Efeitos da crioterapia na fisioterapia

Efeitos circulatórios

Uma das principais funções da crioterapia no sistema circulatório é a diminuição do fluxo sanguíneo devido a vasoconstrição. Este efeito acarreta um controle da hemorragia inicial intratecidual e limita a extensão da lesão (KNIGHT, 1995; LEHMANN, 1982).

A vasoconstrição ocorre por estímulo das fibras simpáticas, juntamente com a diminuição da permeabilidade da membrana levando a diminuição do edema, essa diminuição ocorre também devido a diminuição do fluxo sanguíneo nos vasos lesados, o efeito da histamina também é diminuído na membrana vascular através do uso da crioterapia (KNIGHT, 1995), (LEHMANN, 1982).

Esse efeito de vasoconstrição é uma resposta inicial que ocorre durante o uso da crioterapia, tendo como objetivo manter o calor do corpo como uma resposta fisiológica da regulação da temperatura corporal (DOUGLAS, 1994), (RODRIGUES, 1995).

Inflamação

Existem, na literatura, muitas controvérsias no que diz respeito aos efeitos da crioterapia no processo inflamatório.

A inflamação é uma reação do tecido vascularizado devido a uma lesão. É causada por infecções bacterianas, agentes físicos, substâncias químicas, tecido necrótico e reações imunológicas. A inflamação tem como objetivo conter e isolar a lesão, destruir microrganismos invasores, inativar as toxinas e atingir a cura e o reparo. Porém essa inflamação provoca reações de hipersensibilidade, lesão progressiva e fibrose. (ROBBINS, 1996).

Sinais clássicos da inflamação aguda

Calor;
Rubor;
Edema;
Dor;
Perda da função (ROBBINS, 1996).

Inflamação crônica

É uma inflamação de maior duração, ativando a destruição tecidual e as tentativas de cicatrização ocorrem simultaneamente, podendo ocorrer após uma inflamação aguda, devido à persistência do estímulo desencadeador ou alguma interferência no processo de cicatrização (ROBBINS, 1996).

O grau de inflamação, a permeabilidade capilar e a resposta celular variam diretamente com a temperatura (JANSSEN et al. 1967).

O frio pode aumentar alguns quadros inflamatórios e diminuir outros (SCHMIDT 1979).
A aplicação da crioterapia sobre a área lesada tem a ação antiinflamatória por diminuir o metabolismo além de se opor a vasodilatação inflamatória (FOLBERG 1998).

Dor

A dor pode ser aguda ou crônica, as agudas são rápidas, porém podem ser repetitivas. As crônicas são estáveis, normalmente não regridem (RODRIGUES, 1995).

 A aplicação do gelo faz com que aumente o limiar de excitação das células nervosas em função do tempo de aplicação, ou seja, quanto maior o tempo menor a transmissão dos impulsos relacionados a temperatura o que pode gerar analgesia ou diminuição da dor.

Efeitos musculares

No sistema muscular a crioterapia é utilizada, principalmente em patologias neurológicas e lesões esportivas. Com a diminuição da temperatura ocorre uma diminuição de ação muscular e um relaxamento dos mesmos, diminuindo a espasticidade e facilitando os movimentos (SWENSON, 1996).

O clônus desaparece apenas quando a temperatura do músculo é diminuída e quando a temperatura, após a aplicação da crioterapia, reduzir somente a temperatura da pele, haverá um aumento da espasticidade (KOTTKE 1994).

Autora: Daiane Fabiula de Melo Viana




Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO