Questões de concursos fisioterapia parte 2


Questões de diversas banca. ATENÇÃO: Os gabaritos são os fornecidos pelas bancas e o blog se exime de possíveis discordâncias. Utilize os comentários e debata sobre o tema.



36) Os músculos abdominais, principais músculos expiratórios, são:
(a) oblíquos externos, retoabdominal, quadrado lombar e serrátil
(b) oblíquos internos, quadrado lombar, íleocostal lombar e grande dorsal
(c) transverso do abdômen, serrátil, transverso do tórax e oblíquos internos
(d) retoabdominal, intercostais internos, transverso do tórax e grande dorsal
(e) oblíquos internos, oblíquos externos, retoabdominal e transverso do abdômen

37) A escala de Glasgow é amplamente utilizada na pontuação clínica do paciente com:
(a) esclerose múltipla
(b) artrite reumatóide
(c) traumatismo craniano
(d) espondilite anquilosante
(e) distrofia muscular progressiva

38) Ao exame físico do paciente observou-se sinal de Homans positivo e dor à palpação das panturrilhas. Neste caso encontra-se evidenciado a presença de:
(a) doença arterial coronariana
(b) trombose venosa profunda
(c) embolia pulmonar
(d) esclerose múltipla
(e) cisto de Baker

39) A bifurcação entre os brônquios principais esquerdo e direito é freqüentemente denominada como:
(a) ducto
(b) carina
(c) alvéolo
(d) cricóide
(e) bronquíolo

40) Paciente internado em unidade de terapia intensiva com diagnóstico de insuficiência respiratória aguda apresenta uma gasometria que se caracteriza por hipoxemia e hipercarbia. Neste caso, os valores a serem encontrados serão, respectivamente:
(a) PaO2 maior que 50 mmHg e PaCO2 igual a 50 mmHg
(b) PaO2 maior que 50 mmHg e PaCO2 maior que 50 mmHg
(c) PaO2 menor que 50 mmHg e PaCO2 maior que 50 mmHg
(d) PaO2 igual a 50 mmHg e PaCO2 menor que 50 mmHg
(e) PaO2 menor que 50 mmHg e PaCO2 menor que 50 mmHg

43) O edema pulmonar pode ser considerado conceitualmente como a passagem de líquido para:
(a) a pleura através da umidificação
(b) os pulmões através da umidificação
(c) os pulmões através da membrana capilar
(d) o pericárdio através da membrana capilar
(e) o endocárdio através da membrana capilar

44) Paciente de setenta anos, portador de doença pulmonar obstrutiva crônica, apresenta em seu exame radiológico a seguinte característica:
(a) pneumotórax
(b) derrame pleural
(c) mediastino alargado
(d) hipoinsuflação pulmonar
(e) hiperinsuflação pulmonar

45) Quando se observa o exame radiológico dos pacientes com atelectasia, os sinais que se apresentam bem definidos são:
(a) hipertransparência e elevação do diafragma
(b) aumento dos espaços intercostais e hipotransparência
(c) diminuição dos espaços interscostais e hipertransparência
(d) hipotransparência e desvio do mediastino para o mesmo lado
(e) desvio do mediastino para o lado oposto e hipotransparência

46) Em pacientes com respiração espontânea, o fator que pode comprometer a função respiratória é:
(a) diálise renal
(b) ateroma renal
(c) fratura pélvica
(d) úlcera de decúbito
(e) distensão abdominal

47) A radiografia de tórax que sugere o diagnóstico de derrame pleural é:
(a) perfil
(b) laurel
(c) anterior
(d) superior
(e) posterior

49) Homem de 64 anos chega à emergência com dor súbita tipo pleurítica, dispnéia e tosse. Imediatamente é conduzido a fazer um exame radiológico, sendo diagnosticado pneumotórax. Os achados radiológicos neste quadro são:
(a) imagem nodular homogênea
(b) condensação delimitada sobre a imagem cardíaca
(c) hipotransparência com retração do pulmão no lado afetado
(d) hipertransparência com retração do pulmão no lado afetado
(e) aerobroncograma com retração do pulmão no lado não afetado

50) Para os pacientes com enfermidade pulmonar obstrutiva crônica é ensinada a respiração com lábios franzidos. Neste tipo de respiração observa-se o seguinte fenômeno:
(a) aumento do volume residual e aumento da freqüência respiratória
(b) diminuição do volume residual e aumento da freqüência respiratória
(c) aumento do volume corrente e diminuição da freqüência respiratória
(d) diminuição do volume corrente e aumento da freqüência respiratória
(e) diminuição do volume corrente e diminuição da freqüência respiratória

51) Um paciente jovem apresenta diagnóstico de derrame pleural no pulmão esquerdo. Na radiografia de tórax, são observados os seguintes sinais:
(a) hipotransparência homogênea com desvio do mediastino para o mesmo lado da imagem
(b) hipertransparência homogênea com desvio do mediastino para o mesmo lado da imagem
(c) hipotransparência heterogênea com desvio do mediastino para o mesmo lado da imagem
(d) hipertransparência heterogênea com desvio do mediastino para o lado oposto à imagem
(e) hipotransparência homogênea com desvio do mediastino para o lado oposto à imagem observada

52) Homem de 33 anos é internado em unidade de tratamento intensivo necessitando de ventilação mecânica. Foi diagnosticado pneumonia, observando-se a necessidade serem colocados em posição de drenagem os segmentos anteriores de ambos os lobos superiores do pulmão. Para que ocorra uma drenagem eficaz, este paciente deverá ser colocado na seguinte posição:
(a) sentado
(b) decúbito dorsal
(c) decúbito ventral
(d) decúbito lateral direito
(e) decúbito lateral esquerdo

54) O exame que melhor indica o posicionamento correto a ser utilizado em pacientes a serem submetidos a drenagem postural é:
(a) laringoscopia
(b) pressão arterial
(c) raio-X torácico
(d) eletrocardiograma
(e) gasometria arterial

55) A patologia que se caracteriza por anomalia congênita cianótica, levando a um defeito do septo ventricular, estenose pulmonar, aorta cavalgando e hipertrofia direita, denomina-se:
(a) tetralogia de Fallot
(b) anomalia da válvula mitral
(c) má formação congênita do pulmão direito
(d) alteração congênita da parte inferior da traquéia
(e) má formação aórtica fazendo com que a mesma se feche

56) Os principais músculos inspiratórios são:
(a) diafragma, escalenos e intercostais internos
(b) diafragma, intercostais externos e escalenos
(c) diafragma, esternocleidomastóideos e abdominais
(d) diafragma, escalenos e trapézios
(e) diafragma, escalenos e abdominais

57) É causa de disfunção respiratória restritiva:
(a) enfisema pulmonar
(b) DPOC
(c) fibrose dos músculos respiratórios
(d) pneumonia
(e) atelectasia

58) A insuficiência respiratória se deve a:
(a) incapacidade do sistema respiratório de manter as tensões dos gases sangüíneos arteriais numa faixa aceitável
(b) insuficiência de oxigenação decorrente de uma obstrução das vias aéreas superiores
(c) choque cardiogênico pós infarto do miocárdio
(d) insuficiência de ventilação
(e) aumento da freqüência respiratória

59) Em relação à fraqueza severa dos músculos expiratórios, é correto afirmar que:
(a) compromete os mecanismos da tosse e dificulta a remoção de secreções respiratórias
(b) é uma das principais causas de hipoventilação
(c) leva a aumento da freqüência respiratória devido à falência da função diafragmática
(d) pode levar a insuficiência de oxigenação
(e) acarreta pressão parcial de oxigênio arterial (PaO2) abaixo de 50 mmHg

61) Na expiração forçada observa-se:
(a) depressão central e expansão lateral do abdômen
(b) descida do centro frênico, ocasionando aumento vertical do volume torácico
(c) ação do diafragma como depressor das costelas
(d) aumento da pressão intratorácica pela ação dos músculos abdominais
(e) retorno elástico do tecido pulmonar

62) No ventilador ciclado a pressão, o volume corrente é obtido através de:
(a) aumento da freqüência respiratória
(b) regulagem do fluxo expiratório
(c) regulagem do controle de pressão inspiratória
(d) estabelecimento da relação tempo inspiratório / expiratório
(e) aumento da pressão expiratória

63) Em pacientes sob tratamento intensivo, com dificuldade de colaboração, pode-se prevenir a insuficiência respiratória aguda através de:
(a) uso de PEEP com nível acima de 5 cmH20
(b) incentivadores inspiratórios
(c) manobras de fisioterapia respiratória
(d) aplicação intermitente do CPAP convencional
(e) posicionamento em Fowler

64) O uso do FLUTTER VRP1 está contra-indicado em:
(a) bronquite crônica
(b) pneumotórax
(c) bronquiectasia
(d) enfisema pulmonar
(e) pós-operatório

65) Em casos de carcinoma brônquico a conduta fisioterápica contra-indicada é:
(a) tapotagem e vibrações vigorosas
(b) mobilização passiva suave
(c) cinesioterapia para respiração controlada
(d) utilização de RPPI
(e) drenagem postural

66) No paciente enfisematoso, um dos objetivos fisioterápicos é:
(a) remover secreções brônquicas excessivas e reduzir a obstrução das vias aéreas
(b) aumentar o trabalho respiratório
(c) diminuir a mobilidade torácica
(d) incentivar o uso de musculatura acessória e reduzir o trabalho da respiração
(e) aumentar a proporção de volume residual / capacidade pulmonar total



Gabarito


36-E 37-C 38-B 39-B 40-C 43-C 44-E 45-D 46-E 47-B 49-D 50-C 51-E 52-B 54-C 55-A 56-B 57-C 58-A 59-A 61-D 62-C 63-D 64-B 65-A 66-A 

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO