Recomendações para exercícios durante a gravidez

Não há dados em humanos que indicam que a mulher grávida deve limitar a intensidade de exercícios e submeter-se a frequências cardíacas mais baixas em virtude de efeitos adversos potenciais.

Para as mulheres sem nenhum risco adicional na gestação e nos resultados perinatais, as seguintes recomendações podem ser feitas:

1. As mulheres podem continuar a se exercitar durante a gravidez e aproveitarem os benefícios originados dos mesmos com esquemas de treinamento leves a moderados. Exercícios regulares (pelo menos 3 vezes por semana ) são preferíveis às atividades intermitentes.

2. As mulheres devem evitar exercícios em posição supina (deitadas sobre as costas) após o terceiro mês. Tal posição está associada com a diminuição do débito cardíaco na maioria das grávidas. Nesses casos, durante um exercício vigoroso, o sangue será desviado do útero e vísceras, para os músculos e cérebro. Tais regimes de circulação sanguínea devem ser evitados na gravidez, pois podem comprometer a oxigenação do bebê. Períodos prolongados de pé numa mesma posição também devem ser evitados.

3. As mulheres devem ter cuidado com a diminuição da disponibilidade de oxigênio para os exercícios aeróbicos, durante a gravidez. Elas devem ser encorajadas a modificar a intensidade do exercício de acordo com os sintomas que apresentem. Devem interromper os exercícios quando se sentirem fatigadas, e não se exercitarem até a exaustão. Exercícios que envolvem suporte de peso podem, sob algumas circunstâncias, ser mantidos em intensidade semelhante àquelas antes da gravidez. Exercícios tais como pedalar e natação minimizam os riscos de danos ao corpo e são mais fáceis de serem mantidos durante a gestação.

4. As alterações morfológicas na gravidez (alterações do tamanho, forma e peso) servem como contra-indicação relativa aos tipos de exercícios em que a perda do equilíbrio possa ser prejudicial para o bem estar materno-fetal, especialmente no 3º trimestre. Além disso, qualquer tipo de exercício envolvendo moderado risco para o traumatismo abdominal deve ser evitado.

5. A gravidez requer um adicional de 300 calorias por dia para manter a homeostase metabólica (funcionamento estável do organismo). Assim, as mulheres que se exercitam durante a gestação devem tomar cuidados especiais e manterem uma dieta adequada.

6. As mulheres grávidas que se exercitam no 1º trimestre aumentam suas perdas de energia e devem assegurar uma hidratação adequada (tomar bastante líquido), usar roupas apropriadas e estarem em um ambiente agradável e adequado para a prática dos exercícios.


7. Muitas das alterações fisiológicas e morfológicas da gravidez persistem por quatro a seis semanas após o parto. Desse modo às rotinas de exercício da gravidez devem ser retomadas gradualmente com base na capacidade física de cada mulher.

4 Comentários:

André disse...

Boa tarde!

Tenho uma dúvida. O título diz que não seria necessário alterar intensidade ou frequências cardíacas durante os exercícios, então essas recomendações seriam baseadas em que estudo?

Obrigado, André.

Adm. Blog disse...

André,

O enunciado diz:

Não há dados em humanos que indicam que a mulher grávida deve limitar a intensidade de exercícios...

E, não que:

não seria necessário alterar intensidade...

André disse...

Ok, entendi! Eu interpretei errado então. Mesmo não havendo dados não quer dizer que não tenha que limitá-los, né?

Obrigado, André.

Adm. Blog disse...

André,

Isto mesmo, como diz o ditado: "Cautela e canja de galinha, não faz mal a ninguém".

Obrigada pelas visitas e principalmente pela participação!

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO