Tudo sobre meniscos

Anatomia

Macroscopicamente, os meniscos são discos de fibrocartilagem em forma de “C” interpostos entre as superfícies articulares e considerados extensões funcionais da tíbia.

Os meniscos apresentam cortes axiais que mais representam um formato triangular, com sua base junto à cápsula articular e seu ápice voltado para a região central articular.

O menisco lateral apresenta formato circular e confere maior congruência articular em decorrência dos formatos convexos dos côndilos tibial e femoral.

A mobilidade do menisco lateral é consideravelmente maior do que o menisco medial devido à sua menor fixação no hiato poplíteo, permitindo uma excursão maior do que 1 cm quando comparado ao menisco medial. O menisco medial por sua vez apresenta uma fixação circunferencial e sua mobilidade é mais restrita a 5 mm. Esta diferença de mobilidade tende a explicar a maior predisposição do menisco medial a lesões, quando comparado ao menisco medial.


Os meniscos são compostos de fibrocondrócitos que residem dentro de uma matriz extracelular formada de colágeno e de proteoglicanos. Esta matriz extracelular confere ao menisco parte de suas propriedades biológicas.

Os meniscos são compostos de fibras colágenas em 70% de sua estrutura e as fibras de colágeno tipo I são predominantes, representando 90% de todos os tipos de colágeno. As fibras colágenas são estruturadas em três camadas, onde juntas permitem a dissipação de forças compressivas periférica e tangencialmente.

Na superfície meniscal, as fibras colágenas são orientadas de forma randômica, mas profundamente as fibras são arranjadas de forma circunferencial. Algumas fibras são orientadas radialmente a partir da periferia até o bordo livre do menisco, o que limita o movimento das bandas circunferenciais.

Os meniscos possuem ligamentos, que são fibras capsulares que fixam as espessas bordas convexas dos meniscos aos côndilos tibiais, os chamados ligamentos coronários. A inserção dos cornos anterior e posterior tem importância para a perfeita dinâmica entre os meniscos e o platô tibial durante os movimentos articulares. A familiarização dos padrões de inserção dos meniscos é de fundamental importância nas ocasiões de reparo cirúrgico das lesões.

A vascularização dos meniscos é predominantemente oriunda do plexo capilar perimeniscal originado das artérias geniculares medial e lateral.

Arnoczky e Warren demonstraram que 10 a 30% da periferia meniscal recebe suprimento vascular.

A inervação meniscal corre paralelamente à distribuição vascular periférica e localiza-se predominantemente nos cornos anterior e posterior dos meniscos.

Propriedades dos meniscos

Os meniscos apresentam muitas funções importantes, dentre elas: transmissão de carga, estabilidade articular, propriocepção, lubrificação articular e distribuição de nutrientes.

O papel biomecânico que o menisco desempenha no joelho é de particular importância na determinação do seguimento clínico de uma meniscectomia.

Função meniscal na transmissão de carga

As funções dos meniscos estão intimamente ligadas a sua composição e anatomia. Os estresses circunferenciais, que se formam durante o carregamento axial do joelho, permitem que forças tênseis sejam direcionadas ao longo do maior eixo destas fibras colágenas, gerando resistência.

Os meniscos apresentam função crítica na transmissão de cargas no joelho. Durante a aplicação de carga à articulação, os côndilos tibiais e femorais aproximam-se e comprimem os meniscos. A forma do menisco medial aumenta a congruência entre o côndilo femoral relativamente convexo com um planalto tibial relativamente plano, ampliando a superfície de transmissão de cargas axiais.

A tendência do menisco ficar extruso da articulação é resistida pelas estruturas intrínsecas e ligamentos, além de sua estrutura fibrilar circunferencial predominante.

Entretanto, uma significativa proporção das cargas axiais aplicadas é transmitida através da estrutura meniscal, enquanto a outra parcela é transmitida através da cartilagem articular.
Vários estudos documentaram que o menisco lateral transmite maior percentual de carga compressiva para o compartimento lateral do que o menisco medial no compartimento medial, 70% e 50% respectivamente. A contribuição exata dos meniscos na distribuição de cargas é dependente dos ângulos de flexão do joelho.

Kurosawa e Fukubayashi demonstraram que a remoção do menisco diminui a área de contato femorotibial de 33% a 50%, resultando em 200% a 300% de aumento das cargas de contato.

Seedhom e Hargreaves reportaram que 70% a 99% do total de carga que atua sobre um joelho intacto passa através do menisco normal e que a carga axial total é transmitida através dos cornos posteriores dos meniscos quando o joelho é flexionado 75 graus.

Os estresses calculados diretamente sobre a superfície articular no compartimento medial situam-se entre 0.82 e 1.67 MN/m2  e no compartimento lateral entre 0.88 e 1.18 MN/m2 , quando os meniscos estão intactos. A remoção de lesões meniscais do tipo “alça de balde” aumenta o estresse para 2.32 MN/m2  no compartimento medial e 3.22 MN/m2  no compartimento lateral. Estima-se que a meniscectomia completa possa aumentar o estresse da superfície articular para 5 MN/m2 .

As lesões meniscais radiais e os remanescentes após meniscectomias parciais apresentam diminuição na capacidade de absorção e transmissão de forças, aumentando a transmissão de carga para a cartilagem articular.

O tratamento da patologia meniscal depende do entendimento da ciência básica do menisco humano. Isto inclui a familiarização com a anatomia e a vascularização, quando determinantes na escolha entre a ressecção e o reparo meniscal.

Função meniscal na estabilização ligamentar

Os meniscos também funcionam como restritores secundários ao movimento de translação anterior da tíbia nos joelhos que apresentem insuficiência do ligamento cruzado anterior. A concomitância das lesões do ligamento cruzado anterior nas deficiências meniscais ocasiona um padrão de instabilidade rotatória ântero-medial.

Os meniscos também possuem papel na estabilização varo-valgo do joelho.


Função de propriocepção

Outra função meniscal importante é a propriocepção do joelho com mecanoceptores localizados na inserção capsular.


Função de lubrificação articular

A terceira e não menos importante função meniscal é a contribuição para a lubrificação da cartilagem articular normal, distribuindo o líquido sinovial.




Fonte: Atualização em ortopedia e traumatologia do esporte - As lesões meniscais do joelho - Dr. Cristiano Frota de Souza Laurino. – internet 


Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO