Função muscular cotovelo e antebraço




Flexores de Cotovelo

1) Braquial: É um músculo uniarticular que se insere perto do eixo de movimento da ulna, de modo que não é afetado pela posição do antebraço ou ombro; ele participa de todas as atividades de flexão do cotovelo.

2) Bíceps Braquial: È um músculo biarticular que cruza o ombro e o cotovelo e se insere perto do eixo de movimento do rádio, de modo que também age como supinador do antebraço. Funcionam mais efetivamente como flexor do cotovelo entre 80 e 100 graus de flexão. Para ter uma relação comprimento/tensão ideal, o ombro estende-se apara alongar o músculo quando este se contrai com força completa na função do cotovelo e antebraço.

3) Braquiorradial: Com sua inserção a uma grande distância do cotovelo no rádio distalmente, o braquiorradial funciona principalmente para dar estabilidade para a articulação, mas também participa à medida que a velocidade do movimento de flexão aumenta e uma carga é aplicada com o antebraço a partir da supinação média para pronação completa.

Extensores do Cotovelo

Tríceps Braquial: A cabeça longa cruza o ombro e o cotovelo; as duas cabeças são uniaxiais. A cabeça longa funciona mais efetivamente como um extensor do cotovelo se o ombro é fletido simultaneamente; isso mantém uma relação ideal comprimento/tensão no músculo.

Ancôneo: Este músculo estabiliza o cotovelo durante a supinação e pronação e auxilia a extensão do cotovelo.

Supinadores do Antebraço

Bíceps Braquial

Supinador: A inserção proximal do supinador nos ligamentos anular e colateral lateral podem funcionar para estabilizar a face lateral do cotovelo. Sua efetividade como supinador não é afetada pela posição do cotovelo como ocorre com o bíceps braquial.

Pronadores do Antebraço

Pronador Redondo: Este músculo faz pronação e estabilização da articulação radioulnar proximal e ajuda a aproximar a articulação umerorradial.

Pronador Quadrado: O pronador quadrado é um músculo uniarticular e fica ativo durante todas as atividades de pronação.

Músculos do Punho e da Mão

Muitos músculos que agem em punho e mão se inserem na porção distal (epicôndilo) do úmero. Isso permite movimentação dos dedos e punho se o antebraço está em pronação ou supinação.

1) Originando-se do epicôndilo medial saem o flexor radial do carpo, flexor ulnar do carpo, palmar longo, e flexor superficial e profundo dos dedos.

2) Originando-se do epicôndilo lateral saem o extensor radial do carpo longo e curto, o extensor ulnar do carpo e o extensor dos dedos.

3) Os músculos dão estabilidade ao cotovelo, mas contribuem pouco para a sua movimentação. A posição do cotovelo influencia a relação comprimento/tensão dos músculos durante suas ações sobre o punho e mão.

Principais nervos sujeitos a pressão e trauma ao redor do cotovelo

Ulnar: Fica superficial na cavidade do olecrano, posterior ao epicôndilo medial, que fica coberto por uma bainha fibrosa, a qual forma o túnel ulnar; ele então passa entre as cabeças do flexor ulnar do carpo. Pressão ou lesão no nervo nesses locais irá causar alterações sensoriais na distribuição cutânea do nervo (borda ulnar da mão, dedo mínimo, metade ulnar do dedo anular), com fraqueza progressiva nos músculos inervados distalmente ao local da lesão (flexor ulnar do carpo, metade ulnar do flexor profundo dos dedos, eminência hipotênar, interósseos, lumbricais III e IV, flexor curto do polegar e adutor do polegar.

Radial: Penetra no septo muscular lateral anteriormente ao epicôndilo lateral e passa sob a origem do extensor radial curto do carpo, e então se divide. O ramo profundo pode ser comprimido à medida que passa sob a margem do extensor radial curto do carpo, e a fenda fibrosa do supinador, levando a enfraquecimento progressivo do punho e músculos extensores dos dedos e supinadores (exceto o extensor radial longo do carpo, que é inervado proximalmente à bifurcação. O ramo profundo pode também ser lesado com uma fratura na cabeça do rádio. O nervo radial superficial pode receber trauma direto levando a alterações sensoriais na face lateral do antebraço até a tabaqueira anatômica, e no lado radial do dorso do punho e mão e os três dedos e meio radiais.

Mediano: O nervo cursa profundamente na cavidade ulnar, medialmente ao tendão do bíceps e artéria braquial, então progride entre as cabeças ulnar e umeral do pronador redondo e mergulha sob o músculo flexor superficial dos dedos. Pode ocorrer compressão entre as cabeças ulnar e umeral do pronador redondo e mergulha sob o músculo flexor superficial dos dedos. Pode ocorrer compressão entre as cabeças do músculo pronador, levando à alterações sensoriais que simulam uma síndrome do túnel do carpo (face palmar do polegar, indicador, médio e metade do dedo anular, e face dorsal das falanges do indicador e anular). As alterações motoras incluem o pronador redondo, flexores do punho, flexores extrínsecos dos dedos, e o tenar intrínseco e lumbricais I e II. (A síndrome do túnel do carpo envolve exatamente os músculos intrínsecos da eminência tenar e lumbricais I e II).

Fonte: Kisner

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO