Estimulação Precoce - Bobath

Apresentação de um Programa de Estimulação Precoce; Prática psicomotora; Apresentação do conceito Bobath.

O desenvolvimento motor é o processo de mudança no comportamento motor, o qual está relacionado com a idade, tanto na postura quanto no movimento da criança.
O desenvolvimento é um processo de mudanças complexas e interligadas das quais participam todos os aspectos de crescimento e maturação dos aparelhos e sistemas dos organismos.

Estimulação Motora Precoce

Em nenhuma fase do ser humano o desenvolvimento motor vai ser tão rápido como o de 0 a 1 ano e 8 meses. Portanto, este é o período em que o bebê ainda terá maiores possibilidades de se normalizar sem se defasar no seu desenvolvimento.
Independente da perspectiva adotada, biológica ou social, são muitas as evidências de que crianças pré-termo estão sob maior risco para apresentar atraso perceptual, motor e cognitivo, associado ou não a problemas de comportamento  e déficit de atenção ___ INTERVENÇÃO PRECOCE .
Ao se pensar em lesão cerebral que ocorreu pré, peri ou pós natal tem que se pensar, ao mesmo tempo, em intervenção precoce nas áreas sensório-motoras para atingir o mais rápido possível um desenvolvimento que ainda está com toda a sua plasticidade e capacidade de receber as sensações normais e integrá-las.

Possibilidade Terapêutica:

 DESENVOLVIMENTO ___ NEUROPLASTICIDADE ___ CONEXÕES SINÁPTICAS ___  DEMANDA FUNCIONAL ___  DESENVOLVIMENTO

Técnicas de integração sensorial Programas sensório-motores

A arte de normalizar o tônus é brincar com ele. Se o tônus é baixo, trazê-lo para um tônus mais alto e normalizado; se o tônus é alto, trazê-lo para o tônus mais baixo e normalizado.

Avaliação Fisioterapêutica Do Neonato

- História clínica do paciente;
- Condições clínicas atuais;
- Padrão respiratório;
- Mobilidade da caixa torácica;
- Cianose e palidez;
- Condições de pele;
- Sensibilidade tátil e dolorosa;
- Alterações ósseas;
- Padrões posturais;
- Tônus basal;
- Ausculta pulmonar;
- Sinais vitais;
- Sinais de fadiga muscular;
- Medicações;
- Exames radiológicos e laboratoriais;
- Manutenção da temperatura.

Conduta Fisioterapêutica

- As mudanças constantes de decúbito, respeitando os horários de sono;
-Cinesioterapia passiva, com o uso do tapping, e outras técnicas objetivando a normalização do tônus.
- Mobilização e alongamentos ou cinesioterapia motora passiva .
- Manobras de inibição reflexa de reações ou movimentos anormais ao padrão do neonato.
- Facilitação neuromotora de padrões normais ao neonato.
-Estimulação sensório- motor a utilizando reflexos fisiológicos dos neonatos.

Posição prono / supino: Estudos comprovam a eficiência da posição prono para a melhora da saturação de O2 no neonato independente do peso de nascimento, melhorando a eficácia do diafragma, promovido por um melhor apoio abdominal.

O bebê prematuro exibe caracteristicamente uma hipotonia global. Tão logo o bebê prematuro se desenvolve, o tônus muscular flexor aumenta em direção caudal-cefálica. Este bebê geralmente não alcança o grau completo do tônus muscular flexor visto em bebês nascidos a termo. Desse modo, os bebês prematuros não têm o contrapeso do tônus flexor para compensar a progressão normal do tônus muscular extensor, o que causa um desequilíbrio entre os grupos flexores e extensores. Esse desequilíbrio pode interferir no desenvolvimento do controle da cabeça, no equilíbrio sentado, na aquisição de habilidades e na coordenação bilateral. Secundária à diminuição do uso da linha média e à aquisição de habilidades, a imagem corporal e as habilidades exploratórias podem estar adversamente afetadas.

Posicionamento:

- importante para o desenvolvimento de padrões de movimentos mais maduros.
- manutenção de tônus muscular mais adequado.
- Sabe-se que a flexão é melhorada em decúbito ventral pela influência do reflexo tônico labiríntico.
- Bebês em decúbito ventral têm apresentado melhor oxigenação, menos choro, sono mais calmo, respiração regular.
- A posição prona propicia ao bebê a utilização dos extensores da cabeça e promove a flexão das extremidades, além da mão à boca
- O decúbito lateral favorece o trabalho diafragmático, fortalecendo a hemicúpula do lado que o RN está apoiado e expandindo a do lado oposto.
- Nesta posição devem-se colocar pequenos rolos posteriores atrás da cabeça, tronco e coxas.
- A posição supina promove simetria e movimentos de flexão antigravitacional.Ela não é aconselhada por dificultar o trabalho diafragmático.
- A posição semi-sentada, com o apoio promove início do controle de cabeça, melhor orientação visual e contato social, além de favorecer o trabalho diafragmático.

Estimulação

Idade: 0 a 2 meses

Objetivos:
1. Desenvolver o equilíbrio da cabeça. 2. Em decúbito prono (de bruços) girar a cabeça para os lados. 3. Em supino, (deitado) erguer a cabeça momentaneamente do plano horizontal. 4. Desenvolver a fixação ocular. 5. Perseguir visualmente um objeto.
Recursos
- Chocalho brilhante; - rosto humano; - voz humana

Idade: 2 a 4 meses

Objetivos:
1. Adquirir controle completo dos movimentos da cabeça. 2. Erguer a cabeça em decúbito prono, do plano horizontal e mantê-la. 3. Apoiar sobre os cotovelos, quando em decúbito prono. 4. Segurar voluntariamente objetos. Preensão cúbito-palmar. 5. Perseguir visualmente um objeto em todos os planos 180 graus.
Recursos - Chocalhos; - bichos de borracha; - rosto humano; - brinquedos coloridos e atraentes.

Idade: 4 a 6 meses

Objetivos:
1. Sentar com apoio. 2. Desenvolver a preensão voluntária de objetos - Preensão palmar. 3. Coordenar os movimentos mão-objeto/objeto-boca. 4. Sentar sem apoio momentaneamente. 5. Rolar sobre si mesmo. 6. Desenvolver músculos das extremidades e distribuir o peso do corpo nos pés.
Recursos
- Sofá/poltrona; - bebê conforto; - bichos de borracha com assovios; - mordedor de borracha; - chocalhos interessantes; - argolas coloridas.

Idade de 6 a 8 meses:

Objetivos:
1. Sentar sozinho mantendo o tronco ereto. 2. Manter o peso do seu corpo nos pés. Moleje-o ativamente. 3. Arrastar. 4. Transferir objetos de mão. Bater um contra o outro. 5. Engatinhar. 6. Desenvolver o movimento de pinça inferior. 7. Segurar um objeto em cada mão. 8. Bater com o objeto. Sacudir o chocalho.
Recursos
- Brinquedos atraentes; - pequeno plano inclinado; - chocalhos; - cubos de papelão; - brinquedos de borracha com assovio; - caixas de fósforo; - argolas.

Idade: 8 a 10 meses

Objetivos:
1 - Engatinhar em padrão cruzado. 2 - Sentar com equilíbrio perfeito de tronco e liberação de membros superiores. 3 - Segurar objetos numa só mão. 4 - Erguer-se com apoio na posição de pé. 5 - Trocar de posições: sentado para engatinhar e de engatinhar para sentado. 6 - Dar alguns passos com apoio bilateral.

Idade: 10 a 12 meses

Objetivos:
1 - Erguer-se com apoio nos móveis. 2 - Dar passos com apoio nas duas mãos. 3 - Manter-se de pé com apoio numa só mão. 4 - Girar e inclinar a cabeça na posição sentada. 5 - Realizar a pinça superior. 6 - Dar passos com apoio numa só mão. 7 - Ficar de pé sozinho. 8 - Usar o indicador. 9 - Fazer garatujas. Folhear livros. Rasgar folhas, amassar.

Idade de 12 a 15 meses

Objetivos:
1 - Desenvolver habilidades para marcha, subir e descer escadas engatinhando. 2 - Desenvolver habilidades de preensão fina. 3 - Desenvolver equilíbrio estático/dinâmico. 4 - Desenvolver coordenação viso-motora.
Recursos - Cadeira grande; - Cadeira pequena; - Caixotes de madeira com brinquedos dentro; - Escada de madeira; - Macarrão cru; - Livros de folhas grossas e gravuras infantis; - Bolas; - Encaixes; - Bate estacas.

Idade: 15 a 18 meses

Objetivos:
1 - Desenvolver as habilidades de marcha e de subir escadas. 2 - Desenvolver condutas motoras básicas. 3 - Desenvolver coordenação viso-motora, habilidades manuais. Preensão do lápis com toda a mão. 4 - Desenvolver independência.
Recursos:
- Blocos de madeira; - Carrinhos para puxar e empurrar; - Caixas de papelão, tacos de madeira (usados como obstáculos); - Bolas; - jogos de encaixe; - papel; - Lápis estaca.

Idade: 24 a 36 meses

Objetivos:
1. Adquirir conhecimento das partes do seu corpo. 2. Adquirir habilidades de compreensão de ordens e imitação. 3. Desenvolver habilidades de imitação dos movimentos faciais. 4. Desenvolver a coordenação motora fina.

Objetivo 1: Ampliar seu conhecimento quanto às partes do corpo humano, pedindo para nomeá-las através de perguntas ou utilizando uma boneca.
Objetivo 2: Através de brincadeiras, andar segundo ordens: para frente, para trás, para o lado. Realizar jogo imitativos como: andar feito sapo, pássaro, macaco, etc.
Objetivo 3: Através de brincadeiras, fazer exercícios de movimentos faciais como fechar os olhos, abrir e fechar a boca, fazer caretas etc

Dar jogos de construção, Colagens, Recortes, Dobraduras,etc.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Por gentileza deixe seu nome ou apelido, mesmo que fictício. Comentários anônimos não serão respondidos.

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO