Tumores no sistema nervoso central

Introdução 

Tumor cerebral é o crescimento anormal de células dentro do crânio que leva à compressão e lesão de células normais do cérebro. 

Geralmente esses tumores podem ser divididos em duas categorias, em primário e metastático. 

Primário: quando o tumor tem origem dentro do próprio crânio; 

Metástase ou tumor cerebral secundário: quando o tumor tem origem em outro órgão e se espalha pelo corpo. 


Causas 

As causas são variadas e muitas vezes desconhecidas. Quando a pessoa tem um tumor no pulmão, por exemplo, algumas células dessa lesão podem cair na corrente sanguínea e se instalar em qualquer parte do organismo, inclusive no cérebro. 

O cérebro é composto, resumidamente, pelos hemisférios cerebrais, o cerebelo (em azul, na figura), e tronco cerebral (que sustenta todo o cérebro); o revestimento do cérebro e da medula espinhal é feito pelas meninges, que são duas membranas, uma grudada ao cérebro, a outra ao crânio (por dentro) entre as quais corre um líquido, denominado de liquor. 


Incidência 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil, 4% das mortes por câncer estão relacionadas com os tumores cerebrais. 

Além dos tumores próprios do cérebro, 25% dos tumores que tem origem em outras regiões do corpo são de origem metastática. 


Tipos 

Existem quase 100 tipos de tumores cerebrais, que geralmente recebem o nome do tipo da célula da qual se desenvolve. 

A maioria dos tumores no cérebro origina-se nas células gliais, que sustentam as células nervosas do órgão. Um tumor de células gliais é denominado glioma.





Classificação dos Tumores Cerebrais 

Alguns tumores cerebrais são mais propensos a se desenvolverem nos tecidos adjacentes do que outros tumores. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica os tumores cerebrais e da medula espinhal em 4 graus, com base em como as células são vistas no microscópio.



Fatores de risco

Gênero: o câncer do SNC é mais comum em homens do que em mulheres

Idade: embora possa desenvolver-se em qualquer idade, é mais comum nos idosos (acima de 65 anos) 

Radiação: ocorre com maior frequência em pessoas que fizeram tratamento de radioterapia na cabeça anteriormente 

É mais frequente em pessoas que tenham passado por tratamento de leucemia durante a infância 

Exposição ao cloreto de vinil (utilizado na produção de plástico)

Pacientes com baixa imunidade

Pacientes com infecções pelo HIV.


Sintomas de Tumor cerebral

Dor de cabeça, náuseas e vômitos persistentes

Alterações visuais e auditivas

Convulsão

Agitação motora

Fraqueza ou rigidez muscular

Perda de sensibilidade em qualquer parte do corpo

Falta de coordenação

Dificuldade para falar ou entender o que é dito

Esquecimento das palavras

Problemas com leitura e escrita de modo inexplicável

Movimentos involuntários

Deficit motor de membros (hemiplegia).


Tratamento de Tumor cerebral

Tratamento cirúrgico: Depende, essencialmente, de sua localização e tipo; muitos tumores cerebrais podem ser removidos sem causar lesão no tecido cerebral normal, contudo, alguns se desenvolvem em uma área que torna a remoção difícil, pois estruturas essenciais podem ser comprometidas. 

A ressecção de um tumor é necessária se o seu crescimento afetar estruturas cerebrais importantes; mesmo em casos em que a cirurgia não seja curativa, o procedimento poderá ser útil para reduzir o tamanho do tumor, aliviar os sintomas e permitir ao médico determinar de que tipo de tumor se trata e se outro tipo de tratamento poderia ser adequado. 


Tratamento sistêmico (inclui o quimioterápico) 

O tratamento pode ser feito apenas com medicamentos ou em combinação com outros tipos de tratamentos, como a cirurgia ou radioterapia. 

A quimioterapia ataca as células tumorais, mas também as células normais. Por isso, é frequente aparecerem efeitos colaterais. Pode ser administrada por via intravenosa, por via oral ou ainda por um implante no cérebro. 

Recentemente vem-se usando medicações que inibem o crescimento dos vasos que nutrem o tumor. São os chamados anti-angiogênicos. 


Objetivos Fisioterapêuticos

Consiste basicamente em:

Melhorar as alterações do tônus muscular;

Corrigir as alterações posturais e de equilíbrio;

Manutenção da força muscular;

Evitar encurtamentos e prevenir complicações respiratórias;

Estudos demonstram também um grande benefício dos exercícios em relação à fadiga apresentada por estes pacientes. 


Tratamento Fisioterapêutico

Alongamentos;

Exercícios ativos livres funcionais;

Exercícios de incentivo respiratório;

Atividades com bola terapêutica;

Hidrocinesioterapia;

Adequação de órteses.



Referências


https://www.hcancerbarretos.com.br/home-paciente/77-paciente/tipos-de-cancer/248-tumores-de-sistema-nervoso-central-snc 

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/tumor-cerebral

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-do-sistema-nervoso-central 

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Identifique-se para uma troca saudável

Como fazer download no 4shared

Termos de uso

Ano XII - © Tânia Marchezin - Fisioterapeuta - Franca/SP

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger .

TOPO