderá afetar o feto, dependendo do tipo e da dose; os fatores que podem por o feto em risco são:

A ) Má nutrição Materna

É causa importante em todo o mundo, chamada má nutrição pré-natal; pode resultar de:
    1- fatores placentários
    2- fatores fetais.
    3- fatores maternos

A má nutrição placentária: devido ao transporte ou fornecimento de nutrientes insuficientes da placenta para o feto.

A má nutrição fetal: inabilidade do feto em aproveitar os nutrientes que estão disponíveis para ele; geralmente devido a problemas no metabolismo do feto.

A má nutrição materna: está associada ao grau de nutrição da mãe e a uma dieta inadequada durante a gestação; é essencial uma dieta balanceada.

A má nutrição (placentária, fetal ou materna) influencia negativamente o desenvolvimento  humano em todo o mundo. Milhões de mulheres são mal nutridas em todo o mundo, por fatores tais como, hábitos alimentares errados, pobreza, ansiedade, estresse e traumas.Certos nutrientes são importantes na formação do feto, como o ácido fólico, que entra na formação do tubo neural e pode se prevenir e reduzir os casos de espinha bífida presente ao nascimento.
O baixo peso ao nascimento, resulta muitas vezes de má nutrição materna; 50 a 60% das mortes de bebês estão relacionadas ao baixo peso ao nascer; o peso ganho pela mãe na gravidez, na ausência de complicações, reflete geralmente a condição de ganho de peso do feto; o ganho de peso recomendado para a gestante é ao redor de 9-13 quilos.

Distribuição de ganho de peso materno durante a gravidez:

                                                    Média de peso (kg)

Feto.........................................................3 a 4 kg
Placenta…………………………………. .400 a 450 gr
Líquido amniótico………………………. 900 ml
Aumento de peso uterino………………1 kg
Aumento de peso das mamas…………1,5 kg
Aumento de gordura da mãe…………. 1,8 / 3,6 kg

B ) Drogas maternas

Toda droga é potencialmente lesiva ao feto, mesmo que tenha sido usada com segurança e bem indicada para outra gestante; as drogas têm efeitos colaterais, com ou sem receita. Sempre se levar em consideração:
       # o período da gravidez em que a droga foi utilizada.
                  # a dosagem da droga.
                  # o período de tempo em que a droga foi utilizada
                  # a predisposição genética do feto.
                  # a interação entre estes quatro fatores.
Podem afetar no crescimento dos órgãos ou na diferenciação celular e resultar em desvios do desenvolvimento normal; podem alterar a permeabilidade da placenta a outras substâncias ou reduzir o fluxo de O²; alterando o funcionamento e o desenvolvimento do fígado podem altera a eliminação de resíduos, chamados de bilirrubinas, e causar icterícia no RN, as vezes com complicações sérias,que podem causar danos cerebrais permanentes e devastadores, kernicterus.

Efeitos de Medicamentos comuns em fetos:

Aspirina………………………….morte, deformidades congênitas, hemorragias no
                                                    crânio, hemorragia no parto.
Tetraciclina……………………...atraso no desenvolvimento ósseo e dentário
Diuréticos………………………..desequilíbrio de água e sal com dano cerebral
Estreptomicina………………….danos nos rins, ouvidos e no equilíbrio

Drogas maternas “necessárias”: toda substância que já está sendo utilizada pela gestante deve ser avaliada na sua necessidade, ajustar a dosagem e ficar sob supervisão médica; quimioterapia deve ser evitada, se possível, nos 3 primeiros meses de gravidez; talidomida, muito utilizada na década de 60 como sedativo causa deformidades dos membros, mas seu uso é autorizado em casos de lepra e Aids.

C ) Diabetes na gravidez

Esta gravidez deve ser muito monitorada devido aos frequentes problemas decorrentes de diabetes mal controlada (a insulina existe desde 1922); com isto se reduziu muito o número de complicações fetais.
     Aproximadamente 1% das mulheres em idade reprodutiva tem diabetes e outros 2 a 5% desenvolvem durante a gravidez. A doença mal controlada pode causar:
 1) excessivo peso ao nascer  2) prematuridade 3) deficiências cardíacas
 4) hipoglicemia ao nascer  5) convulsões 6) retardo mental 7) deformidades do cérebro e do tubo neural 8) abortamento ou risco de natimorto.

D) Drogas ilícitas na Gravidez

Ao redor de 5% dos bebês nascidos (USA) são de mães usuárias de drogas na gravidez; riscos de:- abortamentos; -natimortos; -baixo peso ao nascer.

A cocaína é viciante, tóxica e teratogênica (problemas de morte fetal, problemas de desenvolvimento e comportamento em longo prazo, tais como, baixo peso ao nascer, deficiências mentais, paralisia cerebral e má-formação do trato urinário).

 E) Álcool e Tabaco

São alarmantes os dados da quantidade de alcoólatras em idade reprodutiva; sabe-se que os efeitos do álcool atingem o feto duas vezes mais rápido do que a gestante, e na mesma concentração.

Mito: o feto retira da mãe só o que precisa e não é afetado pelo consumo de álcool!
Já na Grécia antiga, os recém-casados eram proibidos de consumir álcool a fim de evitar a concepção enquanto estivessem intoxicados. Em 1970, foi descrita a Síndrome Alcóolica Fetal, e é a principal causa de defeitos congênitos nos EUA; apresentam retardo mental e defeitos físicos aparentes. É totalmente prevenível, com a orientação às mulheres em idade reprodutiva.

Características da Síndrome Alcoólica Fetal:

 Retardo de crescimento intra-uterino e pós-parto
 Pequena altura em relação ao peso / PC reduzido
 Deformidades oculares
 Deformidades nasais, dos lábios e face.
 Defeitos cardíacos, esqueléticos, dos genitais e articulações atraso no desenvolvimento motor.
 Distúrbios de comportamento: nervosismo, hiperatividade, sugar deficiente, sono irregular.
 Retardo mental leve a moderado.

 O álcool passa diretamente da placenta para a corrente sanguínea do feto, ao contrário da mãe que o recebe e o metaboliza antes de ir para o sangue; os danos são enormes, principalmente o retardo mental e deformidades faciais; a recomendação da Academia Americana de pediatria é de abstinência total do consumo de álcool para mulheres grávidas ou que pretendam engravidar.

O ato de fumar da mulher grávida tem efeitos negativos no desenvolvimento fetal; nos EUA 13% das mulheres fumam durante a gravidez e 12% dos bebês nascidos de mães fumantes, apresentavam baixo peso e prematuridade.

Lábio Leporino, Fenda Palatina e retardo mental também têm sido associados ao hábito de fumar na gravidez. Exposição pós-natal a um ambiente com fumaça de cigarro pode causar doenças respiratórias, como asma, rinite entre outras.

F) Fatores Hereditários

Espermatozóide e óvulo (23 cromossomos cada) >>>> embrião (46 / 23 pares) cada cromossomo, pelas mitoses (div. celular) tem réplica em cada célula do corpo; os genes são encontrados em cada cromossomo, sendo que cada um pode conter mais de 20.000 genes; todas as características individuais são determinadas por eles; normalmente os cromossomos e os genes permanecem inalterados em todo o período pré-natal,mas devido à variedade de fatores genéticos é possível que haja alterações do processo normal de desenvolvimento.

Especulação: algumas substâncias poderiam causar danos aos cromossomos após a concepção?

Desordens cromossômicas

15 a 50% do total de gestações terminam em aborto espontâneo, geralmente no primeiro trimestre, a maioria de anormalidades cromossômicas; 1% dos RN vivos apresentam anormalidades.

A mais frequente: Síndrome de Down, ou trissomia do 21; existem 47 cromossomos em todas as células;

Incidência: 1:800 ou 1:1.000  nascimentos vivos; tem relação com a idade materna ( aos 35 anos: 1:400; aos 40 anos: 1:110; aos 45 anos: 1:35 nascidos vivos.
Anormalidades vinculadas aos cromossomos e aos genes terá impacto, variando do moderado ao grave, podendo chegar ao catastrófico, sobre o desenvolvimento posterior.

Desordens Genéticas

Os defeitos genéticos variam muito em suas consequências, dependendo se o gene mutante está em um autossomo ou em um cromossomo ligado ao sexo e se está em um gene único ou também em seu par. Atraso e RDNPM não estão usualmente presentes em mutações autossômicas dominantes, ao contrário das mutações recessivas autossômicas onde estas estão presentes.

As mais comuns mutações autossômicas, que afetam o desenvolvimento motor posterior são:
a)    Deformidades dos pés
b)    Anemia Falciforme
c)    Doença de Tay-Sachs
d)    Fenilcetonúria (PKU)
e)    Espinha Bífida

Os pés disformes são o principal problema ortopédico congênito em crianças; 1 em cada 700 RN / anualmente, tem uma forma severa de pés disformes, e os meninos  apresentam o dobro de probabilidade do que as meninas.

 Há três formas:

   - Equinovaro (mais grave) onde os pés são tortos para dentro (medial) e p/ baixo é o chamado pé torto congênito.    
   - Calcâneo Valgo (mais comum) os pés apontam para cima e para fora; é o mais fácil de se corrigir com cirurgia.
  - Metatarso Varo (mais suave) a parte frontal dos pés está voltada para dentro e é notada frequentemente só com alguns meses de vida.
 Todos devem ser tratados precocemente, maximizando com isto resultados, evitando-se transtornos motores futuros.

A Anemia Falciforme , desordem genética hereditária sanguínea que afeta mais indivíduos da raça negra ou descendentes ( 1:400 ),árabes, gregos, italianos e espanhóis ; 1:12 negros é portador de gene falciforme e 25% de chance de um filho do portador desenvolver doença; geralmente o crescimento e o desenvolvimento motor são deficientes; os efeitos variam bastante: -anemia; -dores em vários locais; -lesões de vários órgãos; -falta de ar; - maior chance de morte por infecções, etc. Diagnóstico: exame de sangue simples e ao nascer no teste do Pezinho.

A Doença de Tay-Sachs (doença lisossomal, onde o defeito é nos lipídeos das paredes celulares; há uma deficiência enzimática) acomete mais judeus e seus descendentes; é sempre fatal; os sintomas na infância com perda do controle motor; a seguir cegueira e paralisia, com a morte por volta dos 5 anos; exame de sangue localiza os portadores ou exame do liquido amniótico durante a gravidez.

A Fenilcetonúria (PKU) é a única desordem genética que pode ser totalmente tratada se diagnosticada suficientemente cedo; desordem metabólica onde um gene inibe a produção de uma enzima que converte a alanina em tirosina; a criança não pode ingerir qualquer alimento que possua fenilalanina (leite, refrigerantes, laticínios); com dieta adequada não evolui para o retardo mental característico dos casos não tratados.

A Coluna Bífida, ou espinha bífida, defeito congênito da coluna vertebral por formação enfraquecida ou ausência do arco vertebral;1:2.000 nascimentos tem CB.

Não tem qualquer caráter hereditário, mas, famílias com um filho afetado tem mais chance de ter um segundo caso na família (1:40); famílias com dois filhos afetados tem chance de 1:20 para um terceiro caso. Os casos são de intensidades variáveis desde quadros leves que passam despercebidos sem qualquer sintoma, detectado só por Rx, até casos graves com paralisia e outras  lesões permanentes.

A suplementação de ácido fólico em mulheres em idade reprodutiva pode reduzir a incidência desta malformação em até 50%.

G) Fatores Ambientais

 - Radiação A exposição ao feto a 25 rads ou mais pode ser lesivo, principalmente no primeiro trimestre de gravidez; deve-se evitar Rx sempre que possível, principalmente na região pélvica; pode causar microcefalia (cabeça e cérebro pequenos) e retardo mental... Dose cumulativa de radiação ovariana ao longo dos anos? …em estudo.

 - Poluentes químicos É difícil se correlacionar poluentes químicos, mãe grávida e anormalidades posteriores no RN; sabe-se que mercúrio e chumbo têm relação direta; altas doses de vitamina A.

H) Problemas médicos da gestante

 1- Doenças sexualmente transmissíveis (DST), tais como, herpes genital, clamídia, gonorréia, sífilis e HIV / AIDS são ameaças diretas ao feto; são doenças transmitidas ao feto antes do nascimento, durante o parto ou pelo leite; o treponema (da sífilis) atravessa a placenta e infecta o feto dentro do útero; gonorréia, clamídia e herpes genital podem ser transmitidos ao bebê na hora do parto; a infecção por HIV pode ser transmitida durante o parto e pelo leite materno; as consequências são enormes e é importante que se faça exames para DST quando se pretende engravidar;

O Herpes Genital pode causar lesão cerebral permanente ou morte; está contra-indicado o parto normal neste caso; a Clamídia é pouco diagnosticada, mas muito frequente, podendo causar prematuridade, natimorto, pneumonia ao nascimento, infecções dos olhos e cegueira. A Gonorréia pode resultar em gestação ectópica e lesão ocular no RN; facilmente curada com antibióticos. A Sífilis materna, também facilmente curada com antibióticos nos seus primeiros estágios; o RN com sífilis pode ser natimorto ou apresentar lesões várias, cardíacas, oculares, auditivas, distúrbios motores, sensoriais e cognitivos posteriores. A AIDS se transmite de forma vertical para o feto via placenta, ou no canal do parto ou até pela amamentação.

2- Infecções maternas: - citomegalovírus (CMV) e a rubéola

Ambas se contraídas no primeiro trimestre de gravidez tem efeitos devastadores.
O CMV é a infecção mais comum causadora dos defeitos congênitos com cegueira, surdez e retardo mental; 4% das mulheres grávidas ocultam o vírus, mas 95% dos RN são assintomáticos e 5% apresentam dificuldades de desenvolvimento com retardo motor moderado a grave.
A Rubéola quando acomete o feto, principalmente no 1° trimestre pode causar surdez, cegueira e retardo mental.

3- Desequilíbrios hormonais e químicos / Por ex, doenças como da tireóide podem causar dano mental irreversível ao feto, se não bem controladas durante a gravidez; a diabetes não bem compensadas pode resultar em retardo mental, problemas circulatórios e respiratórios e até morte. Deve ser feito o monitoramento adequado durante a gravidez dos diabetes.

4- Incompatibilidade do fator Rh: É a chamada eritroblastose fetal e acontece, mais frequentemente, quando o RN provem  de um pai Rh+ e uma mãe Rh-; embora as correntes sanguíneas da mãe e do feto não tenham comunicação, pode haver alguma mistura do sangue fetal com o de sua mãe  nos últimos estágios de gravidez,e esta por sua vez desenvolver anticorpos contra o fator Rh, e numa possível futura gravidez destruir os glóbulos vermelhos deste bebê.

5- Estresse emocional materno: As crianças nascidas de mães emocionalmente estressadas tendem a ser vulneráveis a uma série de problemas durante sua vida.
Como o sistema nervoso da mãe está “quimicamente ligado”ao do feto, quando o sistema nervoso autônomo derrama na corrente sanguínea da gestante uma dose de neurotransmissores e secreções, uma parte chega ao bebê podendo causar alguma reação.

6- Gravidez na adolescência: Cada vez mais adolescentes engravidam hoje no mundo todo; mães nesta faixa de idade tem mais propensão a terem partos prematuros e bebês com baixo peso ou pequenos para a idade gestacional; como estes bebês, de risco, tem mais chance de apresentarem complicações do desenvolvimento motor e de aprendizado, distúrbios de controle de temperatura corporal, problemas respiratórios e morte, gravidez na adolescência é fator de risco. Os índices de complicações maternas em gestantes com menos de 15 anos é alto.

7- Toxoplasmose: Um a cada 1.000 RN nasce infectado pelo Toxoplasma Gondii;
Frequentemente pequenos para a idade gestacional, aparentemente normal às vezes até a adolescência, pois os cistos do parasita podem se romper a qualquer momento da vida infectando olhos, coração, órgãos internos e SNC. É prudente que se evite contato com gatos durante a gravidez, pois a infecção é muito agressiva quando manifesta; durante a gravidez os sintomas são iguais aos de uma gripe, mas frequentemente estão ausentes (a maioria dos casos é assintomática); a doença pode causar danos cerebrais graves e inúmeras incapacidades sensoriais e motoras.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO