Ventilação mecânica na síndrome do desconforto respiratório agudo - SDRA


1.            DEFINIÇÃO

A Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo - SDRA é classificada (Definição de Berlim) como SDRA leve, moderada e grave.


2.            OBJETIVO

Empregar um sistema rotineiro de identificação de pacientes com SDRA usando a queda da relação PaO²/FiO² e infiltrado bilateral na radiografia de tórax, visando adequar a ventilação ao quadro do paciente.


3.            INDICAÇÃO E CONTRA INDICAÇÃO

Indicações

A SDRA é uma das complicações comumente observadas em pacientes com sepse grave, politraumatismos graves, afogamentos.


Contra-Indicação

Não aplicável.

4.            MATERIAL NECESSÁRIO

Ventilador mecânico
Fórmulas:homens: 50 + 0,91 x (altura em cm - 152,4); mulheres: 45,5 + 0,91 x (altura em cm - 152,4).

5.            ORIENTAÇÃO AO PACIENTE PRÉ-PROCEDIMENTO

Se possível orientar o paciente, sobre a necessidade de sedação para realização da intubação e posterior ventilação.

6.            FLUXOGRAMA DO PROCESSO

Não aplicável

7.            DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO

Responsável: Médico e Fisioterapeuta

Modalidade: PCV ou VCV;

Se SDRA leve, sob ventilação assistida, VC deve ser ajustado em 6mL/kg (considerando-se peso predito).

Na SDRA moderada ou grave, sob ventilação assistida ou controlada, VC deve ser ajustado entre 3 e 6mL/kg (considerando-se peso predito).

Fluxo: necessário para manter a demanda do paciente - 40 a 60L/minuto (VCV) e livre (PCV);

Usar a menor FiO² possível para garantir SpO² >92% em todos as categorias de gravidade SDRA.

Buscar manter pressão de platô (Pplatô) ≤ 30 cmH²O.

Em casos de SDRA moderada e grave, quando a PEEP usada for elevada (geralmente > 15 cmH²O), pode-se tolerar Pplatô de no máximo 40 cmH²O, desde que necessariamente a pressão de distensão seja mantida ≤ 15 cmH²O.

Iniciar com frequência respiratória (f) 20rpm e, caso necessário, aumentar até 35rpm, desde que não ocasione auto-PEEP, de acordo com a PaCO² almejada (manter < 80 mmHg). Em casos de SDRA moderada ou grave, submetidos a estratégia de hipercapnia permissiva com VC ≤ 6mL/kg de peso predito, a f pode ser ajustada até 45rpm, desde que não ocasione auto-PEEP.


8.            ORIENTAÇÃO DO PACIENTE E/OU FAMILIAR PÓS PROCEDIMENTO

Orientar sobre a necessidade da prótese ventilatória para restabelecimento da ventilação espontânea.

9.            PONTOS CRÍTICOS E RISCOS

Buscar manter o diferencial de pressão platô - PEEP (chamado de pressão de distensão, pressão motriz inspiratória ou driving pressure) ≤ 15cmH²O para todas as categorias de gravidade SDRA.

Evitar utilizar PEEP < 5 cmH²O em paciente com SDRA.

10.         REGISTRO

Na folha de evolução diária no prontuário do paciente.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano IX - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO