Prova residência fisioterapia em saúde da família - Facime

01. Na Constituição Federal do Brasil de 1988, a saúde é definida como:

a) dever do Estado, da família, das empresas e da sociedade, executando as ações de vigilância sanitária e epidemiológica;
b) valor inalienável, devendo o Estado colaborar na assistência através de políticas de proteção aos mais necessitados;
c) resultado das condições de vida, devendo ser garantida mediante acesso a planos de saúde complementares;
d) ato de cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência;
e) direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício.

02. O SUS deve ser organizado de acordo com a seguinte diretriz:

a) atendimento integral, com prioridade para as atividades assistenciais, sem prejuízo dos serviços preventivos;
b) regionalização da atenção básica entre os municípios vizinhos;
c) descentralização, com direção única da esfera municipal;
d) participação da comunidade;
e) descentralização com direção única da esfera estadual.

03. É da competência e das atribuições da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios exercerem, em seu âmbito administrativo, as seguintes atribuições:

a) definição das instâncias e mecanismos de controle social;
b) organização das lideranças dos grupos existentes na população adscrita no território destinado à implementação da estratégia Saúde da Família;
c) acompanhamento, avaliação e divulgação do nível de saúde da população e das condições ambientais;
d) controle dos sistemas de informação em saúde para o apoio à tomada de decisões;
e) capacitar técnicos em informação para a gestão das informações produzidas para uso nas gerências da organização de saúde.

04. Em se tratando do SUS, o Programa Saúde da Família (PSF) se situa como um(a):

a) articulação de ações de saúde especializadas;
b) programa paralelo;
c) abordagem de intervenção mínima;
d) estratégia de reorientação de ações;
e) uma proposta antagônica.

05. Historicamente, as políticas públicas de saúde bucal priorizam o atendimento a crianças e gestantes. Um princípio do Sistema Único de Saúde (SUS) orientou uma mudança de modelo assistencial e ampliou a oferta e acesso à saúde bucal para linhas de cuidado, condições de vida com o reconhecimento de especificidades próprias da idade como saúde da criança, saúde do adolescente, saúde do adulto e saúde do idoso, saúde da mulher, saúde do trabalhador, portadores de necessidades especiais, hipertensos, diabéticos, dentre outras. Este princípio é CORRETAMENTE denominado(a):

a) participação popular;
b) igualdade;
c) universalidade;
d) complementaridade;
e) controle social.

06. Marque dentre as alternativas abaixo a que faz referência à Portaria que regulamentou os pactos pela vida, pela defesa do SUS e de Gestão do SUS.

a) Portaria GM/MS 699 de 24 /02/ 2004.
b) Portaria GM/MS 204 de 28 /01/ 2006.
c) Portaria GM/MS 399 de 22 /02/ 2006.
d) Portaria GM/MS 3.332 de 29/01/2006.
e) Portaria GM/MS 3.339 de 18/03/2005.

07. A respeito da VIII Conferência Nacional de Saúde, realizada em março de 1996, em Brasília, é INCORRETO afirmar:

a) saúde como direito de cidadania, foi um dos principais temas debatidos nesta conferência;
b) reformulação foi um dos principais temas debatidos na VII Conferência Nacional de Saúde;
c) financiamento do Setor, foi também um dos principais temas debatidos nesta Conferência;
d) esta Conferência diferiu das demais pela participação de setores organizados da sociedade;
e) os principais temas debatidos nesta Conferência foram quatro, dentre os quais está incluído a Comunicação Social.

08. O PSF/MS desenvolve ações de promoção e proteção à saúde do indivíduo, da família e da comunidade. O primeiro passo para que isto ocorra é o:

a) encaminhamento odontológico;
b) encaminhamento médico;
c) encaminhamento de enfermagem;
d) cadastramento hospitalar;
e) cadastramento familiar.

09. O encaminhamento de pacientes a um atendimento de maior grau de complexidade no âmbito do SUS, é denominado(a):

a) referência;
b) contra-referência;
c) acesso universal;
d) eqüidade;
e) hierarquização.

10. O Agente Comunitário de Saúde está incluído no PSF/MS. O êxito no modelo assistencial desse processo de trabalho está CORRETAMENTE identificado em:

a) prestação de assistência secundária especializada no domicílio e na comunidade;
b) atua nas Unidades e na rede hospitalar;
c) atenção ao paciente sem fazer contato com a Unidade Básica de Saúde;
d) elo de ligação entre a Unidade Básica de Saúde e a Comunidade;
e) realiza uma rede entre atenção primária, secundária e terciária.

11. A respeito do Sistema Único de Saúde (SUS) e da sua regulamentação é INCORRETO afirmar:

a) as leis Orgânicas de Saúde (LOS) são consideradas leis infraconstitucionais, que disciplinam legalmente o cumprimento do mandamento constitucional da proteção e da defesa da saúde.
b) a regulamentação infraconstitucional do SUS inicia-se com as leis 8.080 e 8142 e é seguida por um conjunto de Leis, Decretos, Normas Operacionais.
c) a lei 8.080 (19/09/1990) dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, organização e funcionamento dos serviços correspondentes.
d) a lei 8.089 (27/07/1993) dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS.
e) a lei 8.142/90 é fruto de grande negociação ocorrida na época entre os vários atores envolvidos no processo de construção do SUS no Brasil.

12. Para o desenvolvimento de ações na perspectiva do cuidado em saúde bucal foi definido, democraticamente, na política pública a participação das representações de usuários, trabalhadores e prestadores de serviço, em todas as esferas de governo. A orientação deste princípio significa:

a) Gestão Participativa;
b) Acolhimento;
c) Intersetorialidade;
d) Eqüidade;
e) Vínculo.

13. Desenvolver ações para o usuário, considerando-o em sua integralidade biopsicossocial, obedecendo ao pressuposto de que o serviço de saúde seja organizado de forma centrada no usuário, garantido por uma equipe multiprofissional, nos atos de receber, escutar, orientar, atender, encaminhar e acompanhar, é a descrição de:

a) vínculo;
b) ética;
c) acesso;
d) responsabilização;
e) acolhimento.

14. As Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal estabelecem que as ações sejam precedidas de um diagnóstico das condições de saúde-doença das populações, através da abordagem familiar e das relações que se estabelecem no território onde se desenvolve a prática do PSF, orientada por:

a) anamnese dos pacientes realizada na Unidade Básica de Saúde;
b) estudo epidemiológico e informações sobre o território;
c) exames laboratoriais indicados pelo CD;
d) exames radiográficos;
e) uma combinação de técnicas e tecnologias.

15. Os Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs), implementados pela política do Brasil Sorridente do SUS, realizam as seguintes atividades, EXCETO:

a) diagnóstico bucal com ênfase no diagnóstico e detecção da doença câncer bucal;
b) periodontia especializada e endodontia;
c) cirurgia oral menor;
d) atendimento às necessidades de atenção primária de saúde bucal da população.
e) atendimento a portadores de necessidades especiais;

16. A respeito da NOAS-SUS 01/2002, é CORRETO afirmar:

a) teve como finalidade a ampliação das responsabilidades dos municípios na atenção básica e estabelece o processo de regionalização como estratégia de hierarquização dos serviços de saúde, buscando maior equidade;
b) teve como objetivo a avaliação de resultados e distribuição alocativa dos recursos do SUS;
c) assegurou a manutenção das diretrizes abrangentes universais dos municípios;
d) apresenta uma proposta de manter o teto Global do Estado e introduziu o Piso Ambulatorial Básico;
e) estabelece critérios e requisitos para implementação de ações de combate as carências nutricionais nos municípios, definindo como prioridade o fortalecimento destas ações.

17. O acesso à anestesia em todas as situações em que for indicada, bem como a medicações e procedimentos que possam aliviar a dor e o sofrimento é um direito do usuário do SUS, previsto, no documento denominado, CORRETAMENTE:

a) Pacto de Saúde 2006 (SUS).
b) Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde (SUS).
c) Normas para o Controle Social (SUS).
d) Agenda de Compromissos e Metas Nacionais (SUS).
e) Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal (SUS).

18. O PACTO PELA SAÚDE (BRASIL, 2006) foi criado na perspectiva de superar os desafios enfrentados na implementação do SUS. Constitui-se em um compromisso público que será anualmente revisado, com base nos princípios constitucionais do SUS que por sua vez, devem ser assumidos por:

a) profissionais de saúde;
b) conselheiros de saúde;
c) movimentos sociais;
d) gestores;
e) usuários de saúde.

19. Dentre as ações estratégicas do PACTO PELA SAÚDE (BRASIL, 2006) foi instituída a modalidade de prestação de serviços de atenção domiciliar dirigida à(ao):

a) criança;
b) idoso;
c) gestante;
d) hipertenso;
e) diabético.

20. Segundo Medeiros Júnior (2004) a organização histórica e a trajetória da Odontologia brasileira possibilitam compreender as pressões políticas, financeiras e ideológicas no sentido contrário à implementação do SUS, refletidas na prática privada liberal, centrada na produção do lucro como finalidade principal e que se reproduziu nos serviços públicos de saúde. Para o êxito de uma prática odontológica coletiva que amplia a noção de cidadania, direito e qualidade de vida torna-se necessário incluir no processo de trabalho da equipe de saúde bucal do PSF/SUS:

a) a ampliação das ações técnico-curativas;
b) ampliação de instrumentos e equipamentos odontológicos;
c) a aplicação das ciências sociais no cotidiano da prática odontológica;
d) a inclusão de novos especialistas para atendimento da demanda;
e) a incorporação de novas tecnologias à assistência odontológica.

21. A VIII Conferência Nacional de Saúde, ocorrida em 1986, a partir do encontro de vários atores sociais, forneceu as bases para a criação do Sistema Único de Saúde e fomentou eixos para o processo de Promoção da Saúde. Assinale a alternativa que NÃO representa, CORRETAMENTE, uma das conclusões fundamentais da VIII Conferência.

a) A ampliação do conceito de saúde.
b) A urgência de criação de políticas públicas para a promoção da saúde.
c) A possibilidade das entidades sanitárias responderem pelos problemas de saúde de maneira integral.
d) Controle Social no Sistema de Saúde.
e) A criação de um Sistema de Saúde universal.

22. A Política de Promoção da Saúde do SUS impõe mudanças nas formas de intervenção em saúde, no sentido de aumento de seu escopo. Nesse sentido, assinale a alternativa que indica CORRETAMENTE, como deve se configurar tal movimento de ampliação.

a) Agenciar ações em saúde que procurem dar conta das enfermidades e de suas consequências, bem como produzir normas informativas sobre os modos de vida mais saudáveis.
b) Produzir ações de cuidado em relação ao adoecer e seus efeitos e promover ações para além dos muros dos dispositivos de saúde, de modo a exercer influência nas condições de vida dos usuários e da coletividade, procurando aumentar seus potenciais de escolhas saudáveis no território em que vivem.
c) Inserir-se nos contextos de vivência dos usuários, mapeando os modos de vida com o objetivo de oferecer prescrições de vida e de cuidado em saúde.
d) Ações de caráter preventivo a partir do levantamento epidemiológico das doenças mais comuns.
e) Construir bases normativas para divulgação no contexto de circulação dos usuários e fomentar ações de enfrentamento das doenças mais comuns à população assistida.

23. O Ministério da Saúde, em sua Política de Promoção da Saúde, define objetivos vitais para sua implementação. Assinale a alternativa que NÃO representa, CORRETAMENTE, um desses objetivos.

a) Incorporar e implementar ações de promoção da saúde, com ênfase na atenção básica.
b) Favorecer a preservação do meio ambiente e a promoção de ambientes mais seguros e saudáveis.
c) Estimular a adoção de modos de viver não-violentos e o desenvolvimento de uma cultura de paz no país.
d) Ampliar os processos de administração local, com ênfase na ação de gestores municipais e trabalhadores de saúde.
e) Estimular alternativas inovadoras e socialmente inclusivas/contributivas no âmbito das ações de promoção da saúde.

24. Assinale, abaixo, a alternativa que NÃO se configura como uma das Ações Específicas definidas pela Política Nacional de Promoção da Saúde para o biênio 2006 – 2007.

a) Prática Corporal/Atividade Física.
b) Prevenção e Controle do Tabagismo.
c) Prevenção da violência e estímulo à cultura de paz.
d) Prevenção do HIV/AIDS.
e) Promoção do desenvolvimento sustentável.

25. A Equidade é um eixo fundamental para o fomento da Promoção da Saúde. Acerca de seu conceito no âmbito da saúde é CORRETO afirmar que o seu significado:

a) está vinculado à igualdade;
b) sintetiza-se na relação entre justiça e igualdade;
c) engloba o reconhecimento da singularidade de situações e de subjetividades;
d) participação igualitária na saúde;
e) acesso universal de cidadãos.

26. A Política Nacional de Promoção da Saúde no Brasil necessita da Participação Popular para seu desenvolvimento. Sobre o papel do usuário NÃO se pode afirmar, CORRETAMENTE, como uma de suas posturas:

a) inserir-se nos Conselhos de Saúde;
b) construir e executar ações, em saúde, em parceria com os gestores;
c) articular-se intersetorialmente na busca de soluções para os problemas de saúde;
d) empoderar-se individual e comunitariamente na consecução das ações em saúde;
e) seguir as determinações formuladas por profissionais de saúde e gestores.

27. O “Programa Mais Saúde: direito de todos” do Ministério da Saúde propõe ações em Eixos Fundamentais para garantir e promover a saúde como direito básico do cidadão. Um dos Eixos é o de Promoção da Saúde, que se organiza por medidas a serem executadas no período 2008 – 2011. Assinale a alternativa que contém a medida que NÃO corresponde ao Eixo da Promoção de Saúde.

a) Expandir as Ações de Planejamento Familiar.
b) Fortalecer e ampliar as ações de promoção para a Atenção Integral à Saúde do Idoso.
c) Promover ações de enfrentamento das iniqüidades e desigualdades em saúde (para grupos populacionais de negros, quilombolas, GLBTT, ciganos, prostitutas, população em situação de rua, dentre outros).
d) Estimular o aleitamento materno.
e) Fortalecer e ampliar as ações de promoção para a Atenção Integral à Saúde da Mulher.

28. Assinale a alternativa que contém a designação da Conferência Internacional de Promoção da Saúde em que o Brasil também foi signatário de sua Declaração.

a) Conferência de Ottawa.
b) Conferência de Jacarta.
c) Conferência de Port Spain (Caribe).
d) Conferência de Bogotá.
e) Conferência de Berlin.

29. Conferências Mundiais e Regionais de Promoção da Saúde desde a década de 1980 vêm apontando cinco (05) Estratégias Fundamentais para garantir a montagem e o desenvolvimento de políticas de Promoção da Saúde. Assinale a alternativa que apresenta, CORRETAMENTE, tais Estratégias.

a) Políticas públicas saudáveis, ambientes favoráveis à saúde, reorientação dos serviços de saúde, reforço da ação comunitária e desenvolvimento de habilidades pessoais.
b) Políticas públicas saudáveis, ambientes favoráveis à saúde, intersetorialidade, reforço da ação comunitária e desenvolvimento de habilidades pessoais.
c) Políticas públicas saudáveis, criação de projetos de emprego-renda, reorientação dos serviços de saúde, reforço da ação comunitária e intersetorialidade.
d) Políticas públicas saudáveis, ampliação do conceito de saúde, reorientação dos serviços de saúde, reforço da ação comunitária e desenvolvimento da integralidade.
e) Ampliação do conceito de saúde, ambientes favoráveis à saúde, reorientação dos serviços de saúde, reforço da ação comunitária e desenvolvimento de habilidades pessoais.

30. No artigo, publicado em 2004, Promoção da Saúde. Porque Sim e Porque Ainda Não! Bydlowski, Westphal, e Pereira, autores do citado artigo, apontam vetores que podem estar dificultando a inserção e o desenvolvimento de políticas de Promoção da Saúde no Brasil. Assinale a alternativa em que estão CORRETAMENTE apresentados todos os vetores em questão.

a) O modelo biomédico, a estrutura dos relacionamentos, a estrutura do governo, o sucateamento das instituições de saúde e a própria cultura medicalizada da população.
b) O modelo biomédico, o não cumprimento dos princípios do SUS, a estrutura do governo, os meios de comunicação e a própria cultura medicalizante da população.
c) O descompromisso do poder público, a estrutura dos relacionamentos, a estrutura do governo, os meios de comunicação e a própria cultura medicalizada da população.
d) O modelo biomédico, a estrutura dos relacionamentos, a estrutura do governo, os meios de comunicação e a própria cultura medicalizada da população.
e) A inércia dos Conselhos de Saúde, a estrutura dos relacionamentos, a estrutura do governo, os meios de comunicação e a própria cultura medicalizada da população.

31. Assinale a alternativa cujo texto NÃO configura uma das diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde.

a) Incentivar a pesquisa em Promoção da Saúde, avaliando eficiência, eficácia, efetividade e segurança das ações prestadas.
b) Estimular as ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral das ações de Promoção da Saúde.
c) Reconhecer na Promoção da Saúde uma parte fundamental da busca da eqüidade, da melhoria da qualidade de vida e de saúde.
d) Fortalecer a participação social como fundamental na consecução de resultados de Promoção da Saúde, em especial a integralidade.
e) Promover mudanças na cultura organizacional, com vistas à adoção de práticas horizontais de gestão e estabelecimento de redes de cooperação intersetoriais.

32. No artigo, publicado em 2004, Promoção da Saúde e Cultura Política: a Reconstrução do Consenso, Eduardo Stotz e José Araújo propõem um grande desafio para a construção da Promoção da Saúde nos países pobres ou periféricos. Assinale a alternativa em que o desafio proposto pelos autores é CORRETAMENTE apresentado.

a) Fomentar política de diretos humanos.
b) Construir a universalidade em saúde.
c) Empoderamento das populações excluídas.
d) Investimentos em tecnologias preventivas.
e) Construir uma nova cultura para o setor saúde.

33. A Agenda de Compromissos pela Saúde, de setembro de 2005, definida pelo Ministério da Saúde, apresenta eixos vitais para as políticas de saúde no Brasil. Assinale a alternativa em que é CORRETAMENTE apresentado o eixo no qual se ancora a Política Nacional de Promoção da Saúde.

a) Pacto em Defesa do Sistema Único de Saúde.
b) Pacto de Gestão.
c) Pacto em Defesa da Vida.
d) Pacto em Defesa dos Direitos Humanos.
e) Pacto de Incremento da Atenção Básica.

34. São campos de ação da Promoção de Saúde, EXCETO:

a) Desenvolver políticas saudáveis a partir do setor público.
b) Reforçar a ação comunitária e desenvolver ações pessoais.
c) Criar condições que contribuam com a saúde.
d) Gerenciar as atividades de organização.
e) Reorganizar (reorientar) os serviços de saúde.

35. Na prática da promoção de saúde, faz-se necessária a Educação em Saúde Pública. Assinale a alternativa CORRETA quanto ao conceito de Educação em Saúde Pública.

a) A essência da Educação em Saúde é poder oferecer informações suficientes e de qualidade à população com o objetivo de mudar hábitos, costumes prejudiciais à saúde, por condutas individuais e coletivas, favoráveis à profilaxia ou prevenção de doenças transmissíveis e crônicas, acidentes e outros.
b) A educação em saúde, sendo um componente importante, da promoção e da prevenção primária, não deverá realizar-se em todo momento do processo saúde-doença.
c) A educação em saúde, visa promover o diagnóstico precoce das doenças, ainda sem manifestação clínica, para que possa propiciar cura de uma determinada enfermidade.
d) A educação em saúde, visa garantir a atenção médica periódica e sistemáticab à população assistida.
e) A educação em saúde se sustenta, na estimulação da busca de soluções comunitárias para os problemas de saúde do meio.

36. Sendo a Promoção de Saúde, importante para melhorar a qualidade de vida das pessoas. As estratégias de Promoção de Saúde estão CORRETAMENTE representadas na alternativa:

a) Avaliação dos riscos comunitários e propedêutica.
b) Ações intersetoriais e suporte social.
c) Abordagem e contexto familiar.
d) Contextualização e funcionamento do plano
e) Caracterização e Objetividade de ação.

37. Assinale a alternativa INCORRETA, em se tratando de Promoção de Saúde.

a) A identificação dos estilos e das condições de vida, é elemento fundamental para a realização do diagnóstico e o estabelecimento de um plano de ação para a promoção de saúde.
b) A Promoção de Saúde propõe a articulação de saberes técnicos e populares e a mobilização de recursos institucionais e comunitários, públicos e privados para enfrentamento e resolução.
c) A Promoção de Saúde tem no “desenvolvimento das habilidades pessoais” um dos seus cinco campos de ações principais.
d) O espaço da família não é fundamental para a implementação das ações de Promoção da Saúde no seu componente estilo de vida.
e) O desenvolvimento de habilidades pessoais depende fundamentalmente de educação, informação e comunicação para a saúde.

38. As três importantes Conferências Internacionais sobre promoção de saúde, que estabeleceram as bases conceituais e políticas da Promoção da Saúde, foram realizadas, respectivamente:

a) Em Ottawa (1986), em Adelaide (1988) e em Sundsval (1991).
b) Em Ottawa (1980), em Veneza (1987) e em Genebra (1992).
c) Em Berlim (1985), em Genebra (1988) e em Sundsval (1989).
d) Em Ottawa (1971), em Adelaide (1978) e em Genebra (1981).
e) Em Adelaide (1958), em Berlim ( 1966 ) e em Veneza (1972).

39. A Carta de Ottawa, documento aprovado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), define promoção de saúde como:

a) o processo de organização das atividades dos profissionais de saúde para atuar no meio ambiente.
b) o conjunto de ações ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes da Saúde do indivíduo.
c) o processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria da sua qualidade de vida e saúde.
d) o processo de valorização das ações dos agentes comunitários de saúde.
e) conjunto de ações envolvidas na detecção precoce do estado de saúde da população.

40. A portaria GM/MS 399, de 22 de fevereiro de 2006, divulga o Pacto pela Saúde, que apresenta três dimensões: Pacto pela Vida, Pacto em Defesa do SUS e Pacto de Gestão. O pacto pela vida contém as seguintes prioridades, EXCETO:

a) fortalecimento da atenção básica, controle do câncer do colo uterino e mama.
b) redução da mortalidade infantil e materna.
c) promoção da saúde, saúde do idoso.
d) participação e controle social.
e) fortalecimento da capacidade de resposta às doenças emergentes e endêmicas.

41. A Estratégia Saúde da Família teve seu início no Brasil no ano de 1994, sendo um modelo de organização dos serviços de Atenção Primaria à Saúde e mantém coerência com os princípios organizativos do SUS. Baseado nestas informações, assinale a alternativa CORRETA.

a) A Estratégia Saúde da Família mantém coerência com os princípios organizativos do SUS: acessibilidade, resolubilidade, regionalização, descentralização, hierarquização, e participação popular.
b) A Estratégia Saúde da Família mantém coerência com os princípios organizativos do SUS: Eqüidade, centralização, regionalização e integralidade.
c) A Estratégia Saúde da Família mantém coerência com os princípios organizativos do SUS: universalidade, hierarquização e interdisciplinaridade .
d) A Estratégia Saúde da Família mantém coerência com os princípios organizativos do SUS: acessibilidade, universalidade, participação popular e integralidade.
e) A Estratégia Saúde da Família mantém coerência com os princípios organizativos do SUS: regionalização, centralização, universalidade e eqüidade.

42. O novo modelo de Organização do Sistema Nacional à Saúde Brasileira difere o modelo hegemônico de atenção à saúde. Sobre esse novo modelo ESF/SUS, assinale a alternativa INCORRETA.

a) Saúde como qualidade de vida, predomínio da intervenção de equipe interdisciplinar.
b) Atenção concentrada no coletivo e hierarquização da rede de atendimento.
c) Centrado na atenção integral a saúde, incluindo ações de promoção, proteção, cura e recuperação.
d) Planejamento e programação desconsiderando perfil epidemiológico da população.
e) Funcionamento dos serviços baseados na organização da demanda e no acolhimento dos problemas da população adscrita.

43. Trabalhar a Atenção Primaria à Saúde de qualidade na ótica da Estratégia da Saúde da Família representa um desafio que somente pode ser superado no cotidiano do trabalho das equipes e na sua organização de trabalho. A esse respeito, é CORRETO afirmar:

a) a adscrição de clientela é um processo independente da definição do território de abrangência, consolidando-se com a Organização da demanda espontânea;
b) o diagnóstico de Saúde da Comunidade inicia-se com a territorialização e o cadastramento das famílias, a identificação de microáreas de risco e de grupos prioritários;
c) para reconhecimento do Território de atuação da Equipe não é necessário percorrê-lo, basta para isso, obter todas as informações necessárias com os Agentes Comunitários de Saúde;
d) na Atenção Primária, trabalhar com o planejamento normativo é o desejável, pois este identifica soluções viáveis para a realidade local;
e) no trabalho em equipe multiprofissional, cada categoria desenvolve seu campo de conhecimento e sua prática, isoladamente das outras.

44. O Ministério de Saúde, através da Portaria de Diretrizes e Normas para a Atenção Básica/2006, define várias atribuições globais comuns a todos os profissionais que integram as equipes do Programa Saúde da Família (PSF), EXCETO:

a) Garantir a integralidade da atenção por meio da realização de ações de promoção da saúde, prevenção de agravos e curativos; e da garantia de atendimento da demanda espontânea, da realização das ações programáticas e de vigilância à saúde.
b) Garantir a qualidade do registro das atividades nos sistemas nacionais de informação na Atenção Básica.
c) Identificar parceiros e recursos na comunidade que possam potencializar ações intersetoriais com a equipe .
d) Trabalhar com adscrição de famílias em base geográfica definida, a microárea.
e) Realizar a escuta qualificada das necessidades dos usuários em todas as ações, proporcionando o atendimento humanizado.

45. As atribuições do Agente Comunitário de Saúde estão CORRETAMENTE apresentadas na alternativa:

a) desenvolvem atividades de promoção da saúde e de prevenção das doenças e agravos, por meio de visitas domiciliares e de ações educativas individuais e coletivas nos domicílios e na comunidade, mantendo a equipe informada, principalmente, a respeito daquelas em situação de risco;
b) participam do gerenciamento dos insumos necessários para o adequado funcionamento da Unidade Saúde da Família;
c) indicam, encaminham, quando necessário, usuários ao serviço de média e alta complexidade, respeitando fluxos de referência e contra-referência locais;
d) realizam notificação de doenças e agravos, indicando a necessidade de internação hospitalar ou domiciliar, mantendo a responsabilização pelo acompanhamento do usuário;
e) realizam assistência integral aos indivíduos e famílias em todas as fases do desenvolvimento humano, infância, adolescência, adulto.

46. Como toda Estratégia, o Programa Saúde da Família (PSF) requer um controle estatístico, ou estatística descritiva, para a prestação de conta das atividades diárias, mensais e anuais das Equipes. O Sistema de Informação de Atenção Básica (SIAB) é o instrumento efetivo para o gerenciamento, produzindo informações para monitorar o desenvolvimento das ações realizadas. Assinale a alternativa que contém informações INCORRETAS sobre o SIAB.

a) A ficha A, tem todos os dados para o diagnóstico demográfico e socioeconômico da área e deverá ser atualizada mensalmente.
b) Para preenchimento do SIAB, são coletadas dados das fichas SSA2, que correspondem ao relatório mensal da situação de saúde e acompanhamento das famílias de uma micro-área/equipe.
c) Para preenchimento do SIAB são coletadas, na sua totalidade, dados das fichas: SSA2, PMA4, GMA1, CMB, A-B-C-D-E.
d) O Relatório PMA4 organiza as atividades desenvolvidas mensalmente no Município (nas áreas).
e) A ficha A do sistema de Informação da Atenção Básica, é também denominada de ficha de Cadastro das Famílias.

47. A territorialização em saúde, é um processo dinâmico de apropriação do espaço geográfico chamado “Área de Abrangência”, pela Equipe Saúde da Família. São objetivos da Territorialização em Saúde, EXCETO:

a) conhecer a área de Abrangência, estruturas públicas, privadas e sociais da área.
b) fazer os diagnósticos (mapas) social, econômico, geográfico ecológico e de saúde da área.
c) realizar o planejamento ascendente da busca de solução para as demandas da população assistida pela ESF.
d) reconhecer fatores de acessibilidade e barreiras.
e) reconhecer o consolidado das famílias adscritas, quando são levantados seus dados familiares e pessoais.

48. Sobre a Estratégia Saúde da Família (ESF) é INCORRETO afirmar que:

a) a ESF é estruturante do SUS e, como modelo de organização da Atenção Primária à Saúde, resultante de sua evolução histórica, tem como princípios doutrinários a sociabilidade, regionalização e resolubilidade;
b) a ESF prioriza em suas bases teóricas a promoção da saúde, o que não significa desconsiderar a clínica, visto que a integralidade da atenção é um dos seus princípios norteadores;
c) a ESF tem o coletivo como seu foco de atenção, entendendo que os indivíduos estão inseridos em famílias que, por sua vez, estão inseridas em um grupo populacional, e que o processo saúdedoença é determinado socialmente;
d) a ESF não se constitui em um modelo acabado, está em pleno processo de aprofundamento de suas bases conceituais e criação de uma nova práxis entre os trabalhadores integrantes das equipes;
e) a ESF é uma ferramenta de fortalecimento da participação popular, tendo suas bases nos conselhos locais de saúde.

49. A respeito da Prática em Atenção Primaria à Saúde, é CORRETO afirmar que:

a) uma das práticas fundamentais baseia-se no método de atendimento centrado no paciente, que busca sistematizar diversos aspectos da relação cuidador-doente, como a escuta, a comunicação e os sentimentos, na tentativa de entender o paciente como um todo;
b) a busca de faltosos, busca ativa de casos, embora seja uma atividade de impacto coletivo bem fundamentada não é fundamental para a vigilância à saúde;
c) na linha gradual e indefinida entre o paternalismo e autonomia como elemento Terapêutico, o profissional deve propor sempre autoridade sobre o paciente (usuário);
d) a visita domiciliar pode ser classificada em dois tipos: planejamento domiciliar antecipado e planejamento domiciliar obrigatório;
e) a prática de Atenção Primária à Saúde pode ser definida como o cuidado dispensado por profissionais de saúde, a partir de um determinado tempo, isto é, após as primeiras consultas realizadas para com o paciente (usuário) diferenciado.

50. Está se tornando um consenso que é necessário humanizar a assistência à saúde em nosso País. Com base nessa afirmação é INCORRETO afirmar que:

a) humanizar significa reconhecer as pessoas, que buscam nos serviços de saúde a resolução de suas necessidades de saúde, como sujeitos de direito;
b) humanizar é observar cada pessoa em sua individualidade, em suas necessidades específicas, ampliando as possibilidades através das quais possa exercer sua autonomia;
c) a Saúde da Família deve se nortear pelos referenciais éticos da justiça, da solidariedade e da busca da eqüidade;
d) a transformação do modelo assistencial e a humanização do atendimento requerem que seja garantido o direito à informação do usuário;
e) o trabalho em equipe multiprofissional é necessário e a troca de informações é fundamental para o desenvolvimento de um trabalho de qualidade na assistência ao indivíduo na sua totalidade. Porém, as informações devem ser generalizadas para todos os profissionais da equipe.

51. O Sistema de Informação em Atenção Primária compreende um conjunto de registros sobre situações–problemas, enfermidades e indicadores, seu processamento, análise, divulgação e o fluxo dessas informações nas equipes de saúde, na população e na cadeia burocrático-administrativa. São exemplos de Sistema de Informação, EXCETO:

a) S I M
b) SINAMT
c) VACINAS
d) SINASC
e) SIAB

52. A avaliação local dos serviços de saúde tem a finalidade de aumentar a qualidade da atenção à saúde dispensada pela Equipe de Saúde da Família. Objetivamente, as avaliações podem ser utilizadas para, EXCETO:

a) receber e incorporar a experiência de quem está executando as ações;
b) obter contribuições imediatas para o aperfeiçoamento das atividades em nível local;
c) conhecer o nível de satisfação da população;
d) identificar diferentes grupos populacionais, segundo critérios demográficos, socioeconômicos e culturais;
e) verificar a competência e o compromisso de quem está executando as ações.

53. A Organização Mundial da Saúde adotou um conjunto de princípios para construir a base da Atenção Primária dos serviços de Saúde. Conhecida como a Carta de Lubliana, esta propõe que os sistemas de atenção de saúde deveriam ser, EXCETO:

a) dirigidos por valores de dignidade humana, eqüidade, solidariedade e ética profissional;
b) baseados em financiamento sustentável, para permitir a cobertura universal e acesso eqüitativo;
c) centrados nas pessoas, permitindo que os cidadãos influenciem os serviços de saúde e assumam a responsabilidade por sua própria saúde;
d) focado na qualidade, incluindo a relação custo-efetividade;
e) direcionado principalmente para a atenção subespecializada, atenção técnica, orientada para a enfermidade.

54. Sobre a Atenção Primária em Saúde, assinale a alternativa INCORRETA.

a) A conferência da Alma Ata especificou que os componentes fundamentais da Atenção Primária à Saúde eram educação em saúde, organização dos insumos em saúde e vivência complementar das enfermidades.
b) Para que a Atenção Primária otimize a saúde, deve enfocar a saúde das pessoas na constelação dos outros determinantes de saúde, ou seja, no meio social e físico no qual as pessoas vivem e trabalham.
c) Na Atenção Primária, os pacientes têm acesso direto a uma fonte adequada de atenção que é continuada ao longo do tempo para diversos problemas e que inclui a necessidade de serviços preventivos.
d) A Atenção Primaria é o nível de um sistema de serviços de saúde que oferece a entrada no sistema para todas as novas necessidades e problemas, fornece atenção para todas as condições, exceto as muito incomuns ou raras.
e) A Atenção Primária também compartilha características com os outros níveis dos sistemas de saúde, como: responsabilidade pelo acesso, qualidade e custos; atenção à prevenção, bem como ao tratamento e à reabilitação.

55. Para que as Equipes de Saúde da Família possam exercer suas atividades, propiciar a prestação dos seus serviços, torna-se necessário um serviço de saúde estrutural adequado. São componentes principais dessa estruturação, EXCETO:

a) organização de serviços, pessoal;
b) gerenciamento e comodidades;
c) limitação de incapacidade;
d) mecanismos para oferecer acesso ou atendimento;
e) arranjos para financiamento.

56. A respeito do “Diagnóstico de Demanda” marque a alternativa INCORRETA:

a) significa uma pesquisa longitudinal no serviço de atenção básica á saúde.;
b) definir o padrão de morbidade e a dinâmica do processo assistencial;
c) utiliza como classificação específica, para a atenção primária, a Classificação Internacional de Cuidados Primários;
d) significa uma pesquisa operacional no serviço de Atenção Básica à Saúde;
e) pode ser realizado por meio de formulários de auto-aplicação ou empregados pelo pesquisador.

57. Marque a alternativa CORRETA no que se refere à numeração e data da portaria ministerial que normatizou a Política Nacional de Atenção à Saúde.

a) N° 468, de 06 de Março de 2004.
b) N° 549, 10 de Abril de 2003.
c) N° 616, de 15 de Junho de 2005.
d) N° 616, de 18 de Maio de 2005.
e) N° 648, de 28 de Março de 2006.

58. De acordo com os preceitos do SUS a estratégia prioritária para a organização da Atenção Básica em Saúde é fundamentada no(a):

a) desenvolvimento de ações preventivas dos municípios com população igual ou superior a 50.000 habitantes;
b) saúde da família considerando o sujeito em sua singularidade, na complexidade e integridade;
c) controle das populações de risco em regiões sócio-geográficas suscetíveis;
d) intervenção das equipes de PSF e PACS em grupos especiais de gestantes, crianças e idosos;
e) controle das endemias epidemias através dos indicadores de saúde de natalidade, morbidade e mortalidade.

59. Dentre as competências e responsabilidades de cada esfera do governo em relação à política de atenção básica, escreva nos parênteses a letra SM ou SE, para as ações de competência das Secretarias Municipais e Secretarias Estaduais respectivamente, e marque a alternativa que contém a seqüência CORRETA destas letras.

( ) Inserir preferencialmente, de acordo com sua capacidade institucional, a estratégia de saúde da família em sua rede de serviços, visando a organização sistemática da atenção à saúde;
( ) garantir infra-estrutura necessária ao funcionamento das unidades básicas de saúde, dotando-as de recursos materiais, equipamentos e insumos suficientes para o conjunto de ações propostas;
( ) desenvolver mecanismos técnicos e estratégias organizacionais de qualificação e recursos humanos para gestão, planejamento, monitoramento e avaliação da Atenção Básica;
( ) pactuar, com a comissão Intergestores Bipartite e informar a comissão de Inergestores Tripartite a definição da utilização dos recursos para compensação de Especificidades Regionais;
( ) selecionar, contratar e remunerar os profissionais que compõem as equipes multiprofissionais de Atenção Básica, inclusive os da Saúde da Família, em conformidade com a legislação vigente.

a) (SE, SE,SM, SE, SE)
b) (SM, SE, SM, SE, SM)
c) (SM,SM, SE,SE, SM)
d) (SE,SM,SM, SE, SE)
e) (SE, SE, SM, SM,SM)

60. O Programa de Saúde da Família (PSF) nasceu em 1994 e em 2005 estava presente em 90% dos municípios brasileiros atendendo a 78 milhões de pessoas. A respeito do PSF, assinale a alternativa INCORRETA.

a) O objetivo das equipes do PSF é prestar atendimento às demandas organizadas e espontâneas de uma comunidade.
b) Cabe às equipes do PSF enfrentar problemas de naturezas diversas, individuais e coletivos, biológicos e socioculturais em uma comunidade pela qual tem responsabilidade sanitária.
c) A adscrição da clientela é caracterizada como um processo dissociado e independente da definição primária do território de ação da equipe do PSF.
d) O PSF busca atender à família em seu espaço social, rico em interações e conflitos, interagindo com os recursos disponíveis na comunidade.
e) A Lei 8.142/90, Lei Orgânica da Saúde, define fóruns próprios para o exercício do controle social, as conferências e os conselhos de saúde a serem efetivados nas esferas municipal, estadual e federal do governo.

61. Considerando o Pacto pela Saúde, são atribuições do Colegiado de Gestão Regional, no âmbito da Educação Permanente em Saúde, EXCETO:

a) construir coletivamente e definir o Plano de Ação Regional de Educação Permanente em Saúde
para a região, a partir das diretrizes nacionais, estaduais e municipais (da sua área de abrangência) para a educação na saúde, dos Termos de Compromisso de Gestão dos entes federados participantes, do pactuado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e das necessidades de formação e desenvolvimento dos trabalhadores da saúde;
b) acompanhar, monitorar e avaliar as ações e estratégias de Educação em Saúde implementadas na região;
c) aprovar e homologar o Plano Regional de Educação Permanente em Saúde;
d) pactuar a gestão dos recursos financeiros no âmbito regional, que poderá ser realizada pelo Estado, pelo Distrito Federal e por um ou mais municípios de sua área de abrangência;
e) incentivar e promover a participação nas Comissões de Integração Ensino-Serviço, dos gestores, dos serviços de saúde, das instituições que atuam na área de formação e desenvolvimento de pessoal para o setor saúde, dos trabalhadores da saúde, dos movimentos sociais e dos conselhos de saúde da sua área de abrangência.

62. Segundo a Portaria do Ministério da Saúde Nº 1996, as comissões de Integração Ensino Serviço devem ter a seguinte composição:

a) Gestores, Trabalhadores, Instituições de Ensino e Movimentos Sociais.
b) Coordenadores de Curso, Profissionais da Atenção Básica, ONG´s e Gestores de Saúde.
c) Todos os representantes da sociedade civil organizada.
d) Instituições de Ensino Superior e Sindicatos dos Trabalhadores da Saúde.
e) Gestores de Saúde do Município e do Estado e Gestores da Educação Estadual.

63. São atribuições das Comissões Permanentes de Integração Ensino Serviço, EXCETO:

a) apoiar e cooperar tecnicamente com os Colegiados de Gestão Regional para a construção dos Planos Regionais de Educação Permanente em Saúde da sua área de abrangência;
b) articular instituições para propor, de forma coordenada, estratégias de intervenção no campo da formação e desenvolvimento dos trabalhadores, à luz dos conceitos e princípios da Educação Permanente em Saúde, da legislação vigente, e do Plano Regional para a Educação Permanente em Saúde, além do estabelecido nos Anexos desta Portaria;
c) incentivar a adesão cooperativa e solidária de instituições de formação e desenvolvimento dos trabalhadores de saúde aos princípios, à condução e ao desenvolvimento da Educação Permanente em Saúde, ampliando a capacidade pedagógica em toda a rede de saúde e educação;
d) contribuir com o acompanhamento, o monitoramento e a avaliação das ações e estratégias de Educação Permanente em Saúde implementadas;
e) executar os Projetos Estaduais de Educação Permanente em Saúde da Região.

64. São atribuições da Comissão Intergestores Bipartite - CIB, no âmbito da Educação Permanente em Saúde, EXCETO:

a) elaborar e pactuar o Plano Estadual de Educação Permanente em Saúde;
b) definir o número e a abrangência das Comissões de Integração Ensino-Serviço;
c) pactuar os critérios para a distribuição, a alocação e o fluxo dos recursos financeiros no âmbito estadual;
d) desenvolver projetos de capacitação para os trabalhadores da saúde;
e) acompanhar e avaliar os Termos de Compromisso de Gestão estadual e municipal, no que se refere às responsabilidades de educação na saúde.

65. Considerando a metodologia utilizada nos processos de educação permanente em saúde, pode se CORRETAMENTE afirmar a respeito desta, que:

a) utilizam-se uma Metodologia Facilitadora na qual o professor está em contato direto com o aluno, a fim de proporcionar contato com as mais altas tecnologias de fazer saúde;
b) utiliza-se uma Metodologia Problematizadora sendo que o processo de ensino-aprendizagem deve ocorrer em consonância com o processo de trabalho em saúde;
c) utiliza-se uma Metodologia Tradicional em que o professor detém o conhecimento a ser reproduzido para os alunos e executado na prática;
d) utiliza-se uma Metodologia Problematizadora considerando a execução das ações através de cursos de pós-graduação e aperfeiçoamento;
e) utiliza-se uma Metodologia Tradicional que considera o fazer do aluno como ponto fundamental para a construção do conhecimento.

66. De acordo com a Constituição Federal é papel do SUS capacitar e qualificar os trabalhadores da área. O ministério da Saúde instituiu a Educação Permanente em Saúde como meio para tal fim. Para atingir os objetivos propostos é necessário, EXCETO:

a) trabalhadores compromissados com a idéia de aprender a aprender;
b) práticas cuidadoras que consideram a integralidade como foco;
c) intensa permeabilidade do controle social;
d) desenvolvimento de si, dos coletivos institucional e político da saúde;
e) saberes especializados e centrados em tecnologias duras.

67. As portarias que instituíram a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde trouxeram novos espaços para a construção e debate de práticas inovadoras para a formação em saúde. Dentre os espaços citados abaixo, indique CORRETAMENTE, aquele que NÃO faz parte deste contexto.

a) Pólos de Educação Permanente em Saúde.
b) Rodas de Conversa.
c) Comissão de Integração Ensino Serviço.
d) Colegiados de Gestão Regional.
e) Espaços de Articulação Locorregionais.

68. O principal objetivo da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde é:

a) disseminação de práticas pedagógicas com a descentralização dos recursos para construção de uma política considerando os espaços locorregionais de atuação;
b) fortalecimento do Controle Social em Saúde para o trabalho de capacitação em saúde;
c) articulação com os Gestores incentivando o uso de tecnologias leves no cuidado em saúde;
d) priorização de ações de educação em saúde junto às equipes de saúde da família;
e) interlocução entre os diferentes atores que fazem o cuidado em saúde.

69. A Educação Permanente em Saúde tem como objetivo, EXCETO:

a) articulação entre os diversos setores que podem contribuir para as práticas em saúde;
b) consideração das práticas inovadoras em saúde, partindo-se das necessidades dos serviços;
c) formar profissionais que detenham monopólio de um campo de saber específico;
d) incentivar espaços de construção coletiva do saber em saúde;
e) formar profissionais que tenham compromisso com um objeto e com a sua transformação.

70. Considerando a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, a institucionalização da política junto ao Ministério da Saúde é de grande importância porque, EXCETO:

a) tem responsabilidade compartilhada de condução e acompanhamento;
b) resulta de lutas sociais e parte de uma necessidade da população;
c) traz consigo a sensibilização dos gestores para a pactuação dos processos;
d) os recursos financeiros foram centralizados pelo Ministério da Saúde facilitando a pactuação dos projetos;
e) as Instituições de Ensino Superior se tornam parceiras fundamentais.

71. Dentre os elementos analisadores para se pensar numa Educação permanente em saúde estão todos os listados abaixo, EXCETO:

a) análise da educação dos profissionais de saúde, buscando mudar a concepção hegemônica tradicional e mudar a concepção lógico-racionalista, elitista e concentradora de produção do conhecimento;
b) análise das práticas de gestão dos serviços, considerando espaços verticalizados apoiados por um modelo centrado em setores estratégicos para o desenvolvimento da ação;
c) análise das práticas de atenção à saúde, buscando a integralidade e a inclusão da participação dos usuários no projeto terapêutico como nova prática de saúde;
d) análise da gestão setorial, buscando modos criativos e originais de organizar a rede de serviços, segundo a acessibilidade e satisfação dos usuários;
e) análise da organização social, buscando o efetivo contato e a permeabilidade das redes sociais que tornam os atos de saúde mais humanos e representativos de promoção da cidadania.

72. A respeito do conceito de Educação Permanente em Saúde é CORRETO afirmar:

a) a Educação Permanente em Saúde está carregando a definição pedagógica para o processo educativo que coloca em análise o cotidiano do trabalho em saúde, que se permeabiliza pelas relações concretas que operam realidades e possibilitam construir espaços coletivos para a reflexão e avaliação de sentido dos atos produzidos no cotidiano.
b) a Educação Permanente em Saúde perpassa o ideal de saúde deferido pela Organização Mundial de Saúde e considera as práticas cotidianas de suma importância para o processo ensinoaprendizagem. Nesta, a figura do docente é de fundamental importância para a condução do objetivo.
c) a Educação Permanente em Saúde carrega consigo a proposta de intervenção a partir da prática cotidiana dos serviços, integra os diferentes atores envolvidos no processo, considerando o coletivo para produzir conhecimentos. Portanto, utiliza-se dos princípios da Pedagogia da Transmissão para a condição do objetivo proposto.
d) a Educação Permanente em Saúde corrobora com os princípios da Educação Popular considerando as necessidades das pessoas para a construção de projetos de qualificação. Busca interagir com o mundo do trabalho entendendo que os modelos de gestão devem ser centrados em tecnologias duras e que são definidos a partir do planejamento pautado pelas Instituições de Ensino Superior.
e) a Educação Permanente em Saúde está carregando a definição pedagógica para o processo educativo que coloca em análise o cotidiano do trabalho em saúde, que se permeabiliza pelas relações concretas que operam as diversas formas de fazer saúde e são definidas a partir do planejamento pautado pelas Instituições de Ensino Superior.

73. Ricardo Ceccim considera que é central à Educação Permanente em Saúde, EXCETO:

a) sua porosidade à realidade mutável e mutante das ações e dos serviços de saúde;
b) sua ligação política com a formação de perfis profissionais e de serviços;
c) sua produção centrada nas pautas das Instituições de Ensino Superior;
d) a introdução de mecanismos, espaços e temas que geram auto-análise, autogestão;
e) a experimentação de práticas formativas.

74. A formação dos profissionais de saúde enfrenta grandes problemas dentre os quais podemos citar, EXCETO:

a) modelos centrados em altas tecnologias, altamente especializados dependentes de procedimentos e equipamentos de apoio diagnóstico e terapêutico;
b) formação de profissionais para suprir as necessidades do sistema e não da população;
c) não consideração do Controle Social para a construção de práticas de cuidados eficientes e desejáveis;
d) modelo de aprendizagem baseado na problematização das práticas;
e) não integração do ensino com os serviços de saúde.

75. São programas que pensam a mudança das práticas na formação em saúde, EXCETO:

a) Programa de Interiorização do Trabalho em Saúde (Pits).
b) Incentivos a mudanças Curriculares nos cursos da saúde (Pro-Saúde).
c) Profissionalização dos trabalhadores da área da enfermagem (PROFAE).
d) Vivência Estágio na Realidade do SUS (VERSUS).
e) Oficina de Educação Permanente para o Controle Social do SUS (OFECS).

76. Fazem parte do Quadrilátero em Saúde:

a) Ensino, Gestão, Atenção e Controle Social.
b) Gestão da Saúde, Instituições de Ensino, Gestão da Educação e Movimentos Sociais.
c) Secretarias de Saúde Estaduais, Secretarias de Saúde Municipais, Ministério da Saúde e Conselhos de Saúde.
d) Instituições de Ensino Superior, Escolas Técnicas, Estudantes e Gestores.
e) Instituições de Ensino, Controle Social, Estudantes e Gestores.

77. A respeito do VERSUS/Brasil (Vivência Estágio na Realidade do SUS) é CORRETO afirmar:

a) foi uma estratégia das Universidades Federais para o fortalecimento da extensão em saúde;
b) idealizado por estudantes e executado em parceria com o Ministério da Saúde, teve objetivo de aproximar a formação da realidade do SUS;
c) proposto pelo Ministério da Saúde, foi uma oportunidade de docentes brasileiros se qualificarem para o SUS;
d) os conselhos de saúde puderam compreender o SUS a partir de vivências práticas nos processos de cuidado;
e) teve como participantes estudantes brasileiros que juntos construíram propostas para serem levadas à Conferência Nacional de Saúde.

78. A respeito da Educação Permanente em Saúde NÃO é correto afirmar:

a) a Educação Permanente em Saúde parte do pressuposto da aprendizagem significativa;
b) os processos de qualificação do pessoal da saúde devem ser estruturados a partir da problematização do seu processo de trabalho;
c) a educação permanente tem uma lógica descentralizadora, ascendente e transdisciplinar;
d) é através da educação permanente que atingiremos um modelo de saúde baseado nas necessidades dos serviços de saúde;
e) a educação permanente em saúde traz a possibilidade do trabalho em equipes matriciais.

79. Considerando as mudanças nos processos formativos, as ações em saúde devem ser centradas em nível de:

a) Atenção Básica em Saúde.
b) Atenção Secundária em Saúde.
c) Atenção Terciária em Saúde.
d) Atenção Suplementar em Saúde.
e) Atenção Quartenária em Saúde.

80. Para instituirmos processos de Educação Permanente em Saúde nos serviços de saúde faz-se necessárias mudanças nas práticas de trabalho. Dentre estas, podemos citar, EXCETO:

a) compreender que não tratamos mais de recursos humanos e sim de trabalhadores ativos num processo de construção de processos de trabalho com uma gestão horizontal;
b) admitir que a Gestão Participativa é o meio para se atingir o cuidado em saúde preconizado pela legislação vigente;
c) a subordinação das pessoas pelo processo de trabalho, considerando as vontades dos processos gerenciais e afastando-os dos sentidos decisórios implantados;
d) considerar que o fazer específico de cada profissional deve ser considerado para o melhor andamento do cuidado em saúde;
e) incentivar a participação comunitária nos processos decisórios em que tenham como ponto de análise a gestão do trabalho.

01 E 02 D 03 C 04 D 05 C 06 C 07 E 08 E 09 A 10 D 11 D 12 A 13 E 14 B 15 D 16 A 17 B 18 D 19 B 20 C 21 C 22 B 23 D 24 D 25 C 26 E 27 E 28 D 29 A 30 D 31 D 32 E 33 C 34 D 35 A 36 B 37 D 38 A 39 C 40 D 41 A 42 D 43 B 44 D 45 A 46 C 47 E 48 A 49 A 50  E 51 B 52 D 53 E 54 A 55 C 56 A 57 E 58 B 59 C 60 C 61 C 62 A 63 E 64 D 65 B 66 E 67 E 68 A 69 C 70 D 71 B 72 A 73 C 74 D 75 E 76 A 77 B 78 D 79 A 80 C

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO